Conecte-se Conosco

Saúde

Menos fértil, paternidade tardia pode elevar risco de doenças para grávidas e bebês

Publicado

em

Saúde

Pernambuco já aplicou 3.754.438 doses da vacina contra a Covid-19

Publicado

em

Até esta sexta-feira (18/06), Pernambuco já aplicou 3.754.438 doses da vacina contra a Covid-19, das quais 2.731.842 foram primeiras doses. No total, 1.022.596 pessoas finalizaram o esquema. Confira:

‍Trabalhadores da saúde – 296.254 (1ª dose) e 217.325 (2ª dose)
 Povos indígenas aldeados – 26.073 (1ª dose) e 25.702 (2ª dose)
‍ Comunidades Quilombolas – 43.305 (1ª dose) e 2.896 (2ª dose)
Pessoas de 40 a 49 anos – 75.910 (1ª dose)
 Pessoas de 50 a 59 anos – 316.108 (1ª dose)
 Idosos institucionalizados – 7.700 (1ª dose) e 5.760 (2ª dose)
 Idosos (60 a 69 anos) – 659.130 (1ª dose) e 282.556 (2ª dose)
 Idosos (70 a 79 anos) – 398.325 (1ª dose) e 325.463 (2ª dose)
 Idosos (80 anos e mais) – 202.863 (1ª dose) e 156.408 (2ª dose)
 Pessoas com deficiência institucionalizadas – 1.554 (1ª dose) e 1.181 (2ª dose)
Trabalhadores das forças de segurança e salvamento – 17.964 (1ª dose) e 5.305 (2ª dose)
 Pessoas com comorbidades – 370.729 (1ª dose)
 Pessoas com deficiência permanente – 26.023 (1ª dose)
Gestantes e puérperas – 51.194 (1ª dose)
‍ Trabalhadores de serviços essenciais – 237.198 (1ª dose)
Pessoas em situação de rua – 851 (1ª dose)
 Pessoas privadas de liberdade – 661 (1ª dose)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Saúde

Melhora nos indicadores da saúde permite flexibilizar restrições em Pernambuco

Publicado

em

Macrorregiões 1, 2 e 4 passam a encerrar atividades às 22h nos dias de semana e 21h nos fins de semana. Macrorregião 3, que estava em quarentena rígida, terá horário limitado até as 18h.
O Governo de Pernambuco informou, nesta quinta-feira (17.06), que os municípios da Região Metropolitana do Recife, Zona da Mata, Agreste e parte do Sertão poderão avançar no Plano de Convivência, com horários estendidos de funcionamento de atividades e serviços. A partir da próxima segunda-feira (21.06), até o dia 4 de julho, para as Macrorregiões 1, 2 e 4 o horário de funcionamento de boa parte dos setores poderá se estender até às 22h durante a semana e até às 21h nos fins de semana. Na Macrorregião 3 – que engloba as Gerências Regionais de Saúde com sedes em Arcoverde, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada – a partir de segunda-feira, até o dia 27, as atividades econômicas poderão voltar a funcionar até às 18h, tanto nos dias de semana como aos sábados e domingos.
A secretária executiva de Desenvolvimento Econômico do Estado, Ana Paula Vilaça, explicou que entre as flexibilizações anunciadas há medidas específicas setoriais. “As academias terão de fechar às 22h durante a semana, e às 18h nos finais de semana. Além disso, museus, teatros e cinemas poderão voltar a funcionar, com limite de 30% da capacidade. Já os eventos corporativos poderão ser realizados com até 50 pessoas”, informou. O funcionamento do comércio de praia será decidido pelas prefeituras, assim como as medidas de fiscalização. A secretária esclareceu ainda que é preciso atenção máxima ao cumprimento aos protocolos para que a economia não precise sofrer novas restrições.
De acordo com o secretário estadual de Turismo e Lazer, Rodrigo Novaes, a retomada do comércio de praia nos fins de semana será um fator importante para o período de férias de julho. “Vamos trabalhar junto às prefeituras dos municípios litorâneos para que o ordenamento e a aplicação dos protocolos sejam observados nessa nova fase”, apontou.
Segundo o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Alexandre Rebêlo, continua sendo observado em Pernambuco uma desaceleração dos indicadores da Covid-19. “Em relação aos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), por exemplo, na Semana Epidemiológica 23, registramos uma redução de 10% em comparação à semana 22 e de 12,3% em relação à semana 21. Nas solicitações de leitos de UTI, houve redução de 16% no acumulado do Estado. A 1ª Macrorregião teve queda de 15%. O Agreste apresentou redução de 30%. A 3ª Macrorregião conseguiu reverter a tendência de alta e encerrou a semana com um cenário de estabilidade, com redução de 4%. Já a 4ª Macrorregião manteve a estabilidade, com uma leve oscilação de oito casos a mais”, analisou.
O secretário estadual de Saúde, André Longo, afirmou, por sua vez, que o número de solicitações de leitos de terapia intensiva nos primeiros quatro dias desta semana apontam para nova redução em todas as regiões. Já há uma queda de 11% na 1ª; de 28% na 2ª; 44% na 3ª; e 13% na 4ª Macrorregião. “O principal impacto destes indicadores é sentido na rede de saúde. Hoje a fila de espera por leito de UTI está zerada de maneira consolidada, além da taxa de ocupação das UTIs que, pela primeira vez em quase quatro meses, está abaixo de 90%”, disse.
André Longo atribuiu esses números, que mostram sinais de melhora, a uma série de medidas restritivas que foram intensificadas de forma progressiva, e também à vacinação e à expansão da rede de atendimento, além do impacto do final do período de sazonalidade. No entanto, ele reforçou que, apesar de estarmos colhendo frutos do esforço, o comportamento social de cada um permanece sendo determinante.

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Saúde

Voluntários para participar de testes da ButanVac já podem se candidatar

Publicado

em

Uma semana após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar a realização de testes em humanos com a Butanvac, o Instituto Butantan abriu, ontem, o pré-cadastro para voluntários que desejam participar do estudo com a vacina que será produzida totalmente no Brasil. A primeira etapa dos testes acontecerá com 418 voluntários que tenham mais de 18 anos. Apesar de começar a permitir a candidatura das pessoas, o início dos estudos só poderá ser feito após a autorização dos ensaios clínicos por parte da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), que ainda não recebeu os documentos para avaliar se aprova o início da pesquisa.
As avaliações serão feitas em três etapas e, na primeira, que reunirá 418 voluntários, analisará a segurança e qual dose é a mais apropriada para gerar anticorpos. A etapa A será conduzida pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto. Para se cadastrar, as pessoas podem encontrar mais informações no site criado pelo Butantan (https://butanvac.butantan.gov.br) e não é preciso ser um profissional de saúde para participar da pesquisa.
O diretor do Butantan, Dimas Covas, explicou que não é a instituição que fará a escolha dos voluntários, mas, sim, os complexos de pesquisas que realizarão as análises junto ao Instituto. “Esse é um pré-cadastro. Os voluntários são selecionados pelos centros que realizarão o estudo. O Butantan faz esse pré-cadastro no sentido de encaminhar as informações de forma detalhada às pessoas interessadas”, explicou. O Correio questionou a Conep por que o Butantan ainda não enviou os documentos, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.
Além de precisar da aprovação da Comissão antes de começar a aplicar o imunizante nos voluntários selecionados, o Butantan ainda deve apresentar à Anvisa informações complementares sobre testes em andamento com a vacina. Esta é a primeira vez em que a Butanvac será aplicada em humanos. Segundo a agência reguladora, os testes de fases 1 e 2 do imunizante serão feitos com duas doses, num intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda.
Dimas Covas explicou que o estudo clínico da Butanvac será de comparação de resposta imune — ou seja, os resultados serão comparados aos das vacinas que vêm sendo utilizadas contra a Covid-19. “É um estudo diferente, de comparabilidade de resposta imune. Com isso você pode chegar aos resultados de eficiência”, explicou. Os testes estão projetados para durar até 17 semanas.
Por:Diario de Pernambuco

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending