Conecte-se Conosco

Destaque

ONU oferece ajuda para combater zika no Brasil

Publicado

em

Onu

A Organização das Nações Unidas (ONU) colocou à disposição do governo brasileiro todas as 24 unidades que atuam no Brasil para auxiliar no combate ao vírus Zika. A manifestação ocorre após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar, na segunda-feira (1º), o vírus uma emergência internacional em saúde pública.
Além de reforçar apoio ao governo brasileiro no combate ao vírus, a ONU no Brasil elogiou as ações recentes promovidas pelas autoridades do país.
Em nota à imprensa, a ONU informou que o Sistema das Nações Unidas “expressa sua total solidariedade à população e ao governo do Brasil, que estão enfrentando com energia a emergência de saúde pública provocada pela disseminação do vírus Zika e pelos casos de microcefalia”.
A ONU também elogiou o pronunciamento feito nessa quarta-feira (3) pela presidenta Dilma Rousseff, parabenizando o “engajamento de todos os recursos” do Estado na luta contra o mosquito Aedes aegypti, que transmite, além do Zika, a dengue e a chikungunya.
De acordo com o comunicado, é preciso celeridade nas pesquisas para elaboração de uma vacina contra o Zika. “É preciso combater os criadouros do mosquito, avançar na detecção de infecções e malformações congênitas, acelerar a disponibilidade de testes de diagnósticos e o desenvolvimento de vacinas e proteger as pessoas em risco, especialmente mulheres em idade reprodutiva e durante a gravidez.”
Conforme a nota, a situação de “emergência de saúde pública” ocorre também em muitos outros países, em especial das Américas. A ONU lembrou que o problema deve ser enfrentado por meio de uma “ação coordenada”. Além de declarar emergência internacional em razão do aumento dos casos de infecção pelo vírus Zika, a OMS pediu uma resposta conjunta para o problema.
No comunicado, a ONU no Brasil prometeu ajudar no que for necessário, colocando seus recursos à disposição do governo e da sociedade brasileira com o objetivo de “eliminar esta perigosa ameaça contra a saúde pública”.
Apesar do “convite oficial” ao governo brasileiro, a ONU no Brasil afirmou que já colabora na luta contra o vírus Zika desde 2015, “inclusive levando informações à população” sobre proteção e luta contra o mosquito.
(Da Agência Brasil)

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Venezuela executa 8.200 pessoas em dois anos, segundo Anistia

Publicado

em

O país está hoje entre os mais violentos do mundo

Relatório da Anistia Internacional publicado nesta quinta-feira (20) afirma que forças de segurança do Estado venezuelano usam força letal com intenção de matar os setores da população mais vulneráveis e excluídos, criminalizando a pobreza.

O resultado foram mais de 8.200 execuções extrajudiciais entre 2015 e junho de 2017.

“A Venezuela está passando por uma das piores crises de direitos humanos em sua história. A lista de crimes sob o direito internacional contra a população está aumentando”, afirmou Erika Guevara-Rosas, diretora para Américas da Anistia Internacional.

A Venezuela está hoje entre os países mais violentos do mundo. Em 2017, a taxa de homicídio foi de 89 por 100 mil habitantes, mais alta que em El Salvador (60) e três vezes mais alta que no Brasil (29,7), segundo dados da fundação InSight Crime.

“O número de homicídios na Venezuela é superior ao de muitos países em guerra”, afirmou Esteban Beltrán, diretor da Anistia Internacional na Espanha.

A entidade apresentou relatos de mães e pais que testemunharam os filhos sendo mortos dentro de casa, de onde foram roubados objetos de valor, como roupas e eletrodomésticos, e dinheiro.

“Nesses casos documentados pela Anistia Internacional, as vítimas estavam desarmadas. As autópsias mostram disparos no pescoço, tórax ou cabeça e que a morte ocorreu quando a vítima estava ajoelhada ou deitada. As autoridades alegam enfrentamento, mas não há informação sobre um policial ferido”, disse Beltrán.

No ano passado, ao menos 95% das vítimas de homicídios, resultantes tanto de crimes quanto da ação das forças de segurança, eram homens jovens, com idades entre 16 e 29 anos, pai de crianças pequenas e responsáveis pelo sustento da casa.

O estudo afirma ainda que a 92% dos casos de crimes comuns não são resolvidos, índice que vai a 98% em casos de violações de direitos humanos. Aponta também que existiam 5,9 milhões de armas leves em 2017 no país, que tem 30,6 milhões de habitantes.

Segundo o relatório, as políticas de segurança implementadas entre 2002 e 2017 priorizaram o uso de métodos repressivos pela polícia em operações de combate ao crime, com relatos de buscas ilegais, execuções extrajudiciais e uso de tortura durante essas operações.

“Essa resposta pesada que coloca o crime como um ‘inimigo interno’ contribuiu para o aumento nas taxas de homicídio”, afirma o texto.

“Uma das consequências mais notáveis dessas violações de direitos humanos em massa e da falta de segurança pública estão o aumento dramático no número de pessoas fugindo para outros países, principalmente nas Américas”, diz o organismo.

Por Folhapress. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.


Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Destaque

Eleições pelo governo do Estado está indefinida

Publicado

em

Diferente de outras pesquisas feitas recentemente, que mostraram uma considerável vantagem de Paulo Câmara (PSB) na disputa pelo Governo de Pernambuco, uma pesquisa Datafolha divulgada na madrugada desta quinta-feira, 20, aponta que Armando Monteiro (PTB) ainda está no páreo.

O socialista aparece com 35% das intenções de voto contra 31% do petebista, o que configura um empate técnico, considerando a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos. Júlio Lóssio (REDE) vem em terceiro com 3%, seguido por Ana Patrícia Alves (PCO) com 2%, Maurício Rands (PROS) com 2%, Dani Portela (PSOL) com 1% e Simone Fontana (PSTU) com 1%. Brancos e nulos somam 19% e não sabem 6%.

A sondagem foi encomendada pela TV Globo em parceria com o jornal Folha de S.Paulo. É a terceira pesquisa Datafolha feita em Pernambuco após o registro das candidaturas na Justiça Eleitoral. O levantamento ouviu 1.232 eleitores em 50 cidades nos dias 18 e 19 de setembro. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número PE-09351/2018 e tem nível de confiança de 95%.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.


Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Destaque

Rede dá 24 horas para Júlio Lossio se explicar sobre acordo com candidato que apoia Bolsonaro

Publicado

em

O candidato a governador de Pernambuco pela Rede, Julio Lossio, foi notificado pelo partido por infidelidade partidária por causa de uma aliança local com apoiadores do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com nota divulgada pelo partido de Marina Silva, o concorrente ao Palácio Campo das Princesas poderá ser expulso da legenda e ter o registro eleitoral cancelado. Lossio recebeu apoio, por exemplo, do coronel Luiz Meira (PRP), candidato a deputado federal pelo grupo de Bolsonaro. O partido deu prazo de 24 horas para que ele apresente sua defesa à executiva nacional. Leia abaixo a íntegra da nota:

“A Rede Sustentabilidade notificou, nesta quarta-feira (19/9), o candidato ao governo de Pernambuco, Julio Lossio, por infidelidade partidária, depois de realizar aliança não autorizada com candidatos de outra coligação que representam o que há de mais reacionário no Brasil. Lossio terá 24 horas para apresentar sua defesa à Executiva Nacional da legenda. O candidato poderá ser expulso da Rede e ter o registro de candidatura cancelado na Justiça Eleitoral.

As manifestações de Lossio foram amplamente publicizadas na mídia nacional e pernambucana, redes sociais, materiais de campanha e eventos políticos, nos últimos dias.

Esse tipo de infração está previsto no Estatuto da Rede, que, em suas normatizações, considera ato de infidelidade partidária o candidato que fizer campanha eleitoral para candidatos ou partidos políticos que contrariem as deliberações da Convenção Eleitoral e os interesses partidários da Rede. 

Em agosto deste ano, a legenda realizou sua primeira Convenção Nacional Eleitoral e oficializou, por aclamação, a candidatura de Marina Silva à Presidência da República.”

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.


Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending