Conecte-se Conosco

Saúde

Fumaça da poluição é diferente da fumaça de queimadas; entenda

Publicado

em

Fumaça da poluição dos veículos, fumaça do cigarro, fumaça das queimadas. Existe diferença entre essas fumaças? Sim! Quem explica é a bióloga Mariana Veras. “A principal diferença ela está ligada com o material que está sendo queimado. No cigarro temos algo específico sendo queimado, e nas florestas, incêndios é outro tipo de matéria”. Mas a bióloga lembra que ambos trazem riscos para a saúde.

“O cigarro é uma exposição voluntária. Você usa porque você quer. A exposição à poluição, fumaça de queimadas, é involuntária. Você não tem opção de escapar”, completa Mariana.

Fumaça da poluição x fumaça da queimada

Os prejuízos para a saúde dependem de dois fatores: concentração de poluentes e tempo de exposição. “Embora os dois tragam riscos para a saúde, os episódios provenientes das queimadas são esporádicos. Já a poluição do ar está todos os dias nas nossas vidas”.

Nas cidades, a concentração de poluentes é menor que em uma queimada. Entretanto, na cidade o tempo de exposição é maior. Anos de exposição a uma fumaça com pequena concentração de poluentes pode ser mais prejudicial que uma única exposição à fumaça de queimada.

Prejuízos para a saúde

Nós respiramos, em média, 10 mil litros de ar por dia. As partículas de poluição presentes nas grandes cidades ou emitidas pelas fumaças das queimadas são prejudiciais para a saúde.

Mas quais prejuízos são esses? Quem não tem doenças respiratórias pode apresentar uma inflamação (pulmões, seios da face). Esse processo inflamatório pode aumentar o risco de infecção das vias respiratórias.

“Mas existe um outro grupo de pacientes. São os que já têm alguma doença respiratória. Ao inalar essas substâncias, essa pessoa pode ter uma crise de asma/bronquite, rinite”, alerta o pneumologista Clystenes Soares Silva.

Crianças e idosos são os que mais sofrem com a poluição. De acordo com o pneumologista, isso acontece porque eles não têm o sistema imunológico em pleno funcionamento. Na criança, o sistema imunológico não está totalmente formado. No idoso, o sistema de defesa está mais enfraquecido em razão do envelhecimento.

Sintomas da irritação das vias respiratórias

  • Olhos vermelhos e com coceira
  • Espirros
  • Coriza
  • Nariz entupido
  • Falta de ar
  • Tosse
  • Catarro
  • Chiado

Queimadas e saúde

Nas regiões com queimadas, os hospitais estão cada vez mais cheios. No Acre, onde boa parte do estado está coberto por fumaça há um mês, foram registrados mais de 47 mil casos de doenças respiratórias.

Em Lábria, no interior do Amazonas, houve um aumento de 15% nos custos de saúde. Já em Porto Velho, 380 crianças são atendidas todos os dias num hospital infantil – um aumento de 110% em relação ao último mês.

Um estudo da Fiocruz, em parceria com a USP e a Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte, revelou que os prejuízos para a saúde em regiões de queimada começam antes mesmo de nascer para 50% dos bebês.

“Esse particulado atravessa a placenta e vai prejudicar o desenvolvimento desse feto e, com isso, nós podemos detectar baixo peso ao nascer e prematuridade”, explica a pesquisadora da Fiocruz Sandra Hacon.

Na infância, os prejuízos mais evidentes são a asma, presente em 24% das crianças de 6 a 11 anos da região, e a perda de rendimento escolar. “Nós temos a perda da cognição, do aprendizado, a perda da memorização, da capacidade de aprendizado”.

Durante a vida, a exposição a queimadas leva ao aumento de casos de bronquite, pneumonia, depressão e hipertensão. E pior: “nós encontramos um poluente carcinogênico, proveniente das queimadas, diferente dos hidrocarbonetos que nós já conhecíamos, chamado reteno. Ele foi detectado em células de pulmão, o que comprovou seu efeito carcinogênico”, completa a pesquisadora.

Como minimizar danos

Melhorar a umidade do ar ajuda a diminuir as partículas menores que chegam aos pulmões. Veja outras dicas:

  • Beba água
  • Umedeça o ar do ambiente com umidificador, toalha molhada ou balde com água
  • Faça inalação
  • Melhore a defesa do corpo comendo alimentos ricos em vitamina C e B.

Por G1

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Saúde

Belmonte; Secretaria Municipal de Saúde realiza Campanha de Vacinação de Tríplice Viral

Publicado

em

A Prefeitura de São José do Belmonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) iniciou nesta ultima segunda-feira, 10 de fevereiro, até o dia 13 de março, a campanha de vacinação para atualização e Tríplice Viral.

Pessoas na faixa etária de 05 a 19 anos que ainda não tomaram a segunda dose estão convocadas para comparecerem a um posto de vacinação do município para saber quais vacinas devem ser tomadas ou reforçadas. A vacina é uma maneira de prevenir doenças, o que resulta na melhoria da saúde de toda a população. É importante levar a carteira de vacinação.

A campanha acontece nas seguintes Unidades Básicas de Saúde (UBS’s):

Centro de Vacinação
UBS Centro
UBS Cohab
UBS Cacimba Nova
UBS Vila Fortuna
UBS Vila Delmiro

A coordenadora do setor de epidemiologia, enfermeira, Tatiane Fonseca, destaca que o Dia “D” de vacinação acontecerá no dia 15 de fevereiro, sábado. “A preocupação da Administração Municipal é de imunizar todos os belmontenses, crianças, adolescentes e adultos, todos precisam estar com a carteira de vacinação atualizada”, argumentou.

 

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.001

Continue lendo

Saúde

Rotina de festas no carnaval exige cuidados com a saúde

Publicado

em

Veja algumas dicas para curtir os dias de folia da melhor forma

Para curtir todos os dias de folia no carnaval, é preciso estar atendo à saúde. O clima é propício para quadros de desidratação, alergias na pele e transmissão de infecções. Mas, com medidas preventivas, a festa segue com muita diversão e sem problemas.

Um dos primeiros alertas é para o consumo abusivo de bebidas alcoólicas e a mistura com energéticos. A nutricionista Luciana Sarmento, do Espaço Stella Torreão, diz que essa combinação aliada ao calor excessivo pode levar à desidratação e outros perigos como intoxicação alcoólica, vômitos e até desmaios. Além de se manter hidratado com água, isotônicos ou água de coco, ela indica uma alimentação adequada e leve.

A doença do beijo é bem comum no carnaval, embora o beijo não seja a única via de contrair o vírus da mononucleose. A contaminação também pode ocorrer por meio de espirro, tosse e saliva em copos e outros utensílios. A melhor prevenção é evitar o contato íntimo com muitas pessoas, já que nunca é possível saber quem está infectado.

E é só falar em carnaval que já pensamos no glitter e no sol que vai iluminar e aquecer a passagem do trio elétrico. “Os cuidados com o sol devem ser redobrados durante as atividades ao ar livre e não esqueça de usar roupas e sapatos confortáveis”, alerta Alessandra Romiti, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. A dica é moderar na maquiagem, em espumas e sprays para evitar alergias. Além disso, inclua chapéu ou boné de aba larga, óculos de sol com proteção UV e filtro solar.  (POR ESTADAO CONTEUDO)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.001

Continue lendo

Saúde

É hipocôndriaco? Nove sinais de quem tem ‘a mania das doenças’

Publicado

em

Já lhe disseram que tem ‘a mania das doenças’? Saiba que a hipocondria é mais do que uma mania e pode representar um perigo real

hipocondríaco tem um medo infundado de ter uma doença grave e mortal, com base na interpretação errónea de funções normais do organismo, explica o hospital CUF no seu site.

Nove sinais de que sofre de hipocondria

Procure ajuda se tem estes comportamentos:

1. Pensa frequentemente que tem uma nova doença e que vai morrer.

2. Preocupa-se excessivamente com a saúde e qualquer coisa serve para entrar em pânico: um espirro pode ser sinônimo de contágio por uma bactéria mortífera, uma tosse ligeira é sinal óbvio de tuberculose, uma dor de cabeça só pode ser um tumor.

3. Faz o autodiagnóstico com a ‘ajuda’ da Internet e não “baixa a guarda”, ainda que todos os médicos garantam que está tudo bem.

4. Chega mesmo a sentir os sintomas da doença que imagina ter e que nenhum exame objetivo comprova.

5. É um cliente assíduo das farmácias e tem o seu próprio stock de medicamentos em casa.

6. Está sempre a monitorizar o seu corpo e a queixar-se de problemas que mais ninguém vê.

7. Quando ouve falar de uma doença na televisão (como dengue, gripe ou Alzheimer), acredita que vai ser a próxima vítima.

8. Quando sente algo, como um ruído estranho ou uma dor nova, vai logo investigar no Google.

9. Acha que a sua família, os seus amigos e os médicos não levam as suas preocupações a sério.

Consequências

Conforme explica a CUF, dos grandes perigos é a automedicação, devido aos efeitos secundários e às interações entre fármacos. Outro risco sério é a realização de exames ‘a torto e a direito’, alguns dos quais são invasivos ou envolvem radiações. Por fim, para quem se lembra da história de Pedro e o Lobo, pode acontecer que quando for ‘a sério’ ninguém acredite.

Diagnóstico e tratamento

A hipocondria é mais do que uma mania temporária, sublinha o hospital CUF, é um distúrbio de ansiedade.

Para ser diagnosticada, tem de causar uma preocupação constante, um sofrimento intenso e uma deterioração da qualidade de vida durante pelo menos seis meses. É distinta da depressão, do distúrbio de pânico e da perturbação obsessivo-compulsiva (POC). O tratamento é possível. Este pode incluir psicofármacos (antidepressivos, neurolépticos, ansiolíticos) e/ou psicoterapia.

Por Notícias ao Minuto

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda  

Trending