Conecte-se Conosco

Saúde

Estudo aponta mais eficácia da Coronavac com intervalo maior entre doses

Publicado

em

A chamada eficácia primária, que representa a proteção da vacina contra a doença em qualquer intensidade, passou de 50,38% para 50,7%, chegando a 62,3% com intervalos maiores entre as doses

Um artigo científico em pré-print (ainda sem revisão por pares) aponta que a eficácia da Coronavac contra a covid-19 é maior do que o dado anteriormente divulgado. A chamada eficácia primária, que representa a proteção da vacina contra a doença em qualquer intensidade, passou de 50,38% para 50,7%, chegando a 62,3% com intervalos maiores entre as doses. Contra casos moderados, o imunizante tem eficácia de 83,7%, quando o dado anterior apontava 78%.

As informações constam de artigo elaborado pelos profissionais que conduziram os testes da Coronavac no Brasil, liderados pelo Instituto Butantan. O documento foi submetido para análise da revista científica The Lancet. O estudo avaliou o efeito da vacina em 12,4 mil voluntários em 16 centros de pesquisa no País e teve os primeiros resultados divulgados pelo governo de São Paulo em 7 de janeiro. A vacina começou a ser aplicada nacionalmente no dia 18 de janeiro e a produção pelo Butantan representa a maior parte das doses distribuídas até aqui.

“Esse estudo corrobora o que já havíamos anunciado há cerca de três meses e nos dão ainda mais segurança sobre a efetiva proteção que a vacina do Butantan proporciona. Não resta nenhuma sombra de dúvida sobre a qualidade do imunizante”, afirmou em nota à imprensa Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

A análise divulgada neste domingo, 11, aponta que os resultados de eficácia podem melhorar se houver um intervalo maior entre as doses. No estudo, a maior parte dos voluntários receberam as vacinas com intervalo de 14 dias dada a urgência para análise do imunizante e necessidade de proteção dos profissionais de saúde.

Os pesquisadores acreditam que um período de 28 dias seja o mais adequado. “Os dados sugerem que é recomendável encorajar intervalos maiores entre as doses, como 28 dias, na implementação da vacina”, escrevem no artigo.

A bula da Coronavac estipula o intervalo para a segunda dose como de 14 a 28 dias, mas a aplicação a partir do 21º já é defendida pelo Butantan desde o mês de janeiro. Um intervalo ainda maior entre as doses chegou a ser cogitado como forma de ampliar a cobertura da vacinação e acelerar a aplicação, o que acabou não sendo implementado. Um intervalo superior a 28 dias não é consenso entre os especialistas diante dos efeitos não estudados sobre a eficácia do imunizante.

Uma outra informação que consta do artigo é que a Coronavac se revelou eficaz na proteção contra as chamadas variantes de preocupação P.1 e P.2 do vírus SARS-CoV-2. “Apesar de as variantes terem várias mutações que são chave para o funcionamento de muitos anticorpos, houve uma neutralização consistente dessas variantes por parte do soro dos participantes que receberam a vacina inativada”, pontuaram os especialistas no documento.

O aumento da circulação da P.1, a chamada variante brasileira, primeiramente identificada em Manaus, é associado à vertiginosa elevação da curva de casos, internações e mortes vista no País a partir de janeiro. No início do ano, a crise em Manaus chegou a afetar o abastecimento de oxigênio, problema que se alastrou pelo Brasil a partir de fevereiro com continuidade em março, o mês mais letal da pandemia até aqui, com 66 mil mortes pela doença.

Por Estadão Conteúdo

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Saúde

Ministério da Saúde anuncia distribuição de doses para próxima segunda

Publicado

em

 

Ministério da Saúde distribuiu quase 1 milhão de vacinas da Coronavac/Butantan para uso apenas como segunda dose

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (8) que o Ministério da Saúde enviará 3,9 milhões de vacinas AstraZeneca/Fiocruz para todos os estados e o Distrito Federal. A Região Norte receberá 281,4 mil doses, a Região Nordeste terá 984,1 mil doses e a Região Centro-Oeste receberá 294,1 mil doses. Já as regiões Sudeste e Sul receberão 1,79 milhão e 624,3 mil doses, respectivamente. O comunicado foi feito em redes sociais.

Além disso, o Ministério da Saúde distribuiu quase 1 milhão de vacinas da Coronavac/Butantan para uso apenas como segunda dose. A ideia é completar os esquemas vacinais de mais de 900 mil pessoas. As doses da Coronavac começaram a ser entregues ontem (7).

Confira abaixo a divisão das doses do Butantan por UF:

Com informações da Agência Brasil

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo

Saúde

Pernambuco já aplicou 2.181.457 doses da vacina contra a Covid-19

Publicado

em

Até esta sexta-feira (07/05), Pernambuco já aplicou 2.181.457 doses da vacina contra a Covid-19, das quais 1.457.013 foram primeiras doses. No total, 724.444 pessoas finalizaram o esquema. Confira:
 Trabalhadores da saúde – 244.568 (1° dose) e 201.869 (2° dose)
 Povos indígenas aldeados – 25.073 (1° dose) e 24.716 (2° dose)
‍ Comunidades Quilombolas – 37.423 (1° dose) e 47 (2ª dose)
 Idosos institucionalizados – 6.424 (1° dose) e 4.766 (2° dose)
 Idosos (60 a 69 anos) – 532.803 (1° dose) e 139.655 (2° dose)
 Idosos (70 a 79 anos) – 389.754 (1° dose) e 265.858 (2° dose)
 Idosos (entre 80 e 84 anos) – 102.601 (1° dose) e 43.899 (2° dose)
 Idosos (85 anos e mais) – 88.844 (1° dose) e 42.534 (2° dose)
 Pessoas com deficiência institucionalizadas – 1.281 (1° dose) e 1.100 (2° dose)
 Trabalhadores das forças de segurança e salvamento – 6.277 (1° dose)
Pessoas com comorbidades – 19.520 (1ª dose)
‍Pessoas com deficiência permanente – 208 (1ª dose)
Gestantes e puérperas – 2.237 (1ª dose)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo

Saúde

Pernambuco recebe mais 165,1 mil doses da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19

Publicado

em

Um novo carregamento com 165.100 doses da vacina da AstraZeneca/Fiocruz contra a Covid-19 chegou em Pernambuco nessa quinta-feira, 6. O avião com 18 volumes enviados pelo Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), aterrissou no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes por volta das 16h20.

Segundo o governador Paulo Câmara, a Secretaria de Saúde iniciou o envio desses imunizantes para as 12 Gerências Regionais de Saúde (GERES) na madrugada desta sexta-feira, 7. Atualmente Pernambuco está vacinando idosos, trabalhadores da saúde, indígenas, pessoas com deficiência e idosos institucionalizados, quilombolas, forças de segurança e salvamento, pessoas com comorbidades e deficiências, gestantes e puérperas.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, explicou que Pernambuco aguarda a chegada de novas doses da Coronavac para a 2ª dose dos idosos, além de uma nova remessa da vacina da Pfizer.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending