Conecte-se Conosco

Pernambuco

Marília Arraes reafirma que é candidata no Recife e espera aval nacional

Publicado

em

A deputada federal Marília Arraes reagiu ao presidente do PT do Recife, Cirilo Mota, que convocou uma reunião para esta quarta-feira (15) para apresentar “importante resolução” da executiva na capital pernambucana.

Aliado do senador Humberto Costa, Cirilo Mota falou sobre um indicativo para que os petistas se mantenham na Frente Popular, com o PSB.

Se essa fosse a decisão final para as próximas eleições, o partido não lançaria a candidatura da deputada federal Marília Arraes e apoiaria o primo dela João Campos, filho do ex-governador Eduardo Campos.

“O caminho que a executiva do PT encaminha para o debate é um caminho de aliança”, afirmou Cirilo Mota ao Jornal do Commercio, nesta quarta.  Veja as reações de Marília Arraes abaixo.

O posicionamento sobre a resolução

“Respeito o posicionamento tanto de Cirilo quanto de quem tem esse direcionamento. Mas o nosso posicionamento é diferente e nós vamos fazer de tudo para que prevaleça a posição de independência do partido, que é de ter uma candidatura própria, não pode o PT ser o protagonista nacional a oposição a Bolsonaro e ficar como linha auxiliar de outro partido em um estado importante como é Pernambucano, mas é essencial nessa discussão destacar que a decisão sobre as capitais e a estratégia eleitoral das capitais vai ser tomada nacionalmente”. 

Executiva Nacional

“A Executiva Nacional vai ter a sua definição de composição essa semana, estou indo a São Paulo amanhã, para participar da posse do diretório nacional, e a gente vai ter acesso, vai saber quem vão ser os nomes que vão compor a Executiva Nacional, o GTE Nacional e a partir dai, saber o que o PT pensa para as capitais. Foi o que aconteceu em 2018, o partido estadualmente definiu por ter uma candidatura própria. Mas nacionalmente, ele considerou que para a estratégia partidária nacional, deveria ter uma aliança com o PSB. Por isso, nós não tivemos a candidatura. Mas agora é um contexto totalmente diferente. A gente está vivendo em um momento que o PT tem chances de ganhar a eleição em poucas capitais do Brasil, o Recife é uma delas. Há esse precedente de 2018, que já aconteceu uma vez e a gente tá pontuando bem nas pesquisas e o partido definir por uma estratégia diferente. Dificilmente esse raio cai duas vezes no mesmo lugar e fora que a estratégia nacional do partido tem se alinhado, pelo discurso do presidente Lula, e das principais lideranças nacionais de que é importante que a gente tenha candidatura nas principais cidades do Brasil, não somente nas capitais, mas também nas grandes cidades. Tudo indica que nacionalmente vai se direcionar para esse caminho de ter uma candidatura própria. É claro que a gente quer que haja o mínimo de fragmentação possível e que haja menos danos a unidade interna do partido do que houve em 2018″.

Oposição ao PSB

“Me mantenho na oposição ao PSB, não apoiei o candidato do PSB ao governo, não fiz campanha para o candidato do PSB ao governo, não indiquei absolutamente nenhum cargo para compor governos do PSB. Então, discordo desse posicionamento dele, apesar de respeitar e achar que ele tem o direito de se expressar. Agora, não vejo vantagem em se tornar linha auxiliar de um partido quando você tem potencial para ser personagem principal, e também não vejo uma secretaria ou duas secretarias, uma secretaria no estado, outra no município. Não vejo isso como algo relevante para um partido que tem um protagonismo nacional, uma estratégia nacional como o PT”.

O debate sobre aliança desgasta o partido? 

“Faz parte, é o que faz o PT se manter vivo, ter essa vida interna tão pujante, é isso que faz o PT ter o tamanho que tem, é a democracia interna. Essa decisão será tomada na hora correta e com tempo hábil para a gente formar uma candidatura e chapa competitiva e disputar bem essa eleição”.

Sobre um dia apoiar o PSB ou a candidatura de João

“Eu não vejo hoje uma justificativa política para se apoiar o PSB, estamos na oposição há anos e o PSB não mudou sua forma de gestão, de diálogo, o que vimos foi uma leve mudança por interesse em manter o núcleo de poder que era Pernambuco, foi uma mudança puramente pragmática para se manter no poder. O PSB saiu do Foro de São Paulo, eles tem seus problemas internos que não deixa que eles tomem posição consolidada em relação a temas importantes ao país. Por exemplo, quantos deputados do PT não foram a favor da Previdência? Não vejo justificativa política para se apoiar o PSB, não acho que é uma boa gestão para a cidade do Recife, não acho que o governo do Estado esteja sendo bom. Não acho que justificativas eleitoreiras e pragmáticas sejam suficientes para que a gente mude de oposição”.

Entenda a polêmica

A entrevista do PT do Recife aconteceu um dia após o Blog de Jamildo publicar a articulação do PSL de Luciano Bivar, após o rompimento com Jair Bolsonaro, para voltar a se aliar ao PSB.

O presidente do PT na capital pernambucana apresentou ao JC o texto de uma resolução aprovada no último dia 8, em que a executiva municipal defende o apoio aos socialistas e a prioridade à formação de uma chapa de vereadores. De acordo com Mota, o objetivo é de dobrar o número atual, que é de dois parlamentares, com João da Costa e Jairo Britto. Além deles, que são pré-candidatos à reeleição, a chapa deve incluir o ex-vereador Osmar Ricardo, e a presidente do Sindicato dos Bancários, Suzaneide Rodrigues, por exemplo.

A resolução defende também a participação do PT nos governos Geraldo Julio, através da pasta de Saneamento, e Paulo Câmara, com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, a Empresa Pernambucana de Transportes Intermunicipais (EPTI) e a Secretaria Executiva de Desenvolvimento Social.

Para Cirilo Mota, a aliança é ainda uma estratégia contra os possíveis candidatos de direita. “Nossa principal tática é derrotar o governo Bolsonaro”, explicou. Humberto Costa usa o mesmo argumento.

Mota alegou também que a aliança com o PSB foi vitoriosa em 2018. “Foi nesse campo de aliança que os governos do PT se elegeram, com João Paulo [hoje no PCdoB, após romper com os petistas por causa da divisão do partido entre lançar ou não Marília Arraes para o Governo de Pernambuco] e João da Costa”, disse o presidente do partido no Recife.

Na última eleição, quando a candidatura de Marília Arraes foi retirada para viabilizar o retorno do PT à aliança, Humberto Costa foi reeleito para o Senado e a parlamentar e Carlos Veras para a Câmara dos Deputados. 

Na mesma chapa que Humberto Costa, foi eleito Jarbas Vasconcelos (MDB), opositor dos petistas.

PT e PSB romperam no Recife em 2012, quando Eduardo Campos aproveitou um racha no partido, que não lançou João da Costa à reeleição, para viabilizar a candidatura de Geraldo Julio. Em 2014, o PT entrou na chapa de Armando Monteiro Neto (PTB), formando a coligação também na chapa proporcional, e não conseguiu eleger nenhum deputado federal. Já em 2018, também dividido após a desistência da postulação de Marília Arraes, os petistas formaram uma chapa “puro sangue”.

Para 2020, a deputada tenta viabilizar a candidatura à Prefeitura do Recife. Quando visitou o Recife após ter sido solto, em novembro, o ex-presidente Lula (PT), visitou Marília Arraes. Porém, se encontrou também com João Campos. (Do Blog de Jamildo)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Pernambuco

Veja as capas dos principais jornais de PE, desta Quarta-Feira, 12 de Agosto de 2020

Publicado

em

Veja a capa com as principais manchetes dos principais jornais de PE, desta Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020.

Capa do jornal Folha de Pernambuco 12/08/2020Capa do jornal Jornal do Commercio 12/08/2020

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973

Continue lendo

Pernambuco

Tribunal de Justiça de Pernambuco celebra 198 anos na próxima quinta-feira

Publicado

em

Com o tema “Acompanhando as transformações do mundo”, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) comemora, na próxima quinta-feira (13), seus 198 anos. Por causa da pandemia do novo coronavírus, a sessão solene comemorativa, que acontece Sala de Sessões Desembargador Antônio de Brito Alves, no Palácio da Justiça, será transmitida virtualmente, às 17h, pelo YouTube.

A solenidade contará com uma celebração ecumênica de ação de graças, com mensagens do arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido; do orador espírita professor Humberto Vasconcelos e pelo bispo-auxiliar da Igreja Episcopal Carismática do Brasil, Dom André Novaes. Na sequência, será realizada uma conferência com o tema “Inteligência Artificial”, pelo corregedor nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e presidente eleito do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins. Haverá ainda discurso do presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira.

Ao final da cerimônia, será realizada a entrega virtual do Diploma de Honra ao Mérito em reconhecimento à atuação de servidores, e também das Medalhas da Ordem do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado a pessoas físicas e jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham prestado serviços relevantes ao Poder Judiciário. Os homenageados com a medalha foram indicados por unanimidade de votos em sessão extraordinária do pleno, realizada por videoconferência, no dia 13 de julho deste ano, presidida pelo presidente do TJPE.

A distinção é conferida em três graus: Grão-Colar (Alta Distinção), Grande Oficial, Comendador, e Cavaleiro. No mais alto grau, Grão Colar de Alta Distinção, foram indicados para receber a honraria o desembargador eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Pernambuco (TRE-PE), Carlos Gil Rodrigues Filho; o corregedor geral do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas (TJAL), o desembargador Fernando Tourinho de Omena Souza; o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), Geraldo Francisco Pinheiro Franco.

A cerimônia marca também os seis meses de gestão do presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira. Nascido em Alagoas e graduado em Direito pela Universidade Federal daquele Estado em dezembro de 1976, Cerqueira ingressou como magistrado do Poder Judiciário de Pernambuco em 26 de outubro de 1982, alçando ao cargo de desembargador do TJPE em 5 de julho de 2005, tendo sido também eleito Corregedor-Geral da Justiça para biênio 2018/2019, após o que foi eleito Presidente do Tribunal de Justiça deste Estado.

Durante a pandemia pelo novo coronavírus, o TJPE precisou se reinventar em todos os setores para continuar atendendo a população da melhor forma possível. “A pandemia acelerou o processo de transformação digital do Poder Judiciário, porque precisamos manter os serviços funcionando para continuar atendendo aqueles que mais precisam, mesmo com o isolamento social imposto pelo coronavírus”, destacou o Presidente. Ao longo do mês de agosto, o TJPE publicará em seu site, matérias abordando sua atuação em cada setor durante a pandemia, entre os quais estão Presidência, Conciliação, Mulher, Infância e Juventude, Juizados Especiais, 1º e 2º Graus.

História

O Tribunal da Relação da Província de Pernambuco foi instalado no dia 13 de agosto de 1822. Por meio de alvará, em 6 de fevereiro de 1821, Dom João VI determinou a sua criação, justificando-a com a citação de algumas dificuldades enfrentadas pelos habitantes de Pernambuco ao terem que recorrer judicialmente, até então, ao Tribunal da Relação da Bahia. A partir da instalação do seu tribunal, os pernambucanos não mais enfrentariam inconvenientes tais quais despesas excessivas, distância, interrupção do trabalho e, até mesmo, separação das suas famílias, para prosseguirem na busca de solução para as suas causas judiciais.

Por sete décadas, esse Tribunal administrou a Justiça em terras pernambucanas, mediando os conflitos que necessitavam de sua intervenção. Nesse período, a sua sede enfrentou constantes mudanças, funcionando, inicialmente, no antigo Colégio dos Jesuítas, localizado na antiga Praça 17, hoje Praça da República; em seguida no antigo prédio do Erário, situado na mesma praça; passando a se instalar, posteriormente, no andar superior da Cadeia Pública, na Rua da Cadeia – hoje Rua do Imperador –, onde funcionou até a sua extinção, em 1892.

Em cumprimento à Constituição Federal, promulgada em 24 de fevereiro de 1891, o Tribunal da Relação deu passagem ao novo modelo republicano de Justiça, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), criado por lei estadual. Em sua primeira década de existência, o STJ teve como presidentes os desembargadores Gervásio Pires, Francisco Correia de Andrade e Manoel do Nascimento Fonseca Galvão. Funcionou até o advento da Constituição Federal de 1934, quando foi denominado Corte de Apelação. Com a decretação do Estado Novo e a Constituição de 1937, o mesmo passou a ser chamado de Tribunal da Apelação, permanecendo assim até o ano de 1946, quando foi constituído como Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Pernambuco

Palanque Progressista ganha reforço de peso para as eleições municipais de Cachoeirinha

Publicado

em

O deputado federal e presidente do Progressistas no estado de Pernambuco, Eduardo da Fonte, se reuniu com o pré-candidato à prefeito da cidade de Cachoeirinha, Major Morais. Onde confirmaram a aliança, com um dos grupos político mais tradicional da cidade de Cachoeirinha, a família Raimundo.

Essa aliança vem para somar e fortalecer ainda mais a pré-candidatura à prefeito do Major Morais. Pois Euclides Raimundo(DEM), é filho do ex-prefeito, Roberto Gilson Raimundo, que foi prefeito por 4 mandatos. Hoje o Major Morais une as oposições em torno do seu projeto, “Um novo Começo “.

O Progressistas sob o comando do deputado Eduardo da Fonte, vem realizando um grande trabalho em todo o estado de Pernambuco, devendo fazer uma grande quantidade de prefeito.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo
Propaganda  

Trending