Conecte-se Conosco

Saúde

EUA planejam testar vacina contra a zika em humanos até o fim do ano

Publicado

em

Larvas do mosquito Aedes aegypti são vistas em laboratório do Centro para Controle e Prevenção de Doenças, dos EUA, em San Juan. (Foto: Reuters)

Larvas do mosquito Aedes aegypti são vistas em laboratório do Centro para Controle e Prevenção de Doenças, dos EUA, em San Juan. (Foto: Reuters)

Testes serão feitos por instituto do exército americano.
Comunicado foi passado pelo Departamento de Defesa.

O Instituto de Pesquisa Walter Reed do Exército dos Estados Unidos (WRAIR) realiza testes pré-clínicos com uma vacina contra o vírus da zika que deve começar a ser experimentada em humanos até o fim do ano, informou o governo americano nesta quinta-feira (9).

Os cientistas do WRAIR, o maior centro de pesquisa biomédica do Departamento de Defesa dos EUA, trabalham no desenvolvimento de testes pré-clínicos de uma vacina com especialistas do Beth Israel Deaconess Medical Center, de Boston.

Segundo um comunicado do Departamento de Defesa, essa tarefa se desenvolve “com rapidez” e os cientistas “planejam começar os testes em humanos antes do final do ano”.

A rapidez do processo ocorre porque os especialistas conhecem bem os flavivírus, gênero de vírus que causa diversas doenças, como febre amarela, dengue e zika.

“Existe uma pressa para fazer isto assim que possível porque há uma emergência de saúde pública em andamento. A zika é um flavivírus e trabalhamos com flavivírus em toda a nossa história, desde 1893. Desenvolvemos vacinas para flavivírus desde a Segunda Guerra Mundial”, ressaltou o médico e coronel do exército Stephen Thomas, responsável pelo programa da zika.

Os Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA acompanham atualmente a transmissão do vírus da zika em 39 países e territórios da América, em oito da Oceania e das ilhas do Pacífico e em um de Cabo Verde.

Até o momento, os CDC detectaram mais de 600 casos de zika nos EUA, embora não haja indícios de que tenham sido gerados no interior do país pela picada do mosquito que transmite o vírus.

O atual surto de zika, que afeta principalmente a América Latina e o Caribe, é considerado uma emergência de saúde global pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Vírus da zika é transmitido pelo Aedes aegypti (Foto: REUTERS/Alvin Baez)

Vírus da zika é transmitido pelo Aedes aegypti (Foto: REUTERS/Alvin Baez)

(Da EFE)

Saúde

2.347.285 doses da vacina contra a Covid-19, já foram aplicadas em PE

Publicado

em

Até este sábado, dia 15/05, Pernambuco já aplicou 2.347.285 doses da vacina contra a Covid-19, das quais 1.554.621 foram primeiras doses. No total, 792.664 pessoas finalizaram o esquema. Confira:

Trabalhadores da saúde – 256.515 (1° dose) e 205.834 (2° dose)
Povos indígenas aldeados – 25.497 (1° dose) e 24.964 (2° dose)
Comunidades Quilombolas – 38.163 (1° dose) e 48 (2ª dose)
Idosos institucionalizados – 7.115 (1° dose) e 5.160 (2° dose)
Idosos (60 a 69 anos) – 563.332 (1° dose) e 176.187 (2° dose)
Idosos (70 a 79 anos) – 391.570 (1° dose) e 279.490 (2° dose)
Idosos (entre 80 e 84 anos) – 102.986 (1° dose) e 46.509 (2° dose)
Idosos (85 anos e mais) – 89.207 (1° dose) e 53.235 (2° dose)
Pessoas com deficiência institucionalizadas – 1.305 (1° dose) e 1.122 (2° dose)
Trabalhadores das forças de segurança e salvamento – 6.899 (1° dose) e 115 (2ª dose)
Pessoas com comorbidades – 61.676 (1° dose)
Pessoas com deficiência permanente – 1.600 (1° dose)
Gestantes e puérperas – 8.756 (1° dose)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Saúde

Anvisa aprova uso emergencial de novo tratamento contra a covid-19

Publicado

em

A decisão foi anunciada durante reunião extraordinária e tem caráter emergencial, com autorização temporária para atender às demandas da pandemia.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou na quinta-feira, 13, por unanimidade, o uso de dois medicamentos, os anticorpos monoclonais banlanivimabe e etesevimabe, para o tratamento de pacientes do coronavírus no País. A decisão foi anunciada durante reunião extraordinária e tem caráter emergencial, com autorização temporária para atender às demandas da pandemia.

Os anticorpos associados são indicados para adultos e pacientes pediátricos, acima dos 12 anos e com mais de 40 quilos, com infecção comprovada em laboratório e que estejam no grupo de alto risco para a doença (comorbidades, idade avançada, obesidade etc.). A Anvisa frisou, entretanto, que o tratamento não deve ser administrado em pacientes que já estejam com quadro grave da doença, pois isso poderia “piorar o desfecho clínico”.

Produzidos pela empresa Eli Lilly do Brasil Ltda., esses medicamentos são indicados logo após a identificação do coronavírus no organismo e até dez dias após o início de sintomas. A Anvisa também reforçou que o uso é restrito a hospitais, sob prescrição médica, e não pode ser comercializado em farmácias. De acordo com o estudo clínico apresentado à agência, o tratamento reduz em até 70% o risco relativo da covid-19.

A posologia indicada é de 700 mg do banlanivimabe e 1.400 mg do etesevimabe, administrados em infusão intravenosa (solução aplicada na veia). Ainda não há, entretanto, dados que garantam a eficácia e segurança do tratamento em pacientes menores de 18 anos ou gestantes. O uso em crianças deve ser feito com base em avaliações de farmacocinética.

Também não há comprovação de segurança ou eficácia do tratamento contra a variante P.1, identificada inicialmente em Manaus. Ainda assim, a agência indicou que as informações presentes até o momento são “satisfatórias” para o uso nesse caso.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Saúde

Serra Talhada recebe hoje primeiros lotes de vacina da Pfizer

Publicado

em

Apesar da crise que assola todo o Brasil, em função da ausência de vacinas e mau planejamento do governo federal, Serra Talhada vai receber mais um lote, nesta sexta-feira (14).

Em conversa com o Farol, a gestora da XI Gerência Regional de Saúde (Geres) Karla Millene, revelou que 2.134 doses de vacinas chegarão à Capital do Xaxado a partir das 10h. Serão doses da Coronavac, AstraZeneca e da Pfizer.

De acordo com a gestora, serão 430 doses da Coronavac para a faixa etária entre 65 e 69 anos, quem ainda não tomou a dose número dois e 160 doses para os trabalhadores da saúde.

Já da AstraZeneca as doses serão mais generosas: 1.010 para idosos entre 65 e 69 anos. Ainda segundo a XI Geres, 534 doses da vacina Pfizer irão chegar para uso exclusivo das gestantes e puérperas (1º dose). A Secretaria Municipal de Saúde será responsável pela estratégia e aplicação das vacinas. (Do Farol de Notícias)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending