Conecte-se Conosco

Esporte

Emerson Sheik confirma que pode ser dirigente do Corinthians

Publicado

em

[responsivevoice_button voice=”Brazilian Portuguese Female”]

‘Eu sou apaixonado pelo Corinthians. Eu já manifestei isso. Seria um enorme prazer trabalhar no Corinthians’, afirmou o jogador em entrevista.

Emerson Sheik pode deixar apenas a função de jogador no Corinthians, já que se aposenta após o final do Campeonato Brasileiro. O jogador pode assumir função como dirigente do clube paulista.

Em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo, neste domingo (2), Emerson Sheik falou se sua paixão pelo Corinthians e confirmou que existe a chance de assumir algum cargo no clube, conforme adiantou o UOL Esporte.

Eu sou apaixonado pelo Corinthians. Eu já manifestei isso. Seria um enorme prazer trabalhar no Corinthians. Trabalharia sim, mas de uma forma que me sentisse útil, ajudar. Essa possibilidade existe”, contou Sheik.O UOL Esporte apurou em 26 de outubro que Emerson Sheik tem conversar adiantadas com Andrés Sanchez para assumir uma função em parceria com Alessandro no comando do futebol do clube. Sheik poderia trabalhar mais próximo de vestiário e jogadores. (Por Folhapress)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Esporte

Copa América começa com duelo entre Argentina e Canadá

Publicado

em

Vai começar a Copa América 2024! Nesta quinta-feira (20), Argentina Canadá se enfrentam, às 21h, horário de Brasília, no Mercedes-Benz Stadium, em Atlanta, pelo jogo de abertura da competição, válido pela 1ª rodada do Grupo A, que conta ainda com Chile e Peru.

Atual campeã da competição, quando bateu o Brasil no Maracanã, em 2021, e atual campeã do mundo, a Argentina chega como “super favorita” para conquistar o 16° título e se isolar como a maior campeã, posto que hoje divide com o Uruguai.

Com Messi, que pode estar disputando sua última competição pela seleção e a base do time campeão há menos de dois anos no Catar, os argentinos enfrentarão um Canadá que ainda tenta se encontrar.

Apesar de contar com nomes com Alphonso Davies, do Bayern de Munique e na mira do Real Madrid, Jonathan David, artilheiro do Lille, da França, o time canadense conta com muitos jogadores que atuam em ligas de menor competitividade e encontra dificuldades para performar em alto nível.

Problemas que foram vistos na Copa do Mundo 2022, onde começou muito bem os jogos contra Bélgica e Croácia, mas acabou perdendo e que ainda são vistos no atual ciclo, que incluem um empate com a França no último amistoso, mas goleadas sofridas para Holanda e Japão e uma eliminação para a Jamaica na Nations League.

Transmissão ao vivo de Argentina x Canadá

Continue lendo

Esporte

Sem Hulk e Paulinho, Atlético-MG enfrenta o Vitória no Barradão

Atlético enfrenta o lanterna Vitória nesta quinta-feira, às 18h30, no estádio Barradão, em Salvador (BA), pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

Publicado

em

Na busca pela reabilitação após a derrota polêmica para o Palmeiras na Arena MRV, o Atlético enfrenta o lanterna Vitória nesta quinta-feira, às 18h30, no estádio Barradão, em Salvador (BA), pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

O Atlético é considerado um dos favoritos ao título, mas foi goleado por 4 a 0 pelo Palmeiras. O time mineiro tem 13 pontos e precisa da vitória para se aproximar dos líderes.

Já o Vitória está pressionado pelo fraco início de competição, embora tenha conquistado seu primeiro triunfo na última rodada, quando bateu por 2 a 1 o Internacional. Mesmo assim é o lanterna, com apenas seis pontos.

No Brasileirão, Atlético e Vitória já se enfrentaram em 48 oportunidades, com 12 vitórias do time baiano, 22 dos atleticanos e 14 empates.

Do lado do Atlético, os atacantes Hulk e Paulinho, expulsos contra o Palmeiras, estão fora. A lista de desfalques ainda conta com o lateral-esquerdo Guilherme Arana,e os meias Alan Franco e Vargas com suas respectivas seleções, além de Rubens e Otávio, lesionados.

Mas nem tudo é notícia ruim. O goleiro Everton, o zagueiro Maurício Lemos e o meia Battaglia retornam após cumprirem suspensão automática. Quem se junta ao trio é o lateral-direito Mariano, recuperado de lesão. Com isso, o técnico Gabriel Milito conseguirá encorpar o time na ausência de seus principais atacantes, ao mesmo tempo que apostará nas categorias de base.

Thiago Carpini poderá optar por repetir a escalação do Vitória, com exceção do lateral-direito Willean Lepo, que recebeu o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir suspensão. Raúl Cáceres é o substituto imediato.

O treinador ainda deve contar com o volante Dudu e o atacante Iury Castilho, recuperados de uma virose. No entanto, ambos devem ficar como opções no banco de reservas.

“Eu vejo um Vitória mais sólido, mais consistente defensivamente e mais vibrante. Quando a gente vê a evolução, a gente está construindo. A gente precisa seguir essa linha de posição”, afirmou o treinador.

Foto Getty

Por Estadão

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo

Esporte

Marquinhos diz que Argentina é a seleção a ser batida na Copa América

Para o Marquinhos, o Brasil precisa mostar em campo que também é um dos favoritos.

Publicado

em

O zagueiro Marquinhos afirmou que a Argentina, por ser a atual campeã da competição, é a seleção a ser batida na Copa América. Para o defensor, o Brasil precisa mostrar em campo que também é um dos favoritos.

Favoritismo argentino: “Acho que a atual campeã é sempre a equipe a ser batida. Mas independente do momento, a gente viu a seleção argentina ganhar da gente na Copa América e a gente vivia momento melhor. Isso não quer dizer nada. Dentro de campo, muita coisa muda.”

E o Brasil? “Pela história e camisa, vamos estar focados. Mas o dentro de campo vai falar muita coisa. Equipes em bom momento talvez não sejam campeãs. Cada seleção vai fazer a sua história. Brasil sempre será um dos favoritos, mas dentro de campo temos que mostrar.”

Preparação para melhorar detalhes. “Temos um time com qualidade ofensiva muito boa. Tivemos bastante foco na transição e de pós-perda. Se estamos pressionando em bloco, que todos saibam o que fazer. Se estamos em bloco mais baixo, sabendo o que fazer, as coberturas dos volantes, o ponta fechando do lado contrário. Foram detalhes que a gente focou bastante. Sem esquecer que a seleção brasileira é alegria de jogar. Com campos menores, isso ajuda a fase defensiva, dificultando a parte ofensiva, principalmente se encontrarmos seleções mais fechadas. É importante ter estratégias. Esse tempo a gente procurou melhorar esses detalhes.”

CONFIRA OUTRAS RESPOSTAS DO ZAGUEIRO MARQUINHOS EM ENTREVISTA COLETIVA:

Balanço

Foi um tempo de preparação muito produtivo. Penso que para o professor e nós jogadores de ver muita coisa e testar muita coisa. Eu pude colher muitas informações. Um novo treinador, um novo ciclo, uma nova identidade que estamos tentando criar. Esses dias foram muito bons e produtivos.

O lado extracampo também foi muito bom, tranquilo, organização boa, tivemos tudo a nosso favor, questão de hotel, treinamento, tranquilidade para poder trabalhar. Tivemos alguns dias de folga, conseguimos ir ao parque, passear, sem problemas. Tudo isso acho que influencia na preparação. A gente sabe que está longe do perfeito. Estamos sempre tentando melhorar e aprimorar o que a gente pode, principalmente em questões de resultado. Mas para um começo de ciclo, foi favorável.

Reformulações no PSG e seleção

São ciclos. A seleção e o PSG… eu já venho vivenciando alguns ciclos. Tempo passa, jogadores vão e vem, principalmente em grandes clubes e seleção. Tem que estar sempre em alto nível. A gente tenta se adaptar da melhor forma. Um jogador para ser grande tem que saber se adaptar com esses momentos. A gente tenta se adaptar da melhor forma. Futebol não tem regra de sucesso muito clara. Tem time que troca tudo e deram certo. Outros, trocaram tudo e tiveram dificuldades. Vai muito do momento, do treinador, dos jogadores, da compreensão, da inteligência. Isso influencia nos resultados. Mas acho que com a experiência que a gente tem na seleção, mesmo com jogadores jovens, eles têm muita inteligência e eles vão se adaptar para melhorar o processo e encontrar a melhor forma de jogar.

O que ainda não está perfeito

Acho que todo começo de ciclo é difícil ser perfeito. Já vivenciei alguns e nenhum foi perfeito. É normal. É isso que estou tentando falar com os jogadores que estão chegando. Às vezes, a gente quer resultados, que tudo esteja perfeito de imediato. Mas isso acaba levando tempo. Por mais que joguemos juntos há tempo, a transição tem detalhes que precisamos melhorar. A gente viu na questão de desempenho dentro dos jogos que é normal que a gente tenha coisas a melhorar. A gente viu essas coisas no treinamento, com vídeos, questões táticas, defesa, ataque, cobertura, transição. São detalhes que sempre podemos melhorar, aperfeiçoar a calibrar mais. Até mesmo times que estão quatro, cinco anos juntos é difícil falar que está tudo perfeito. A gente tem essa consciência que a gente pode melhorar e estamos buscando acelerar essa perfeição. Chegar próximo o mais rápido possível.

Saúde Mental

É uma parte de extrema importância. Cada vez mais a gente vê o quanto está deixando de ser uma coisa de não se falar ou se preocupar. Todos, independente do ramo, seja seleção brasileira ou uma pessoa que está em casa. Todos têm que estar com psicológico e saúde mental bem. Quanto mais a gente vem vivenciado, sabemos lidar com as informações, os momentos. Já vivi momentos muito bons e muito ruins dentro da seleção. Sabemos o quanto é importante para todos os jogadores essa questão da saúde mental. A gente tem conversado, tendo dinâmica de grupo, sabendo que é ajuda psicológica esportiva, para a gente estar focado no nosso trabalho de metas e objetivos. Ela está aqui para ajudar com as metas do nosso dia. É mais isso. Está sendo muito importante. É conversa, a vida é isso, futebol é isso, a seleção é isso.

Referência na seleção

No futebol, acontece tudo muito rápido. Um dia eu tava vivenciando aqui com ídolos, com pessoas que eu me inspirei muito, que eu idolatrei. Alguns anos depois, estou podendo exercer esse papel. Nada forçado. Tudo é uma questão de tempo, de história, de dia a dia com eles também. Eu tento viver de uma forma normal, me aproximar cada vez mais dos jogadores que estão comigo. Quando o Thiago, David ou Miranda vinham falar alguma coisa, eu sei o quanto escutava e assimilava para mim. Eu vou falar, conversar. Até mesmo quando eu não presto atenção, tem que estar atento com suas atitudes. Tem sempre alguém vendo. No clube também. Sei do meu papel e tento trazer da melhor forma para a seleção. Ajudar de alguma forma esses meninos. Eu sei que tenho que estar sempre lutando pelo meu lugar. Ninguém tem lugar cativo. Eles tão vindo muito bem. Uma geração de zagueiros que vive um grande momento. Uma concorrência sadia e uma admiração comigo que eu possa ajudar de alguma forma.

Calor

É um aspecto importante. A gente veio para cá antes para se adaptar da melhor forma. Com dimensões do campo. Fazendo com as dimensões da Copa América. E a gente tem que ter atenção a mais com calor. Todos são profissionais para se preparar da melhor forma. A CBF está colocando a nosso favor para se hidratar bem, com pausas de treinamentos. Antes de treino e pós-jogo tem controle de hidratação. Para que os jogadores não percam muito peso. Todos sabem como fazer. A CBF faz um trabalho de apoio importante.

Copa América pavimenta Copa do Mundo?

A Copa América é uma competição histórica. Tem um peso grande ser campeão. É isso que a gente vem citando. A gente sabe a diferença quanto é bom ganhar e quanto é ruim perder. A gente leva isso com a gente, como bagagem. A gente passa essa informação para os que estão jogando pela primeira vez com a seleção. Ser campeão, para o ciclo, é muito bom. Foi bom para a gente e para a Argentina. Pode criar uma onda positiva, um caminho vencedor. É uma competição importante. São quase 20 dias trabalhando firme. A maioria em final de temporada, mas estamos trabalhando, tentando colher o máximo de informações para chegar à competição dando valor. Sabemos a diferença do ganhar e do perder. Todos são jogadores de alto nível e têm DNA de vencedor dentro deles. Por isso chegaram até aqui.

Foto  Lucas Figueiredo/CBF

Por Folhapress

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo
Propaganda

Trending

Fale conosco!!