Conecte-se Conosco

Educação

IA na Educação: conferência internacional debate sobre o uso da inteligência artificial

Publicado

em

A 25ª edição da International Conference on Artificial Intelligence in Education (AIED) começou nesta segunda-feira e segue até o dia 12 de julho. O evento, que está sendo sediado no Recife, pela Cesar School, tem como tema central a “IA na Educação para um Mundo em Transição” e se propõe a discutir o alinhamento das tecnologias de inteligência artificial com práticas pedagógicas, políticas educacionais e como ferramenta para uma aprendizagem fluida e equitativa.

Entre os destaques desta edição, está o professor visitante de educação na Harvard Graduate School of Education e professor de ciência da computação e tecnologia de aprendizagem na Universidade de São Paulo, Brasil, Seiji Isotani. Sua palestra irá abordar a “IA em Educação e Políticas Públicas: Um caso do Brasil”. Ela será na quarta-feira, dia 10 de julho, às 9h, no Grand Mercure Hotel, em Boa
Viagem, Zona Sul do Recife.

Em entrevista a coluna Enem e Educação, nesta segunda-feira (8), o professor e pesquisador falou sobre os desafios do acesso à tecnologia e como os recursos baseados em inteligência artificial podem ser utilizados para emponderar os docentes e estimular as habilidades dos estudantes em sala de aula.

Em abril, ao participar da 10ª edição da Brazil Conference 2024, Seiji Isotani afirmou que “o Brasil já é uma potência em inteligência artificial na educação”.

“A maioria das pessoas acredita que para você se beneficiar da inteligência artificial, é preciso ter uma infraestrutura avançada. E aí o trabalho que venho desenvolvendo junto com o NEES, aqui no Brasil e em outras partes do mundo, é tentar criar ou repensar como você desenha tecnologias baseadas em inteligência artificial que conseguem ser utilizadas em ambientes com restrição de recursos. Nesse contexto, você acaba utilizando os recursos que estão disponíveis, em uma determinada região, para levar os benefícios da IA para a população mais carente”, explicou Isotani.

Segundo o professor, ao exemplificar de forma prática, ele cita o fato de que pelo menos uma pessoa em cada escola, possui um telefone celular bom o suficiente para tirar uma foto.

“Imagina que você tem crianças com dificuldade de escrita, e aí essas crianças precisam escrever redações para melhorar as habilidades delas, alguém precisa fazer uma avaliação e dar o feedback para que ela consiga ir melhorando pouco a pouco”, afirmou. “Uma pessoa tira uma foto das redações destes alunos e quando a internet estiver disponível, e ela não precisa estar disponível a todo momento, essa foto é enviada para um servidor e ele faz uma avaliação automática dessa redação, retornando para o professor com um diagnóstico de dificuldades e pontos fortes de cada aluno”, completou.

RESISTÊNCIA POR PARTE DOS DOCENTES

No entanto, utilizar a inteligência artificial como aliado na sala de aula ainda encontra resistência por parte dos docentes. Seiji Isotani, que foi eleito presidente Sociedade Internacional de Inteligência Artificial na Educação (International Artificial Intelligence in Education Society, IAIED), acredita que essa questão ocorrer porque ainda não há tecnologias adequadas que apoiem os professores e professoras de fato.

“Muitas tecnologias dão suporte mais ao aluno e o professor fica meio ‘orfão’ nesse contexto. Diversas tecnologias de IA, principalmente as atuais, não foram feitas para o contexto escolar, o que pode gerar diversos problemas como informações inconsistentes, inadequadas, erradas e que podem prejudicar a aprendizagem dos alunos. E não tem formação, as competências digitais ainda não estão disseminadas em todos os professores da nossa rede”, declarou o pesquisador à coluna Enem e Educação.

Outro desafio, segundo sua visão, é desmistificar a inteligência artificial porque o mundo já é impactado pelo uso dessa tecnologia. “O nosso desafio para reduzir a resistência dos professores, não é nem tanto o professor em si, mas sim criamos tecnologias que de fato ajudem os docentes para que eles possam se apropriar destes recursos e consigam trabalhar as competências digitais de forma efetiva”, concluiu Isotani.

Conheça algumas ações do NEES que usam IA

O NEES desenvolve vários projetos em parceria com o Ministério da Educação (MEC). O núcleo reúne um time de 145 professores e pesquisadores de universidades brasileiras e estrangeiras.

– APA

O Acompanhamento Personalizado de Aprendizagem (APA) é um aplicativo móvel que usa Inteligência Artificial para melhorar as habilidades de escrita dos estudantes do ensino fundamental, sobretudo os de comunidades de baixa renda, por meio de tecnologias AIED para avaliar produções textuais manuscritas e fornecer feedback personalizado, apoiando a recuperação da aprendizagem.

– SPTe

O Sistema de Proteção das Trajetórias Escolares (SPTe) é um aplicativo móvel que ajuda a prevenir o abandono escolar, identificando alunos em risco. Utilizando uma tecnologia desplugada, orienta intervenções baseadas em fatores de risco. Há um sistema inteligente que fornece feedback aos gestores escolares.

 MathAlde

O MathAIde é uma plataforma que auxilia professores de matemática, otimizando seu trabalho através da Inteligência Artificial. Ao registrar e armazenar exercícios respondidos pelos alunos, a IA diagnostica o desempenho individual de cada estudante. Professores recebem relatórios personalizados, permitindo direcionar suas estratégias de ensino conforme os resultados da turma.

– PNLD

O NEES participa de sete etapas do Programa Nacional do Livro e do Material
Didático (PNLD), uma das ações governamentais de maior alcance do Brasil, a
distribuição gratuita de livros para milhões de alunos e professores de escolas
públicas. O time do NEES desenvolve soluções computacionais que abrangem
múltiplas áreas, incluindo cadastro de materiais, avaliação pedagógica, seleção de
trabalhos, qualificação, acessibilidade e distribuição dos livros e materiais.

Sobre AIED 2024

AIED 2024 será a 25ª edição de uma longa série de conferências internacionais conhecidas por pesquisas inovadoras e de alta qualidade sobre sistemas assistidos por IA e abordagens de ciências cognitivas para aplicações de computação educacional. A Sociedade AIED, que celebrou o seu 30º aniversário, organiza a conferência e tem como objetivo o avanço da ciência e da engenharia de ecossistemas inteligentes de tecnologia humana que apoiam a aprendizagem. Promove pesquisa rigorosa e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem interativos e adaptativos para alunos de todas as idades em todos os domínios.

O Comitê Brasileiro de organização da AIED 2024 é formado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade de Pernambuco (UPE), a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e a Universidade Federal de Alagoas (UFAL), além da CESAR School.

Serviço

25ª International Conference on Artificial Intelligence in Education (AIED 2024)

Quando: De 8 a 12 de julho

Onde: CESAR School

Informações: https://aied2024.cesar.school/home

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Inscrição para concurso da Justiça Eleitoral com 412 vagas termina nesta quinta

Publicado

em

As inscrições para o concurso unificado da Justiça Eleitoral terminam na próxima quinta-feira (18), às 18h, no horário oficial de Brasília. Ao todo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e 26 tribunais regionais eleitorais (TREs) oferecerão 412 vagas para 21 cargos das carreiras de analista e de técnico judiciário, ambos de nível superior de ensino, em diversas especialidades.

O concurso irá preencher vagas de cargos efetivos dos quadros de pessoal da Justiça Eleitoral, além da formação de cadastro reserva. O cargo com a maior oferta é o de técnico judiciário – área administrativa, com 208 vagas.

A remuneração mensal para analista judiciário é R$ 13.994,78 e para técnico judiciário, R$ 8.529,65, exceto para o cargo de técnico judiciário, na especialidade de agente da polícia judicial, de R$ 9.773,56. A jornada de trabalho será de 20 a 40 horas semanais, conforme o cargo de admissão.

O certame prevê ainda reserva de 20% de vagas para pessoas negras, 10% para pessoas com deficiência e 3% para indígenas.

Inscrição

A inscrição deve ser feita pelo site do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), a empresa que organizará o concurso.

Para concorrer aos cargos, é necessário ter diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de superior na área de atuação pretendida, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro no órgão de classe, quando requisitado.

A solicitação de inscrição com isenção de taxa também pode ser feita no mesmo endereço eletrônico. O edital prevê duas situações para o pedido de isenção. O candidato deve ser membro de família de baixa renda, inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), e ser doador de medula óssea em entidades reconhecidas pelo Ministério da Saúde, conforme a Lei nº 13.656/2018. A documentação referente à solicitação de isenção de pagamento da taxa de inscrição deve ser enviada de forma eletrônica no site do Cebraspe.

Para concorrer a uma das vagas reservadas a pessoas com deficiência (PcD), o candidato deverá enviar, via upload, a imagem legível do laudo assinado por médico da área da deficiência do candidato, com a data de emissão de, no máximo, 36 meses anteriores ao último dia de inscrição neste concurso público.

Taxa de inscrição

A taxa de inscrição é R$ 130, para quem quer concorrer aos cargos de analista judiciário, e R$ 85, para os de técnico judiciário.

O prazo para o pagamento da taxa é até 9 de agosto. O candidato deverá usar a Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança), gerada na conclusão do preenchimento da ficha de inscrição online, no site do Cebraspe. O documento pode ser pago em qualquer banco, em casas lotéricas e agências bancárias. Se o candidato optar pelo pagamento via Pix, deve usar o QR code apresentado na GRU Cobrança.

Fases

A seleção ocorrerá por meio da aplicação de provas objetivas para todos os cargos; prova discursiva somente para os postos de analista judiciário; teste de aptidão física somente para agente da polícia Judicial; e avaliação de títulos somente para os cargos de analista judiciário.

Todas as fases do concurso serão realizadas nas capitais dos 26 estados da federação e no Distrito Federal. E as provas objetivas e discursiva serão aplicadas de forma simultânea em 22 de setembro de 2024.

Fonte: IstoÉ

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo

Educação

Concurso de Professor: TCE deve determinar que Governo de Pernambuco nomeie quase 5 mil concursados

O site apurou que o TCE deve manter decisão favorável aos professores na fila de reserva do concurso e exigir que o Governo de Pernambuco faça nomeação.

Publicado

em

A Auditoria Especial criada pelo Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) para avaliar a possibilidade de nomear aprovados no cadastro de reserva do concurso do cargo de professor na rede estadual deve emitir parecer favorável aos concursados em aguardo. 

O site jamildo,com apurou que a conclusão do TCE-PE sobre o recurso do Governo de Pernambuco irá determinar que quase cinco mil concursados do cadastro reserva sejam nomeados

A Auditoria Especial deve ser concluída ainda neste mês de julho, quando o TCE encerrará a análise da defesa da Secretaria de Educação de Pernambuco. 

A situação pode indicar que os contratos temporários no cargo de professor que estejam nessas vagas sejam dispensados de suas posições, de forma planejada, para não prejudicar a continuidade do ano letivo nas instituições de ensino.  

Caso dos contratos temporários para professor

O TCE iniciou a auditoria para apurar o caso após o Governo de Pernambuco entrar com recurso contra a medida cautelar que determinava à Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE-PE) que nomeasse os aprovados no concurso.

A medida cautelar foi revista em sessão plenária do Tribunal de Contas presidida pelo Conselheiro Carlos Neves, em 08 de maio. A decisão anterior favorável aos professores foi concedida pelo Conselheiro Substituto Marcos Flávio Tenório de Almeida, em 21 de março. 

O recurso do estado foi parcialmente aceito pelo TCE, que retirou a exigência de que os contratos temporários fossem imediatamente substituídos pelos concursados na fila de reserva.

O processo foi iniciado após uma das candidatas classificadas no concurso denunciar o Governo ao TCE sob a alegação de que a rede de educação pública estadual mantinha contratos temporários para professor, em vez de convocar os aprovados que aguardavam nomeação. 

Tal posição foi acatada pelo Tribunal, que considerou a conduta da SEE sobre as contratações uma infração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

A determinação do relator do processo é de que, enquanto houver um cadastro reserva com candidatos aprovados, a secretaria não poderá renovar ou criar novos contratos para função. 

A decisão permitia a manutenção dos profissionais contratados até a conclusão da auditoria especial e determinou que a SEE não criasse ou renovasse contratos temporários no cargo de professor, salvo situações excepcionais. 

Acompanhe notícias de economia e política em jamildo.com, editado pelo jornalista Jamildo Melo, ex-titular do Blog de Jamildo do Jornal do Commercio (JC).

Por Jamildo

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo

Educação

“Não podemos empobrecer a experiência do estudante”, afirma o novo secretário de Educação de Pernambuco ao destacar a reforma do ensino médio

Publicado

em

O novo secretário de Educação e Esportes de Pernambuco, Alexandre Schneider, considerou positiva a aprovação do projeto de lei da nova reforma do ensino médio pela Câmara dos Deputados. Segundo Schneider, o modelo, que agora seguirá para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com mudanças a serem implementadas já em 2025, foi construído dentro do que era possível “diante de uma situação política complexa”.

O substitutivo apresentado pelo deputado federal e relator do PL, Mendonça Filho (União-PE), manteve as 2,4 mil horas para os cursos de ensino médio regulares, com garantia de flexibilidade de 600 horas para os itinerários formativos, nos quais os estudantes poderão escolher aprofundamentos nas áreas de conhecimento (linguagens; matemática; ciências da natureza; e ciências humanas e sociais aplicadas). Para os estudantes que optarem pelo itinerário da formação técnica e profissional, será preservada a carga horária de até 1.200 horas para os cursos que exigem maior carga horária para a formação profissional, a exemplo de cursos técnicos da área de saúde e de tecnologia da informação.

Diante das mudanças, Alexandre Schneider afirmou à coluna Enem e Educação, nesta quarta-feira (10), que o Governo do Estado vai iniciar uma pesquisa com os estudantes pernambucanos — do 9º ano do ensino fundamental, dos 1º, 2º e 3º anos do ensino médio e aqueles que já concluíram os estudos — para identificar o que esses jovens querem para o futuro e o que os faz permanecer na escola.

A ideia é que a rede estadual de ensino possa ofertar uma formação mais robusta a partir dos dados coletados. “O que foi feito, esse retorno [do aumento da carga horária para formação geral básica], é um bom caminho, porque possibilita que tenhamos um itinerário técnico para aqueles que desejam ter, mas fortalece a formação geral básica. Mesmo o estudante que opta pelo técnico, ele precisa de uma formação geral boa para seguir a profissão ou para eventualmente ir para a universidade enquanto trabalha. Não podemos empobrecer a experiência desse estudante”, comentou o secretário da Educação.

AÇÕES COMPACTUADAS JUNTO COM OS PROFESSORES

Ex-secretário municipal de Educação de São Paulo, Alexandre Schneider também falou sobre o desafio de assumir a pasta em Pernambuco, adiantando que, por ter apenas dois anos pela frente, não pretende ficar “olhando para o lado ou para trás”.

“Aqui nós temos uma boa história do ensino médio e que pode melhorar. A governadora tem dito muito, e ela tem razão, que Pernambuco já mostrou que pode mais. O estado saiu de uma situação muito ruim, hoje ele se encontra em uma situação muito boa relativa, mas ainda tem 7% dos alunos com aprendizagem adequada, que é a média nacional. Então a gente precisa garantir que todos aprendam”, disse em entrevista à coluna Enem e Educação.

Com isso, o secretário da SEE-PE quer desenhar um indicador para as desigualdades educacionais em todo o território estadual. “Não adianta eu ter uma média boa, ter um grande número de contingente de alunos que estão na escola, mas não estão aprendendo. Nós temos que trabalhar para que as escolas olhem para as desigualdades por raça, gênero e situação de vulnerabilidade”, pontuou Schneider.

Esse planejamento, que busca elevar a qualidade do ensino, também passa, principalmente, por apoiar os docentes que fazem parte da rede. “Todas as discussões sobre currículos, materiais e formações precisam ser feitas com os professores, eles precisam acreditar nesse trabalho. Então, nesse período, em especial com o novo currículo que a gente vai ter que rapidamente mudar, vamos trabalhar para que eles possam ser agentes desse processo, possam dizer aquilo que está faltando e a gente possa correr atrás”, completou o secretário estadual de Educação.

Fonte:JC

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo
Propaganda

Trending

Fale conosco!!