Conecte-se Conosco

Brasil

Facebook diz que resolveu problemas no envio de mídias em suas redes sociais

Publicado

em

O Facebook afirmou na noite desta quarta-feira (3) que normalizou os problemas de envio de mídias em suas redes, Instagram e WhatsApp, além do próprio Facebook. Os aplicativos apresentaram instabilidade ao longo de todo o dia.

“Hoje, mais cedo, algumas pessoas e negócios tiveram problemas para carregar ou enviar imagens, vídeos e outros arquivos em nossos aplicativos. A situação foi resolvida e normalizada para todos. Pedimos desculpas por qualquer inconveniente”, afirmou a empresa, em nota.

O Facebook não informou as razões para a falha.

Às 21h30, pouco depois da divulgação do comunicado, usuários ainda relatavam problemas, em menor volume do que durante o dia. As queixas foram feitas tanto no Twitter, como no site Down Detector, que reúne relatos de consumidores sobre o status de serviços online.

Entre os principais problemas encontrados pelos usuários nesta quarta estão o envio de mídias, como fotos, vídeos, áudios e figurinhas (no caso do WhatsApp).

A maior parte dos usuários que passaram por problemas no WhatsApp estavam no Brasil, Argentina, Peru, Colômbia e alguns países da Europa. Já o Facebook e o Instagram tiveram muitas reclamações nos Estados Unidos e também na Europa.

Brasil

Caixa começa a pagar hoje décimo terceiro do Bolsa Família

Publicado

em

O governo desembolsará R$ 2,5 bilhões com o pagamento do benefício deste mês

Segundo a Caixa Econômica Federal, que administra os pagamentos, 13,1 milhões de famílias estão sendo atendidas pelo Bolsa Família em dezembro. O governo desembolsará R$ 2,5 bilhões com o pagamento do benefício deste mês, mais R$ 2,5 bilhões com o décimo terceiro.

O benefício extra será pago com o mesmo cartão, nas mesmas datas e por meio dos mesmos canais pelos quais os beneficiários recebem as parcelas regulares do Bolsa Família. Os beneficiários que recebem por meio de crédito em conta poupança ou na conta Caixa Fácil terão o valor do abono natalino creditado nas mesmas contas.

O calendário de pagamentos seguirá o dígito final do Número de Inscrição Social (NIS) do responsável familiar apresentado no cartão do programa.

Beneficiários com o final 1 serão pagos nesta terça-feira. O cronograma segue com o pagamento aos beneficiários com final 2 na quarta (11); final 3, dia 12; final 4, dia 13; final 5, dia 16; final 6, dia 17; final 7, dia 18; final 8, dia 19; final 9, dia 20, e final 0, dia 23. (POR NOTÍCIAS AO MINUTO)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Brasil

Força Nacional vai garantir segurança de povos indígenas no Maranhão

Publicado

em

A medida tem por objetivo “garantir a integridade física e moral dos povos indígenas, dos servidores da Funai e dos não índios”

Aportaria do Ministério da Justiça, que autoriza o uso da Força Nacional de Segurança Pública em apoio à Fundação Nacional do Índio (Funai) na Terra Indígena de Cana Brava Guajajara, localizada no estado do Maranhão, está publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (10).

A medida tem por objetivo “garantir a integridade física e moral dos povos indígenas, dos servidores da Funai e dos não índios” na região pelo prazo de 90 dias, contados a partir do dia 10 de dezembro e podendo ser prorrogado, se necessário.

De acordo com a portaria, o contingente será definido pelo ministério, de acordo com planejamento a ser realizado pela pasta.

No último sábado (7), um atentado contra líderes indígenas Guajajara, na BR-226, entre as aldeias Boa Vista e El Betel, resultou em duas mortes.

As mortes foram confirmadas pela Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular do Maranhão. Segundo a secretaria, há dois índios feridos em decorrência do ataque. (POR NOTÍCIAS AO MINUTO)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Brasil

Senado tenta acordo para acelerar votação do pacote anticrime

Publicado

em

A intenção dos senadores que trabalham o acordo é que não haja mudanças no texto para que ele possa seguir para a sanção do presidente Jair Bolsonaro ainda neste ano

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – A cúpula do Senado tenta costurar um acordo para acelerar a votação do pacote anticrime do ministro Sergio Moro (Justiça) que foi aprovado na Câmara na semana passada.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), postergou em duas horas o início da sessão do Congresso Nacional desta terça-feira (10) para dar tempo de a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) se reunir e votar o pacote. Inicialmente, o Congresso se reuniria às 11h, mas a sessão foi remarcada para as 13h.

A intenção dos senadores que trabalham o acordo é que não haja mudanças no texto para que ele possa seguir para a sanção do presidente Jair Bolsonaro ainda neste ano.

Se houver qualquer alteração que não seja apenas de redação, o projeto tem que retornar à Câmara, o que jogaria a conclusão da tramitação para 2020, já que o Legislativo trabalha apenas até a semana que vem. Depois que aprovarem o Orçamento, deputados e senadores retornam a Brasília apenas em fevereiro.

O Senado começou a costurar o acordo para tentar dar uma sinalização positiva à Câmara, Casa com a qual passou todo o ano em enfrentamento, e à população que, como mostrou pesquisa do instituto Datafolha, tem em Moro o ministro mais bem avaliado no primeiro ano do governo Bolsonaro.

Além disso, senadores disseram, reservadamente, que conversaram com Moro e, ao contrário do que tem dito publicamente, o ministro afirmou que concorda que o pacote seja aprovado sem modificações.

“A Câmara aprovou o projeto anticrime do Gov Fed [governo federal], unificado com propostas do Ministro Alexandre de Moraes. Há avanços importantes. Congratulações aos deputados. Há necessidade de algumas mudanças no texto. Continuaremos dialogando com CN [Congresso Nacional], para aprimorar o PL [projeto de lei]”, escreveu Moro no Twitter na semana passada, após a votação.

O texto do pacote anticrime aprovado pela Câmara deixou de fora algumas das principais bandeiras do ex-juiz, como o excludente de ilicitude, a prisão em segunda instância e o acordo de “plea bargain”, acordo penal em que o Ministério Público oferece ao réu uma pena mais branda do que a que ele poderia pegar caso fosse a julgamento.

A prisão em segunda instância é tratada em uma PEC (proposta de emenda à Constituição) que tramita na Câmara e de um projeto de lei que tramita no Senado. Além disso, o grupo de senadores lavajatistas pretende apresentar um projeto de lei em fevereiro, quando o Congresso retoma suas atividades, para tentar restabelecer pontos do pacote que foram deixados para trás na Câmara.

A presidente da CCJ do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), pode acelerar o prazo caso haja algum pedido de vista no colegiado. O intervalo para a votação do pacote anticrime seria de uma a, no máximo, 24 horas. Caso haja algum requerimento para realização de audiência pública, diante do acordo com integrantes da comissão, ele seria derrubado.

Alcolumbre sinalizou aos colegas que, se o pacote for aprovado na CCJ, pauta a matéria em plenário assim que houver sessão do Senado, o que pode acontecer tanto na terça como na quarta-feira (11).Se o acordo não for adiante no plenário – o que tem sido recorrente neste ano –, a votação fica para 2020.A CCJ também pretende votar nesta terça-feira o projeto de prisão após condenação em segunda instância e uma PEC que permite o repasse de emendas parlamentares diretamente a estados e municípios, sem intermediação do governo federal.

Enquanto a PEC das emendas conta com simpatia dos líderes partidários e de Alcolumbre e deve ser apreciada ainda neste ano, o projeto de prisão em segunda instância, não.

Davi havia costurado com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), um acordo para abrir mão do projeto de lei que retoma a prisão após decisão colegiada e abraçar a PEC que tramita na Casa ao lado. Um projeto de lei tramita mais rapidamente que uma PEC e tem aprovação muito mais fácil, já que precisa apenas de maioria simples nas duas Casas.

Mesmo que seja aprovado na CCJ, o projeto da segunda instância ficará para 2020.

Por Folhapress

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda  

Trending