Conecte-se Conosco

Esporte

Brasileirão: São Paulo perde para o lanterna e já rebaixado Botafogo

Publicado

em

Assista à entrevista do atacante após o tropeço contra o Botafogo, lanterna do Brasileirão.

O atacante Luciano lamentou o pênalti desperdiçado na derrota do São Paulo para o Botafogo, nesta segunda-feira, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. O lance poderia garantir ao menos o empate ao Tricolor.

– Sentimento de muita tristeza. Eu treinei bem, no outro jogo bati bem (contra o Palmeiras) e hoje não tão bem e comprometeu o resultado. Acho que naquele momento eu não podia ter errado, porque a gente precisava muito do gol de empate. Tenho que pedir desculpas para os meus companheiros. Queria ganhar aqui hoje e como eu errei fico muito triste – afirmou o jogador após o jogo.

Além de desperdiçar a chance de empatar o jogo para o São Paulo, Luciano também perde a oportunidade de assumir a artilharia de forma isolada do Brasileirão. Com 17 gols, o atacante divide o posto com Claudinho (Bragantino), Marinho (Santos) e Galhardo (Internacional).

Já para o Tricolor, o resultado representou a perda da chance de garantir a vaga direta na fase de grupos da Libertadores deste ano. Agora, a definição do quarto lugar do Brasileirão ficará para a última rodada, na próxima quinta-feira.

Para ficar no G-4 sem depender de nenhum outro resultado, o São Paulo precisa vencer o Flamengo, às 21h30. Caso empate ou seja derrotado, a equipe precisa contar com um tropeço do Fluminense, que encara o Fortaleza no mesmo horário. (Do GE)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Esporte

Judoca Mayra Aguiar leva bronze e se torna primeira atleta três vezes medalhista

Publicado

em

A gigante Mayra Aguiar se tornou, na madrugada desta quinta-feira (29), a primeira atleta a receber três medalhas olímpicas em um esporte individual. O grande feito veio com a vitória sobre a sul-coreana Hyunji Yoon no tatame do maior templo do judô mundial, o Budokan.

A judoca traz mais um bronze para o Brasil, também conquistado anteriormente nas olimpíadas de Londres, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016.

Recordista, Mayra detém três dos 24 pódios do judô brasileiro em jogos olímpicos. Nenhum outro atleta do país alcançou a marca. Ela também é a primeira a ganhar três medalhas em olimpíadas consecutivas.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Esporte

Mayra Aguiar conquista o bronze no judô e faz história com 3 medalhas olímpicas

Publicado

em

A judoca Mayra Aguiar fez história nesta quinta-feira ao conquistar em Tóquio a terceira medalha em três edições seguidas dos Jogos Olímpicos. Bronze em Londres-2012 e Rio-2016, a gaúcha, de 29 anos, repetiu o feito agora no Japão na categoria até 78 kg e se tornou a primeira atleta do País a faturar três medalhas em esportes individuais na Olimpíada.

Na luta que lhe garantiu o seu lugar no pódio, Mayra Aguiar bateu a sul-coreana Hyunji Yoon com um ippon. Assim, confirmou o porquê é uma das judocas mais fortes e experientes do Time Brasil. “Estou bem emocionada Acho que é a conquista mais importante pra mim”, resumiu ela, aos prantos, após o combate.

O bronze de Mayra tem a marca da superação. Não à toa, ela chorou muito em cima do tatame. Na reta final de preparação para a Olimpíada de Tóquio, a judoca teve uma séria lesão ligamentar no joelho esquerdo e precisou ser operada. Havia o risco de ela ficar de fora da Olimpíada, mas a judoca voltou a tempo de garantir sua presença nos Jogos.

Mayra recuperou o ritmo perdido por causa da lesão e conseguiu mostrar o talento que já a levou a ser bicampeã mundial.

O caminho de Mayra rumo ao pódio nos Jogos Olímpicos de Tóquio começou com um ippon contra a israelense Inbar Lanir. Ela estreou direto nas oitavas de final por ser uma das cabeças de chave. Na luta seguinte, no entanto, ela acabou perdendo par Anna-Maria Wagner, da Alemanha, número 3 do mundo, em um duelo muito truncado, decidido no golden score.

A disputa da repescagem contra Aleksandra Babintseva, do Comitê Olímpico Russo, foi bastante equilibrada também. A adversária, porém, recebe três shidos (punições) por fugir do combate e Mayra foi declarada vencedora.

Foi o segundo bronze do judô brasileiro nos Jogos de Tóquio. Antes, Daniel Cargnin subiu ao pódio na categoria até 66 kg.

Por:Notícia ao Minuto

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Esporte

Richarlison decide, e Brasil se classifica em 1º no futebol nas Olimpíadas

Publicado

em

 Em um jogo difícil por causa da retranca do adversário, a seleção brasileira venceu a Arábia Saudita por 3 a 1 pelo torneio de futebol masculino das Olimpíadas de Tóquio. Os gols foram de Matheus Cunha e Richarlison (2). O atacante do Everton, da Inglaterra, chegou à artilharia da competição, com 5 gols.

Com o resultado, terminou o Grupo D na primeira posição e agora aguarda adversário, que virá do Grupo C da competição. O jogo será no próximo sábado, às 7h, em Saitama.

A seleção brasileira havia estreado com vitória contra a Alemanha, por 4 a 2. Na partida seguinte, empatou com Costa do Marfim por 0 a 0. Já Arábia Saudita tinha perdido seus dois jogos anteriores no Grupo D e entrou em campo já eliminada da competição.

No outro jogo da chave, a Costa do Marfim empatou com a Alemanha por 1 a 1. O empate favoreceu a seleção africana, que se classificou para as quartas de final na segunda posição do Grupo D.

O técnico Saad Al Shehri, armou a Arábia Saudita no 5-4-1, uma retranca que tentava conter o ímpeto ofensivo da seleção brasileira. O Brasil, por sua vez, manteve o esquema 4-3-3, com Matheus Henrique substituindo Douglas Luiz, expulso na partida anterior, contra a Costa do Marfim.

A equipe brasileira, de fato, tinha bastante dificuldade de passar pela marcação saudita. Mas a bola parada colocou o Brasil em vantagem. Em cobrança de escanteio feita por Claudinho, Matheus Cunha desencantou. Depois de perder várias oportunidades, principalmente na estreia contra a Alemanha, o centroavante desviou de cabeça para colocar a seleção brasileira na frente aos 13 minutos.

Com a vantagem, a equipe se acomodou. A Arábia Saudita não parecia ameaçar, mas chegou ao empate aos 26 minutos graças à falha da defesa brasileira. Após cobrança de falta, o zagueiro Al Amri, sem marcação, desviou de cabeça, sem chance de defesa para o goleiro Santos.

Na segunda etapa, o técnico André Jardine tirou Antony, apagado no primeiro tempo, e colocou Malcom, tentando melhorar a movimentação do ataque da seleção brasileira. Com o congestionamento de defensores sauditas na entrada da área, o Brasil tinha muita dificuldade de penetração.

Em um rara oportunidade, aos 20 minutos, Matheus Cunha finalizou para a boa defesa de Al Bukhari. No rebote, com o gol escancarado, o atacante voltou a perder boa oportunidade, chutando na trave.

A Arábia Saudita também abusava das faltas. Na cobrança de uma delas, Daniel Alves cruzou, a zaga afastou mal e Bruno Guimarães deu passe de cabeça para Richarlison também cabecear para o gol.

Já nos acréscimos, aos 47 minutos, Richarlison recebeu cruzamento na área e só tocou para o gol vazio. Era o gol que matava o jogo e colocava o atacante como artilheiro da competição, com 5 gols.

ARÁBIA SAUDITA

Al-Bukhari; Abdulhamid, Al-Amri, Khalifa Al-Dawsari (Al-Ghannam, aos 43/2ºT), Hindi e Al-Shahrani; Ali Al-Hassan (Mukhtar, aos 15/2ºT) , Al-Faraj (Al-Omran, aos 43/2ºT), Sami Al-Naji (Ghareeb, aos 15/2ºT) e Salem Al-Dawsari; Al-Hamddan (Al-Brikan, aos 30/2ºT). T.: Saad Al-Shehri

BRASIL

Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana (Abner, aos 43/2ºT); Bruno Guimarães (Gabriel Menino, aos 38/2ºT), Matheus Henrique e Claudinho (Reinier, aos 25/2ºT); Antony (Malcom, no intervalo), Matheus Cunha (Gabriel Martinelli, aos 38/2ºT) e Richarlison. T.: André Jardine

Local: Estádio Saitama, em Saitama (Japão)
Árbitro: Bamlak Tessema (Etiópia)
Cartões amarelos: Al-Shahrani, Khalifa Al-Dawsari (Arábia Saudita); Guilherme Arana, Gabriel Martinelli, Daniel Alves (Brasil)
Gols: Matheus Cunha, aos 13/1ºT (0-1), Al-Amri, aos 26/1ºT (1-1), Richarlison, aos 30/2ºT (1-2), Richarlison, aos 47/2ºT (1-3).

Por:esporte ao minuto

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending