Conecte-se Conosco

Destaque

Após três meses preso, Lula não abandona projeto de candidatura ao Planalto

Publicado

em

Preso desde abril na Polícia Federal em Curitiba, o ex-presidente usa crítica à Justiça como arma

Mesmo que Lula seja liberado pelo STF, projeto eleitoral pode ser barrado pela Lei da Ficha Limpa

Há três meses, poucos acreditavam que a figura mais emblemática do cenário político brasileiro ficaria mais de uma semana na cadeia. Cercado por milhares de apoiadores, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez o país parar a fim de acompanhar o desfecho de seu embate com a Justiça. Condenado a 12 anos e um mês de reclusão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), acusado de ter recebido um apartamento como propina da construtora OAS, o petista está há 90 dias encarcerado em uma cela na Superintendência da PF em Curitiba. Mas ainda briga para manter a candidatura à Presidência, e mantém a estratégia de criticar a Justiça.

As atividades cotidianas do ex-presidente se resumem ao deslocamento solitário pelos 15 metros quadrados da Sala de Estado Maior no quarto andar do prédio da PF na capital paranaense. Ele é acordado todos os dias por um grupo de cerca de 50 apoiadores que, do lado de fora, cantam e gritam palavras de ordem.

Em cartas lidas pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-RS), que se tornou uma espécie de porta-voz dele, Lula confirma que ouve os gritos entoados a poucos metros do local onde cumpre pena. Nos últimos três meses, os advogados do petista apresentaram diversos recursos para tentar libertá-lo. Desde a condenação em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, eles já apresentaram 78 recursos ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Atualmente, a esperança é um pedido de liberdade que pode ser julgado no plenário do Supremo. Mas isso só deve ocorrer em agosto, após o recesso do Poder Judiciário. O professor Leonardo Pantaleão, especialista em direito penal, afirma que a situação do ex-presidente é complicada. “Ele está preso por conta do entendimento do STF de que é possível a prisão após condenação em segunda instância. É possível que esse entendimento seja revisto caso o Supremo julgue uma das ações que tratam do tema e  tramitam na corte. Lula, entretanto, é réu em oito processos, e, mesmo que seja condenado em apenas metade deles, é difícil acreditar que tenha uma pena branda”, afirmou.
O professor observa que cabe aos tribunais superiores apenas avaliar como ocorreu a condução do processo, mas não reexaminar provas. “O STJ e o STF analisam apenas o rito processual e situações ligadas à legislação aplicada ao caso. Não se reveem provas e nem se colhem depoimentos nesta fase. A possibilidade de que a pena seja revertida é remota”, completou Pantaleão. 
O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente desde o início do caso, diz que provas apresentadas no processo provam a inocência do cliente. “O ex-presidente Lula não praticou qualquer crime e está preso indevidamente. Ele jamais recebeu a posse ou a propriedade do apartamento do Guarujá e tampouco praticou qualquer ato na condição de Presidente da República para favorecer a OAS ou qualquer outra empresa. Esperamos que os tribunais superiores possam dar a Lula um julgamento imparcial e reconhecer a prova da inocência que levamos ao processo”, disse.
Impacto político
Mesmo preso, Lula lidera as pesquisas de intenção de voto nas eleições deste ano. O Partido dos Trabalhadores (PT) informou que o pedido de registro de candidatura dele será apresentado em 15 de agosto. No entanto, ele ainda precisará enfrentar julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Por ter sido condenado pelo TRF-4, um tribunal colegiado, Lula se enquadra em um dos artigos da Lei da Ficha Limpa, que torna candidatos inelegíveis.
 
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirma que a prisão do ex-presidente levanta polêmica e não representa esperança de combate à corrupção. “Tem que ter uma limpeza completa. Justiça pela metade não é Justiça. Tenho colegas no Senado que estão livres. Quanto ao Lula, tem muitas controvérsias. Mas só podemos acreditar em Justiça quando se punem todos. Teve uma onda de solturas no Supremo agora”, observou.
 
Apenado nº 700004553820 — esse é o número de registro que fez do ex-presidente Lula um dos internos do sistema penitenciário nacional. Embora não esteja em um centro de reclusão comum, por ter sido presidente da República, Lula tem uma rotina de detento. Ele tem direito de ver televisão, tomar banho de sol uma vez ao dia e pode fazer exercícios.
 
Uma esteira foi colocada na sala, a pedido da defesa, que destacou que o petista é hipertenso e precisa realizar atividade física para impedir que desenvolva problemas de coração. Na maior parte do tempo, ele lê livros, como “A Elite do Atraso — Da Escravidão à Lava-Jato”, indicado pela ex-presidente Dilma Rousseff. O livro faz críticas severas à operação que levou o ex-presidente para a cadeia.
Por Correio Brasiliense

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Autofinanciamento de Meirelles é ofensa à logica

Publicado

em

Henrique Meirelles, o presidenciável do MDB, já despejou R$ 45 milhões nas arcas do seu comitê eleitoral. A cifra corresponde a quase 12% do seu patrimônio declarado: R$ 377,4 milhões. É mais do que o dobro do último prêmio da Mega-Sena, R$ 21,7 milhões, amealhado neste sábado (22) por um apostador afortunado do município mineiro de Oliveiro.

Milionário, Meirelles só obteve a aprovação de sua candidatura na convenção nacional do MDB sob uma condição: o partido não apostaria no projeto pessoal do seu presidenciável um mísero níquel do quinhão a que tem direito no fundo eleitoral público. Os caciques do MDB podem ser acusados de tudo, menos de ser tolos.

A caciquia da legenda de Michel Temer sempre enxergou a candidatura presidencial de Meirelles como um empreendimento de risco zero. Pragmático, o MDB é a favor de tudo e contra qualquer outra coisa, desde que seus lucros sejam preservados. Na remota hipótese de uma vitória do candidato, as portas dos cofres públicos continuariam escancaradas. Confirmando-se a provável derrota, o MDB se reserva o direito de aderir ao presidenciável eleito, seja ele quem for.

Por ora, o MDB já distribuiu R$ 233 milhões em verbas do Tesouro Nacional aos seus candidatos. Como combinado, Meirelles não viu a cor de um mísero ceitil. Tornou-se a pessoa física que mais torrou dinheiro do próprio bolso na história das eleições presidenciais. Deixou-se contaminar pela avaliação marqueteira de que seria um candidato competitivo.

Considerando-se que Meirelles frequenta as pesquisas com irrisórios 2% das intenções de voto, o investimento em sua candidatura virou uma nova modalidade de dinheiro jogado pela janela. No fundo, o sonho presidencial do ex-ministro da Fazenda de Temer nunca passou de um grande “wishful thinking”, um bálsamo para as ilusões políticas do candidato.

O projeto eleitoral de Meirelles entra para a crônica política nacional como uma espécie de conto do vigário no qual o mago das finanças caiu. Quando ouve o candidato afirmar na propaganda eleitoral que é o único capaz de retirar o país do atoleiro fiscal, o eleitor fica autorizado a indagar: ora, alguém que não consegue manter a salvo nem o próprio bolso, como pode assegurar a prosperidade alheia? O autofinanciamento de Meirelles tornou-se uma ofensa à lógica. (Por Josias de souza – Do Blog do Magno)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.


Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Destaque

Ato em apoio a Bolsonaro compara mulheres de esquerda a cadelas; veja

Publicado

em

“Dou para CUT pão com mortadela e para as feministas, ração na tigela” é um dos versos da música tocada num trio elétrico

“Dou para CUT pão com mortadela e para as feministas, ração na tigela. As mina de direita são as top mais belas enquanto as de esquerda têm mais pelos que as cadelas.”

Este é o principal verso da música tocada num trio elétrico em ato público de apoiadores do candidato Jair Bolsonaro (PSL) que ocorre na manhã deste domingo (23) na Avenida Boa Viagem, no Recife. Trata-se de uma paródia da música Baile da Favela.

Em outro trecho, o deputado Jean Wyllys (PSOL) é citado. “Bolsonaro, capitão da reserva. Bolsonaro casou com a cinderela enquanto Jean Wyllys só tá vendo novela.”

O ato teve início às 9h. Muita pessoas vestiam camisa da seleção brasileira e seguravam cartazes com frases que destacavam “a família, a moral e os bons costumes.”

Por Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.


Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Destaque

Serra Talhada: Rogério Leão e Sebastião Oliveira cumprem agenda de campanha na capital do xaxado

Publicado

em

Rogério Leão e Sebastião Oliveira, deputados estadual e federal, respectivamente, escolheram o sábado (22) para visitar Serra Talhada. A opção pela data não foi em vão, tendo em vista que o 22 representa o Partido da República (PR), que, em Pernambuco, é presidido por Sebá.

Muita gente se vestiu de azul para ouvir as propostas de Oliveira e Leão, que concorrem à reeleição. No bate-papo com a população, Sebastião destacou as  inúmeras ações que contemplaram a Capital do Xaxado nesta gestão do governador Paulo Câmara e que contaram com a sua participação efetiva e de Rogério. “Serra Talhada foi beneficiada com um volume de investimento robusto em várias áreas, como infraestrutura, transportes saúde e educação. Vamos continuar trabalhando para que a nossa cidade permaneça no mapa do desenvolvimento”, destacou Oliveira. O republicano citou como exemplo, as obras de requalificação do aeroporto e do terminal rodoviário, de construção do Hospital Regional do Sertão, de restauração da estrada de Bernardo Vieira e também de abastecimento de água.

“Junto com o primo e amigo, Sebastião Oliveira, na caminhada que abre novos caminhos para o futuro de Serra Talhada e que vai transformar a vida dos Pernambucanos. Minha eterna gratidão pelo carinho, “Capital do Xaxado”, disse Rogério Leão.

Nesta reta final de campanha, a plateia foi motivada a intensificar o ritmo para eleger os candidatos da chapa majoritária da Frente Popular de Pernambuco, comandada por Paulo Câmara. “É importante eleger candidatos que estejam alinhados com o governador e que realmente queiram o melhor para o nosso estado. Estamos de chocalho fechado com este palanque que significa progresso, determinação e realização”, ressaltou Sebastião Oliveira, que finalizou. “Esse encontro está sendo a vitamina que eu precisava no sangue rumo à vitória. Eu amo Serra Talhada”. (Com informações do Blog do Magno)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.


Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending