Conecte-se Conosco

Mundo

Em Nova York, ministro da saúde do Brasil mostra dedo do meio para manifestantes

Publicado

em

Opositores do governo Jair Bolsonaro seguem protestando contra a presença da comitiva brasileira em Nova York, Estados Unidos.

Na noite desta segunda-feira (20), horário local, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, respondeu aos atos com um gesto obsceno.

Em vídeos que circulam nas redes sociais, é possível ver o ministro gesticulando com o dedo do meio, em sinal de repúdio. Queiroga estava dentro de um micro-ônibus que transportava outras autoridades brasileiras.

O protesto ocorreu em frente à residência da Missão Brasileira junto à ONU.

Conforme registrou o Conexão Política, a comitiva do governo federal está nos Estados Unidos para participar da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Por Conexão Politica

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Mundo

Laboratório americano anuncia acordo para acesso mundial à pílula anticovid

Publicado

em

O laboratório americano Merck Sharp & Dohme (MSD) anunciou nesta quarta-feira (27) um acordo que poderia permitir distribuir nos países pobres versões genéricas de seu tratamento anticovid-19 destinado a pessoas infectadas com o vírus.

O Medicines Patent Pool (MPP, que negocia as licenças de tratamentos com os titulares da patente) disse ter assinado um acordo de licença voluntária com a MSD para facilitar o alcance mundial a um preço acessível do molnupiravir, o medicamento antiviral oral experimental contra a covid-19 desenvolvido pela gigante americana.

Sujeito à aprovação por parte dos reguladores, o acordo contribuirá para fornecer amplo acesso ao molnupiravir em 105 países de baixa e média renda.

Os reguladores de medicamentos dos Estados Unidos e da União Europeia já estão analisando o tratamento.

Os antivirais como o molnupiravir atuam reduzindo a capacidade de multiplicação de um vírus e, com isso, contêm a doença.

O tratamento do molnupiravir, administrado em pacientes poucos dias depois de testarem positivo, reduz pela metade o risco de hospitalização e morte, segundo um ensaio clínico realizado pela MSD.

Nesse acordo, a MSD estabelece uma licença com o MPP, que pode então conceder autorizações aos fabricantes de medicamentos genéricos.

O acordo significa que os laboratórios que desenvolveram o medicamento não receberão direitos pelas suas vendas enquanto a covid-19 for considerada uma emergência de saúde pública internacional pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

(Fonte Folha PE)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Mundo

Governos e ONGs criticados por excluírem mulheres de reuniões com talibãs

Publicado

em

Potências mundiais e organizações de ajuda internacional, que clamam por um Afeganistão inclusivo sob o Talibã, enfrentam críticas por enviar delegações exclusivamente masculinas a Cabul para se reunirem com os radicais islâmicos.
Desde que assumiu o poder em agosto, o Talibã formou um governo sem mulheres e restringiu seu acesso a empregos e educação, gerando condenações no exterior.
Mas a presença feminina não tem sido muito melhor entre os países e grupos humanitários em seus encontros com os novos líderes afegãos, que buscam reconhecimento internacional.
“Mulheres de alto escalão devem liderar as interações com o Talibã (…) Não excluam as mulheres”, reclamou Shaharzad Akbar, líder exilada da Comissão Independente de Direitos Humanos do Afeganistão.
No Twitter, ela pediu aos governos e organizações humanitárias que “NÃO NORMALIZEM a exclusão das mulheres”.
Dar o exemplo
Heather Barr, da Human Rights Watch, criou uma lista com a hashtag “sausageparty” (festa da salsicha), de fotos enviadas pelo Talibã de seus encontros com delegações em Cabul.
“Os países estrangeiros e especialmente as organizações de ajuda devem dar o exemplo”, disse Barr à AFP.
“Ninguém deve deixar o Talibã pensar que esse mundo exclusivamente masculino que estão criando é normal”, acrescentou.
O Talibã postou dezenas de fotos nas redes sociais de seus encontros com representantes estrangeiros, e em nenhuma há mulheres.
Entre as reuniões notáveis incluem uma este mês do enviado britânico Simon Gass e os vice-primeiros-ministros em exercício Abdul Ghani Baradar e Abdul Salam Hanafi.
Uma autoridade disse à AFP que foi uma coincidência que o enviado especial e o chefe da missão fossem homens.
O Paquistão, que aconselhou o Talibã sobre como obter apoio internacional, também enviou fotos e um vídeo de um grupo de homens que acompanha o ministro das Relações Exteriores e o chefe da inteligência em suas reuniões em Cabul.
Fawzia Koofi, ex-legisladora e negociadora nas negociações de paz entre o governo afegão deposto e o Talibã no Catar, expressou sua raiva.
“Como líderes mundiais, quando falam dos direitos das mulheres, também devem agir, precisam mostrar que acreditam nisso, que não é apenas uma declaração política”, disse Koofi à AFP.
Sem complacência
Ainda mais perturbador, comentou Barr, são as muitas fotos de reuniões entre o Talibã e organizações humanitárias que parecem seguir o mesmo padrão.
Contactadas pela AFP, as organizações em causa destacaram sua dedicação aos direitos das mulheres e disseram que buscam incorporar as mulheres em seus encontros com o Talibã.
Mas várias admitiram ter mantido pelo menos uma reunião com os islâmicos sem a presença de mulheres.
O Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Unicef e Médicos Sem Fronteiras explicaram que nas ocasiões em que essas fotos foram tiradas haviam enviado pequenas delegações que só tinham homens.
Mas a Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho afirmou que uma mudança de última hora fez com que uma mulher que participaria de uma reunião não tivesse condições de comparecer, deixando apenas os homens.
A ausência de mulheres em cargos de alto escalão revela que, embora o Afeganistão seja um exemplo extremo, não é o único lugar onde as mulheres são excluídas.
“A crescente preocupação com os direitos das mulheres em uma sala cheia de homens parece estranha”, disse Barr.
A ONU anunciou recentemente uma missão exclusivamente feminina ao Afeganistão para discutir a educação de meninas com o Talibã.
Os líderes do Talibã, embora nunca tenham incluído mulheres em sua equipe, se encontraram com mulheres em diferentes ocasiões, inclusive durante negociações no Catar com o governo anterior do Afeganistão.
Koofi, que sobreviveu a duas tentativas de assassinato, hesitou em participar de conversas com os extremistas, que prenderam seu marido e ameaçaram apedrejá-la por pintar as unhas, em seu mandato anterior, de 1996 a 2001.
Mas sentar-se frente a frente com eles a fez se sentir “poderosa”. “Foi importante para mim me tornar visível e que minha mensagem fosse clara para eles”, disse à AFP em 2019.
Por:Diario de Pernambuco

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Mundo

Consulados dos EUA vão retomar entrevistas para tirar visto

Publicado

em

A Embaixada e os consulados americanos no Brasil vão retomar as entrevistas para a obtenção do visto americano no próximo dia 8 de novembro, mesma data em que as fronteiras dos Estados Unidos serão reabertas para o mundo. Necessárias para quem deseja viajar ao país e não tem visto ou precisa renová-lo, as entrevistas estão paralisadas desde maio de 2020 por causa da pandemia.

Segundo a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, a retomada dos processos vai começar por quem já está com a entrevista marcada, mas novas datas de agendamento devem ser abertas ainda para este ano.

Durante este período de paralisação, é possível dar entrada no processo de obtenção do visto até a etapa das entrevistas. A partir daí, o solicitante pode agendá-la para uma das datas oferecidas pelo consulado. No entanto, todas as datas até dezembro de 2022 estão preenchidas atualmente. A exceção é para casos de emergência ou de estudantes.

Com o retorno das atividades, a Embaixada informou que a abertura de novas datas de agendamento nos próximos meses vai depender da capacidade de atendimento e da segurança sanitária de cada consulado. “Há uma demanda reprimida muito alta, mas não sabemos ainda qual a capacidade iremos operar e poderemos aumentar com o retorno”, informou através da assessoria de comunicação.

Questionada sobre o número atual da fila de pessoas que aguardam a entrevista, a Embaixada disse que este é um número que não pode estimar porque cresce a cada minuto. No consulado americano de São Paulo, por exemplo, o número de atendimentos diários chegava a 3 mil nos anos anteriores à pandemia.

Antes de os consulados fecharem, a espera entre o agendamento e a entrevista, necessária no processo de obter o visto, durava, em média, 15 dias. Agora, quem deseja viajar ao país e precisa obter ou renovar o documento precisa aguardar até um ano e 2 meses ou conseguir reagendar a entrevista com a abertura de novas datas. Para isso, vai ser preciso ficar atento ao site da Embaixada diariamente quando as atividades retornarem.

Em 2019, 2,1 milhões de brasileiros foram aos Estados Unidos, de acordo com o relatório do Departamento Nacional de Viagens e Turismo americano. Trata-se do segundo destino internacional mais procurado no Brasil, atrás somente da Argentina. “O brasileiro é um consumidor que gasta muito nos Estados Unidos. Para eles, é muito benéfico que esses vistos sejam adiantados”, afirmou Magda Nassar, presidente da da Associação Brasileira de Agência de Viagens (ABAV).

Segundo a associação, desde que os Estados Unidos anunciou a reabertura das fronteiras, o número de interessados em viajar para o país cresceu 400%. Magda acredita que, por conta do alto número de turistas e de pessoas interessadas em negócios, os consulados devem ter um plano de retomada para facilitar a obtenção do visto. “O interesse maior é do destino, para receber consumidores, então acreditamos que eles devem facilitar esse processo para alterar o fluxo”, disse.

Por Estadão Conteúdo

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending