Conecte-se Conosco

Entretenimento

Com Covid, Paulo Gustavo apresenta piora e estado de saúde é ‘crítico’

Publicado

em

A situação clínica do paciente é crítica e todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação”, diz a nota publicada neste domingo

O marido de Paulo Gustavo, 42, o dermatologista Thales Bretas, compartilhou novo boletim médico com o estado de saúde do humorista, que apresentou “sinais de gravidade” em decorrência da Covid-19.

“A situação clínica do paciente é crítica e todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação”, diz a nota publicada neste domingo (11), no Instagram.
De acordo com o comunicado, “as diversas complicações pulmonares já demandaram procedimentos invasivos como broncoscopias, pleuroscopias e colocação de dispositivos intrapulmonares”. “Às fístulas bronco-pleurais identificadas e tratadas somaram-se a complicações hemorrágicas, mas que vêm respondendo, de certa forma satisfatória, à reposição dos fatores da coagulação deficitários”, explica a nota.

A família do ator agradeceu o carinho e orações que vem recebendo e pediu que “continuem a enviar boas energias para a recuperação de todos os que se encontram na luta contra o vírus”. “Sigamos com fé e pensamento positivo porque Paulo é muito guerreiro e Deus está do nosso lado! Amém”, encerra a nota.

Na mesma postagem, Bretas compartilhou a foto de uma viagem que Paulo Gustavo e ele fizeram ao Santuário de Fátima, em Portugal, exibindo uma imagem da santa, que foi emprestada por uma amiga. “O quadro clínico do meu amor está difícil, mas para ele nada é impossível, e nem pra Ele, nosso Deus, e essa dupla poderosa vai trazer ele de volta pra casa”, desejou o dermatologista.

O ator e humorista está internado desde o dia 13 de março em um hospital do Rio de Janeiro, após receber diagnóstico de Covid. Desde o dia 21 de março, ele também estava respirando com ajuda de ventilação mecânica, ou seja, intubado.

Ele chegou a apresentar sinais de melhora, mas acabou tendo um agravamento no quadro clínico. Por causa disso, ele agora está respirando com a ajuda de ECMO (oxigenação por membrana extracorpórea), equipamento que age como um pulmão artificial e oxigena o sangue fora do corpo.

Por Folhapress

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Entretenimento

Morte de Paulo Gustavo foi saia justa para Bolsonaro, que se viu forçado a falar

Publicado

em

Apoiadores do presidente disseram que a morte de Paulo Gustavo era grande demais para ser ignorada, diferente dos casos de outros artistas

Passava um pouco da meia-noite desta quarta-feira quando uma mensagem do presidente Jair Bolsonaro no Twitter surpreendeu seus apoiadores.

“Meus votos de pesar pelo passamento do ator e diretor Paulo Gustavo, que com seu talento e carisma conquistou o carinho de todo o Brasil”, escreveu Bolsonaro, poucas horas após a confirmação da morte do humorista.

Uma mensagem presidencial que deveria ser algo natural, tendo em vista a popularidade do ator vitimado pela Covid-19, mas que neste caso ganhou um significado especial.

Bolsonaro, afinal, tem por prática ignorar mortes de celebridades pela Covid-19, o que fez nos casos, por exemplo, de Aldir Blanc e mesmo de Agnaldo Timóteo, com quem dividia opiniões conservadoras.

Pouco antes, condolências pela morte de Paulo Gustavo já haviam sido externadas por um dos filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro. Outros bolsonaristas fizeram o mesmo, como a deputada federal Carla Zambelli e o comentarista político Rodrigo Constantino.

Apoiadores do presidente disseram que a morte de Paulo Gustavo era grande demais para ser ignorada, diferente dos casos de Blanc e Timóteo, ou mesmo de vitimados por outras causas, como o escritor Rubem Fonseca e os cantores Moraes Moreira e João Gilberto.

O clima de comoção nacional, afinal, já se desenhava nas redes sociais desde o início da semana, com a piora do quadro do humorista.

A questão para o presidente era delicada, uma vez que Paulo Gustavo era declaradamente homossexual e com perfil de esquerda. Bolsonaro, que minimizou a pandemia desde o início, seria previsivelmente acusado de hipocrisia ao expressar condolências, o que se confirmou.

A solução encontrada, rapidamente ecoada pelas vozes que apoiam o presidente, foi buscar inverter o jogo, acusando os opositores de politizarem a tragédia, enquanto Bolsonaro estaria apenas se solidarizando com uma morte prematura.

“Estão tentando fazer dessa morte uma jogada política. Então agora lamentar uma morte é errado também?”, disse o deputado federal Bibo Nunes, do PSL, um dos mais atuantes defensores do presidente na Câmara.

Simpático ao presidente em comentários que faz em programas jornalísticos e nas redes sociais, Constantino seguiu linha parecida. “O padrão único se repetiu. Se Bolsonaro nada dissesse sobre a morte do humorista, seria acusado de insensível e monstro; como se manifestou prestando condolências, foi acusado de hipócrita e monstro”, escreveu.

O discurso não ficou restrito aos nomes mais conhecidos do bolsonarismo, mas também foi ecoado por militantes de base. Num grupo de apoiadores do presidente, a ativista Val Paschoalini, que coordena um pequeno movimento conservador na Grande São Paulo, publicou um vídeo em que faz uma espécie de apelo para que a morte de Paulo Gustavo não vire parte da batalha política.

“Vocês aí que estão politizando, vocês aí que estão brincando com a vida das pessoas, não façam isso. Não politizem a doença. A família, que já perdeu o seu ente querido, está totalmente fragilizada. Não façam isso com as pessoas, as pessoas não merecem esse tipo de tratamento”, disse.

Segundo o publicitário Sérgio Lima, que já trabalhou com Bolsonaro na criação do partido Aliança Pelo Brasil, agora suspenso, a manifestação do presidente sobre a morte do humorista foi correta. “É positiva essa postura e espero que isso a partir de agora seja repetido, sempre que acontecer”, afirmou.

Segundo Lima, a morte de Paulo Gustavo já vem sendo usada como palanque político. “Obviamente que a esquerda vai tentar colar isso no presidente, mas a população como um todo entende que ele não tem culpa”, diz.

De acordo com o publicitário, as críticas direcionadas a Bolsonaro neste momento são uma decorrência do choque natural causado pela morte de alguém com tamanha popularidade. “O Paulo Gustavo era tão querido pelo Brasil que se ele tivesse morrido de outra forma a comoção seria igual.” Ele não acredita que necessariamente a morte do ator vá se tornar um catalisador para os opositores do presidente, ou um símbolo da tragédia com a Covid-19.

Outro discurso frequente entre os apoiadores de Bolsonaro foi o de se solidarizar com a morte do ator, mas dizer que ela não é mais especial do que nenhuma outra na pandemia. “É uma morte a lamentar como a de qualquer pai ou mãe”, afirma o deputado Bibo Nunes.

Apesar disso, o ineditismo da declaração pública de Bolsonaro nesse caso mostra como o drama sofrido em público por Paulo Gustavo está longe de ser trivial. A explicação é simples. O ator e comediante tinha ressonância especial para um público de classe média baixa que Bolsonaro não pode se dar ao luxo de perder, caso queira se reeleger no ano que vem.

Por Folhapress

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo

Entretenimento

Horóscopo: Saiba o que os astros falam para você, hoje, 07 de Maio de 2021

Publicado

em

Consulte as Previsões do Horóscopo do dia hoje (Clicando aqui) para seu Signo e saiba os conselhos dos Astros sobre a sua vida. Saiba, todos os dias, as Previsões dos Signos sobre Amor, Dinheiro e Saúde.

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Entretenimento

Alexandre Garcia cria ‘climão’ na CNN ao defender ameaça de Bolsonaro

Publicado

em

O jornalista criou um climão com Rafael Colombo ao vivo

Na manhã desta quinta-feira (6), o jornalista Alexandre Garcia participou do quadro ‘Liberdade de Opinião’, no CNN Novo Dia, da CNN Brasil, onde acabou criando um ‘climão’ com o âncora Rafael Colombo, que comanda o telejornal.

Durante a atração, Colombo comentou com Garcia sobre a ameaça que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez ao declarar que poderá editar um decreto para garantir ‘direito de ir e vir’. Garcia, que sempre mostra seu apoio ao governo, afirmou que Bolsonaro quer apenas ‘cumprir’ a Constituição. Colombo, por sua vez, relembrou que o país enfrenta uma pandemia e as restrições de circulação fazem parte de protocolos para combater a disseminação da Covid-19: “O direito à vida também está na Constituição. Os governadores e prefeitos não estão tentando garantir o direito à vida?”, relembrou o apresentador e voltou para Garcia comentar a informação.

Alexandre Garcia, então, ignorou Rafael Colombo e ficou em silêncio, parecendo que não sabia responder a perguntar. O âncora então encerrou a conversa e agradeceu a participação de Garcia, relembrando que o jornalista estaria novamente no quadro na edição desta sexta-feira (7). O ex-jornalista da TV Globo respondeu de forma ríspida: “Não sei se volto”, finalizou. Colombo respondeu: “O.K.”.

Nesta quarta-feira (5), o nome de Alexandre Garcia chegou a ficar entre os assuntos mais comentados do Twitter após internautas revelarem que o jornalista teria apagado vídeos em seu canal em defesa às ideias de Jair Bolsonaro. O youtuber Felipe Neto republicou uma publicação que destacava a informação. ‘Alexandre Garcia apaga e esconde vídeos negacionistas sobre vacina e Covid-19 de seu canal do Youtube’ e disparou: “Foram mais de 400 vídeos apagados pelo Alexandre Garcia do seu canal após o início da CPI”.

Por Rafael Damas

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending