Conecte-se Conosco

Esporte

Brasileirão: Santos sofre, mas arranca empate do Ceará e deixa Z-4

Publicado

em

Agora, a equipe de Cuca ocupa a 15ª posição, com 18 pontos, mesma pontuação da Chapecoanse, 17ª colocada e última equipe a ocupar a zona de rebaixamento.

Santos visitou o Ceará nesta quarta-feira, em Fortaleza, no estádio Presidente Vargas, em partida antecipada da 20ª rodada do Brasileiro, e após sair atrás no placar, reagiu e buscou o empate por 1 a 1. O placar tira os paulistas da zona de rebaixamento.

Agora, a equipe de Cuca ocupa a 15ª posição, com 18 pontos, mesma pontuação da Chapecoanse, 17ª colocada e última equipe a ocupar a zona de rebaixamento. Porém, o Santos vence nos critérios de desempate: possui uma vitória a mais (4 a 3). Já o Ceará vai a 15 pontos e fica na 18ª posição.

Embora tenham deixado a zona de rebaixamento, os santistas ainda não convenceram e chegaram ao nono jogo sem vencer.

O último triunfo ocorreu diante do Fluminense, em 13 de junho, no Maracanã, na última rodada antes da paralisação para a Copa do Mundo da Rússia. Desde então, o Santos conquistou seis empates e três derrotas.

Foi o terceiro jogo de Cuca à frente da equipe. Antes, ele havia sido derrotado pelo Cruzeiro, na estreia, e empatado com o Botafogo.

O Santos veio com novidades na escalação. O atacante Gabriel e o volante Renato foram sacados do time titular. Pituca e Yuri Alberto ganharam a chance de iniciar.

A equipe jogou no tradicional esquema 4-3-3. Alison ficou mais plantado atrás, enquanto Carlos Sánchez e Diego Pituca tiveram mais liberdade para ir para o ataque.

Na linha de três ofensiva, os atacantes Rodrygo, aberto pela direita, e Bruno Henrique, pela esquerda, tinham a missão de acompanhar os laterais quando o time ficava sem a bola. Yuri Alberto foi escalado como centroavante.

A proposta de usar Yuri para segurar a bola lá na frente não funcionou. Primeiro, porque ele foi presa fácil para os zagueiros. Depois, porque foi atrapalhado pela falta de aproximação dos meio-campistas da equipe santista.

Até por isso, o domínio cearense foi total durante toda a primeira etapa do duelo.

Faltou ao time de Cuca maior compactação entre a última linha defensiva e o meio-campo e principalmente alguém cerebral, capaz de ditar o ritmo e fazer o time segurar mais a bola.

O Ceará, por sua vez, bem ajustado, recuperava a bola com facilidade, graças à troca lenta de passes dos santistas, e acelerava no contragolpe.

Tanto que já nos primeiros 15 minutos, Vanderlei já havia sido exigido em três ocasiões. Quando Juninho Quixadá conseguiu vencer o goleiro, carimbou o travessão.

A primeira finalização do Santos só aconteceu aos 27min, com Diego Pituca arriscando de fora da área. O chute, contudo, pouco assustou e saiu longe da meta.

Foram 11 finalizações cearenses contra só três dos santistas no primeiro tempo.

Na etapa final aqueles que haviam ganhado uma chance a perderam: Pituca deu lugar ao meia Bryan Ruiz. O costa-riquenho fez a sua estreia pelo clube. Já Yuri Alberto viu Gabigol retomar a posição.

As alterações potencializaram o futebol de Bruno Henrique. Se na etapa inicial o camisa 11 apareceu várias vezes pelo meio querendo participar da armação, sem sucesso, com Bryan Ruiz, mesmo sem empolgar muito, cuidando do setor, e Gabriel como referência, o jogador voltou a ser um bom ponta.

Foi assim que conseguiu duas boas arrancadas. Em uma delas, aos 15 min, livrou-se de Fabinho, invadiu a área e exigiu grande defesa do goleiro cearense Éverson.

Embora tenha tido uma pequena melhora em relação à etapa inicial, o Santos ainda continuava tendo problemas com a equipe da casa.

E foi em um contragolpe, aos 33min, que Arthur, finalmente, guardou a bola na rede. Ele se aproveitou de vacilo de Gustavo Henrique, que não saiu na marcação de Leandro Carvalho e deu condição para que ele recebesse o passe em condição legal.

O gol não abalou o Santos. Pelo contrário, encheu os paulistas de coragem. E, aos 41min, mesmo sem merecer, o time de Cuca chegou ao empate: Alison cruzou, a zaga do Ceará parou e Jean Mota, sozinho, estufou o peito na bola para tirar Éverson da jogada e deixar tudo igual.

CEARÁ

Everson; Fabinho, Tiago Alves, Luis Otávio, João Lucas; Edinho, Richardson, Calyson, Felipe Azevedo (Leandro Carvalho); Juninho Quixadá (Ricardinho), Arthur. T.: Lisca

SANTOS

Vanderlei; Victor Ferraz , Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Jean Mota; Alison, Diego Pituca (Bryan Ruiz), Carlos Sánchez (Gabriel Calabres); Rodrygo, Bruno Henrique, Yuri Alberto (Gabigol). T.: Cuca

Estádio: Presidente Vargas, em Fortaleza (CE)

Juiz: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Cartões amarelos: Jean Mota (Santos); Edinho (Ceará)

Gols: Arthur, aos 35 minutos do segundo tempo (Ceará); Jean Mota, aos 43 minutos do segundo tempo (Santos)

Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Esporte

Vettel perde 3 posições no grid do GP dos EUA; Hamilton lidera treinos

Publicado

em

O alemão da Ferrari foi punido por não respeitar o limite de velocidade com bandeira vermelha na pista

Sebastian Vettel pode até ser o mais rápido no treino classificatório deste sábado (20), mas não largará na pole position do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1, em Austin. O alemão da Ferrari foi punido por não respeitar o limite de velocidade com bandeira vermelha na pista, no primeiro treino livre para a etapa, nesta sexta-feira (19), e perderá três posições no grid de largada.

O incidente ocorreu por volta do 40º minuto do treino no Circuito das Américas, quando o monegasco Charles Leclerc, piloto da Sauber e que será companheiro de Vettel na Ferrari em 2019, rodou na saída de uma curva e jogou detritos na pista ao retomar o controle do carro. Com o asfalto sujo e molhado por causa da chuva, a direção do GP acionou o aviso de bandeira vermelha.

Como o alemão não conseguiu desacelerar a Ferrari de forma segura, ele acabou punido com a perda de posições no grid. “Os comissários revisaram a evidência em vídeo, posicionaram a informação da telemetria e escutaram o piloto do carro #5 (Vettel), além de representantes da equipe.

A conclusão dos comissários foi de que Vettel realmente falhou em manter a velocidade mínima exigida pelo regulamento da FIA nos setores seis e sete”, explicou o comunicado emitido pela Federação Internacional de Automobilismo.

A punição complica ainda mais a situação de Vettel, vice-líder do Mundial de Pilotos, com 264 pontos, 67 atrás do inglês Lewis Hamilton, da Mercedes. O astro da Ferrari precisa vencer em Austin para evitar que o rival fature o quinto título da carreira já nos Estados Unidos.

TREINOS LIVRES

No segundo treino livre para a corrida, Hamilton ficou mais uma vez na frente. Ele cravou o tempo de 1min48s716, outra vez, sob chuva. Pela manhã, o dono do carro número 44 havia ficado na ponta por alcançar a marca de 1min47s502, quase um segundo e meio a frente do companheiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas.

O francês Pierre Gasly, da Toro Rosso, por sua vez, terminou na segunda posição, ao fazer a melhor volta em 1min49s728. O ‘top-3’ foi fechado pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull, que marcou tempo de 1min49s798. Logo atrás, ficou o espanhol Fernando Alonso, da McLaren.

Vettel, que é o único piloto com chances matemáticas de tirar o título de Hamilton, foi apenas o décimo colocado, ao marcar 1min53s912. O alemão ficou imediatamente atrás do companheiro de escuderia, o finlandês Kimi Raikkonen.

O treino classificatório para o GP dos Estados Unidos será neste sábado (20), às 18h (de Brasília). Já a corrida, neste domingo (21), ocorrerá às 15h10.

Por Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Esporte

Filipinho cai em Portugal e Medina fica mais perto de título antecipado

Publicado

em

 

Para sair de Portugal com mais um título mundial, Medina precisa agora vencer a etapa e torcer para que o australiano Julian Wilson, que também segue vivo no torneio, seja eliminado antes das semifinais

chance de Gabriel Medina conquistar o título do Mundial de surfe (WSL, em inglês) já nesta etapa, em Portugal, aumentou. O campeão de 2014 venceu duas baterias nesta quinta-feira (18) e viu um de seus concorrentes pelo troféu, o compatriota Filipe Toledo, ser eliminado na terceira fase.

Para sair de Portugal com mais um título mundial, Medina precisa agora vencer a etapa e torcer para que o australiano Julian Wilson, que também segue vivo no torneio, seja eliminado antes das semifinais. Caso isso não aconteça, a decisão ficará para a última etapa, em dezembro, no Havaí.

Filipinho, por sua vez, ‘seca’ Medina e torce para que o compatriota não seja campeão em Portugal para manter suas chances de título. Neste cenário, o brasileiro espera o final da etapa portuguesa para saber que combinações na última etapa lhe garantiriam o título.

A disputa da terceira fase esquentou com a entrada de Medina na água, na sexta bateria. O brasileiro venceu o australiano Ryan Callinan por 13,60 e 7,33. Uma interferência foi marcada contra Callinan, mas Medina venceria mesmo se o rival não fosse punido com a perda da pontuação de uma de suas ondas.

Na sétima bateria, Filipe Toledo fez um duelo equilibrado com o francês Joan Duru e vencia até o minuto final. Porém, em sua última onda, Duru conseguiu uma nota 6 e virou o placar para 12,50 a 12,10.

Julian Wilson, por sua vez, venceu o brasileiro Ian Gouveia na 12ª bateria por 13,90 a 7,17. Para chegar às semifinais e garantir chances no Havaí independentemente do resultado de Medina, ele precisará passar por mais duas fases em Portugal.

Já na quarta fase, Medina marcou 11,67 e avançou para as quartas de final ao lado do polinésio Michel Bourez (7,84). O português Frederico Moraese foi eliminado com 3,63. Já a bateria de Julian Wilson contra os compatriotas Owen Wright e Adrian Buchan foi adiada para sexta-feira, quando ocorre uma nova chamada para avaliar as condições do mar às 4h (de Brasília). Os dois melhores avançam para as quartas, que devem ser disputadas na sequência.

Além de Medina, outro brasileiro continua no torneio. Quarto do ranking e sem chances de título, Ítalo Ferreira encara na quartas de final o polinésio Michel Bourez. Já Medina enfrenta o australiano Matt Wilkinson. Também classificados, o francês Joan Duru e o japonês Kanoa Igarashi esperam a disputa da última bateria da quarta fase para conhecerem os adversários.

O ranking do Mundial de surfe trabalha com o descarte dos dois piores resultados de cada surfista no ano, o que aumenta as combinações previstas para a disputa do título. Medina chegou à Portugal como líder da temporada com 51.770 pontos. Filipinho começou a etapa com 51.450 e Julian Wilson com 47.125.

Por Folhapress.

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Destaque

Cruzeiro vence Corinthians e é hexa da Copa do Brasil

Publicado

em

Em uma decisão com interferência do árbitro de vídeo, que assinalou um pênalti e anulou um gol corintiano no segundo tempo, o Corinthians viu o sonho de salvar o ano com o título da Copa do Brasil e, consequentemente, garantir vaga na próxima edição da Copa Libertadores, acabar.

Nesta quarta-feira (17), a equipe criou poucas oportunidades e perdeu para o Cruzeiro por 2 a 1, no Itaquerão, no segundo jogo da decisão da competição mata-mata do futebol brasileiro.

O time precisava vencer por dois gols de diferença para ser campeão ou um para levar o jogo para os pênaltis após a derrota pelo placar mínimo na partida de ida.

As interferências do VAR na decisão aconteceram durante a etapa complementar e geraram reclamações.

O árbitro Wagner do Nascimento Magalhães foi chamado pela primeira vez para analisar uma falta dentro da área no volante Ralf. Após demorar quase dois minutos, assinalou o pênalti que foi convertido por Jadson, aos 10 minutos.

Catorze minutos depois, o árbitro de vídeo foi utilizado novamente. Quando os corintianos já comemoravam um gol de Pedrinho em um chute de fora da área, Wagner Magalhães foi chamado e, após analisar, marcou uma falta de Jadson em Dedé. O árbitro demorou aproximadamente dois minutos para assinalar a infração.

A tecnologia começou a ser utilizada no futebol brasileiro nas quartas de final da Copa do Brasil.

O Corinthians almejava o título para aliviar seu déficit financeiro na temporada e também conquistar uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores, o que dificilmente conseguirá pelo Campeonato Brasileiro.

Atualmente é o 11º colocado com 35 pontos -11 pontos atrás do Atlético-MG, hoje sexto colocado e que seria o último classificado para o principal torneio sul-americano.

Já a premiação pela conquista da Copa do Brasil representaria R$ 50 milhões nos cofres do clube. Com o vice-campeonato, ganhará R$ 20 milhões, além dos R$ 11,9 milhões referentes à participação da equipe nas fases anteriores -entrou nas oitavas de final.

Assim, o Corinthians encerra o ano apenas com a conquista do Campeonato Paulista e espera resolver sua situação no Brasileiro o mais rápido possível para planejar a próxima temporada e evitar os erros de 2018, quando não conseguiu recompor o elenco com jogadores do mesmo nível após as perdas de Jô e Arana no final do ano passado e de Rodriguinho e Balbuena neste segundo semestre.

Tanto é que os treinadores que passaram pela equipe tiveram que apostar em jovens promessas como Léo Santos, 19, que falhou no gol cruzeirense desta quarta-feira, e até alterar a forma de jogar porque o time não tinha um centroavante de área. Os reforços contratados para a posição não conseguiram se encaixar até porque chegaram com os campeonatos em andamento.

Um dos exemplos é Roger, que não pode atuar na Copa do Brasil porque já havia jogado o torneio pelo Inter. Ele foi contratado em abril. Já Jonathas, contratado em junho, enfrentou problemas físicos. Ele estava atuando fora do país desde 2008.

Além de perder jogadores que formavam a base da equipe, o Corinthians também viu o treinador Fábio Carille aceitar uma proposta milionária do Al Wehda, da Arábia Saudita, e deixar o comando após 16 meses e três títulos conquistados.

A diretoria apostou em uma solução caseira. Osmar Loss, que dirigia o time sub-20 até o fevereiro de 2017, foi anunciado como o novo técnico, mas durou apenas 22 jogos. Ele conquistou apenas 42% dos pontos e deixou o cargo.

(Do FOLHAPRESS/ Com informações do Notícia ao Minuto)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending