Conecte-se Conosco

Esporte

‘No Mundial saberão quem somos’, disse Pablo Marí, zagueiro do Flamengo

Publicado

em

Além do holandês, o técnico do Liverpool, Jürgen Klopp, admitiu ter pouco conhecimento sobre o Flamengo

campeão Flamengo se despede do Campeonato Brasileiro neste domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro. Após o jogo, o foco da equipe será total no Mundial de Clubes. A competição começa para o time do técnico Jorge Jesus apenas no dia 17 de dezembro, mas já tem sido assunto constante nas entrevistas. Nesta sexta-feira, o zagueiro Pablo Marí respondeu ao holandês Wijnaldum, jogador do Liverpool, que disse nesta semana não conhecer direito o time brasileiro.

Além do holandês, o técnico do Liverpool, Jürgen Klopp, admitiu ter pouco conhecimento sobre o Flamengo. As equipes são favoritas para disputarem o título da competição. “Jogando na Europa, conhecer jogador por jogador do Brasil, é um pouco difícil. Mostramos que podemos ser uma grande equipe, de nível mundial. Acredito que os times vão conhecer jogador a jogador do Flamengo. Isso nós conseguimos. É normal que agora comecem a conhecer. Daqui a pouco, no Mundial, vão saber quem somos”, afirmou o espanhol, em entrevista ao programa Seleção SporTV.

Marí afirmou que o torneio realmente tem um peso maior para os sul-americanos. Na Europa, segundo o espanhol, os clubes dão uma maior importância ao título da Liga dos Campeões. “Aqui no Brasil é o principal título. Para mim, que sou praticamente carioca, poder ganhar o Brasileiro, Libertadores e poder disputar o Mundial é algo muito grande. É a minha prioridade.”

O espanhol admitiu que se surpreendeu pela rápida adaptação ao futebol brasileiro. Marí se encaixou perfeitamente ao estilo de Rodrigo Caio, seu companheiro de defesa. “Quando você sai do seu país, muda de continente, nunca se espera que possa ir tão bem. Confio muito em mim, estava preparado para a oportunidade, mas sabia que tinha de aproveitar. Mas, evidentemente, que o nível que chegamos foi uma surpresa para todos.”

Segundo ele, o Flamengo possibilitou o que não conseguiu na Europa: oportunidade de mostrar o seu potencial. Marí, por exemplo, foi contratado pelo Manchester City, da Inglaterra, em 2016, mas nunca jogou pela equipe inglesa, sendo emprestado para Girona, NAC Breda e Deportivo La Coruña.

“Se o Manchester City me contratou é porque sou um bom jogador. Não tive essa oportunidade de mostrar quem é Pablo Marí. Já passou. Não tive chance, então não pude demonstrar muitas coisas”, afirmou. “Faltavam oportunidades na minha carreira. Graças ao Flamengo posso estar no meu melhor momento no futebol. Tive um grande salto de qualidade de onde estava e de onde estou agora.”

Recuperado de uma entorse no tornozelo direito, o zagueiro deve volta à equipe no jogo com o Santos, domingo, na Vila Belmiro, pela última rodada do Brasileirão. (POR ESTADAO CONTEUDO)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Esporte

Posso jogar pelo Brasil ou pela Itália’, diz Gabriel Martinelli

Publicado

em

Gabriel Martinelli se tornou a sensação do futebol inglês com a camisa do Arsenal. O brasileiro de apenas 18 anos, que até a temporada passada estava no Ituano e foi comprado por 6 milhões de libras (cerca de R$ 30 milhões), fez dez gols em 22 jogos e virou uma das grandes promessas do futebol mundial. O garoto atraiu os holofotes do mundo inteiro principalmente depois de correr 61 metros em 8,4 segundos para marcar um golaço no clássico com o Chelsea, semana passada. Ronaldinho Gaúcho, por exemplo, o comparou a Ronaldo Fenômeno. Após defender o Corinthians nas categorias de base, Martinelli ganhou destaque ao se tornar a revelação do Campeonato Paulista de 2019 pelo time de Itu.

O atacante, porém, ficou pouco tempo no interior paulista e foi para Londres. O Arsenal mantém um desempenho mediano no Campeonato Inglês. O time ocupa a 10ª posição na tabela, dez pontos atrás da zona de classificação para a próxima Liga dos Campeões – Martinelli tem sido a única boa notícia para os “Gunners”.

A presença de Martinelli nas próximas convocações da seleção brasileira, no entanto, ainda é uma incógnita. Ele também tem cidadania italiana e, em entrevista ao Estado, revelou que ainda não decidiu qual seleção pretende defender.

Você jogou na base do Corinthians, foi para o Ituano e hoje é conhecido no mundo inteiro. Como é passar por tudo isso?

Quando fiz 6 anos, o meu pai me levou para o Corinthians e não parei mais. Nunca pensei em desistir. Quando você chega aqui, começa a lembrar tudo o que passou. Ir de ônibus para o treino no Corinthians, tudo o que tive de passar com a família. Dou mais valor e sou grato por tudo o que aconteceu. A vida me ensinou. Me dá forças para continuar conquistando mais coisas.

Você é o primeiro jogador com menos de 20 anos a marcar dez gols em uma única temporada pelo Arsenal. Como avalia a sua atual fase?

É difícil pensar que até pouco tempo atrás eu estava jogando no Ituano e agora estou aqui. É muito bom ver essas pessoas falando de mim, mas tenho de focar e continuar trabalhando firme para conquistar coisas ainda maiores. Meu pai e minha mãe conversam bastante comigo e sempre me deixam com os pés no chão.

Você já pensa no seu futuro vestindo a camisa da seleção brasileira?

É claro que penso, mas ainda sou jovem. O meu foco principal agora é o Arsenal. Se for convocado, é consequência.

Cogita jogar pela Itália?

Tenho opção de jogar pelo Brasil ou pela Itália. Não tenho nada definido ainda. Estou fazendo o meu trabalho bem feito aqui no Arsenal. Isso tudo é consequência do bom trabalho que estou fazendo aqui.

A imprensa inglesa publicou que o Arsenal vai triplicar o seu salário para te afastar da concorrência. Você tem propostas de outros clubes?

Ninguém chegou a conversar comigo sobre isso. Estou focado no Arsenal e dando o meu melhor. Pretendo ajudar o Arsenal com mais gols e vitórias.

A torcida do Arsenal criou uma música para você (‘Gabi Martinelli’, no ritmo de Sugar, Sugar, canção da banda britânica The Archies, de 1969). Como é receber esse carinho?

Sou muito grato por tudo que eles fizeram desde quando cheguei ao Arsenal. Sempre mandam muitas mensagens, quando estou no jogo me aplaudem… Alguns vão na porta do CT, tiro foto no estádio, depois do jogo… É uma relação muito boa.

Você também se aproximou do Edu Gaspar, diretor do Arsenal?

Temos bastante contato. Ele é um cara super gente boa, que tenta conversar bastante comigo e dar conselhos. Sempre me deixa com os pés no chão. Pretendo fazer a minha história com essa camisa. Quero retribuir tudo o que os torcedores estão fazendo por mim e dar alegrias com gols e títulos.

Como foi a sua chegada ao Arsenal?

No primeiro dia foi bem interessante. Fiz as fotos no clube e fui almoçar, era uma mesa bem grande. Vieram falar comigo e eu não sabia nem responder. Em seguida, me troquei e fui para a academia. Todos os jogadores estavam lá e pensei: “é um sonho estar aqui do lado de estrelas do futebol”.

Você já domina o idioma?

Estou aprendendo. Para falar com os companheiros, a maioria sabe falar espanhol e consigo desenrolar um pouco do inglês. Para dar entrevistas, é mais difícil. Sem dúvida é uma das partes mais difíceis porque nunca tinha feito aulas de inglês.

Como é em relação aos treinos, horários, alimentação?

Minha mãe está aqui e faz a comida que eu gosto. Mas sinto muita falta do restante da minha família e dos amigos. Tenho três irmãs, duas são casadas e uma ainda é pequena, tem 8 anos. Não pôde vir porque está na escola. Sinto falta dela, estava acostumado a vê-la todos os dias, buscar na escola. Mas a gente se fala sempre por telefone.  (POR ESTADAO CONTEUDO)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Esporte

Santos bate Guarani e conquista primeira vitória com Jesualdo

Publicado

em

O time alvinegro sofreu bastante, mas derrotou o Guarani por 2 a 1, no Brinco de Ouro

técnico Jesualdo Ferreira conquistou sua primeira vitória no comando do Santos. Nesta segunda-feira, no fechamento da segunda rodada do Campeonato Paulista, o time alvinegro sofreu bastante, mas derrotou o Guarani por 2 a 1, no Brinco de Ouro, em Campinas, com um gol contra aos 47 minutos do segundo tempo.

Arthur Gomes abriu o placar na etapa inicial. Mesmo depois da expulsão de Lucas Abreu logo no começo do segundo tempo, o Guarani chegou ao empate com Rafael Costa e, no fim, o Santos contou com uma infelicidade de Pablo para comemorar o primeiro triunfo sob o comando do treinador português.

Com o resultado positivo, o Santos, que havia empatado na estreia com Red Bull Bragantino, chegou aos quatro pontos e está na liderança do Grupo A. Ponte Preta e Oeste somam três pontos. O Água Santa perdeu os dois jogos. Já o Guarani continua com três pontos, na segunda colocação do Grupo D, o mesmo liderado pelo Corinthians.

Sem Marinho e Kaio Jorge, lesionados, Jesualdo escolheu Arthur Gomes e Raniel para começarem o segundo jogo da temporada. O desenho tático era o mesmo da estreia, no empate com o Red Bull Bragantino, com Eduardo Sasha mais centralizado e os outros dois atacantes posicionados pelos lados do campo.

Outra aspecto idêntico ao primeiro jogo era o comportamento em campo. O Santos era muito lento na transição da defesa para o ataque, demorando demais para sair de trás e construir suas jogadas. Na primeira vez em que acelerou o jogo, aos 21 minutos, fez o gol. Sasha tocou na esquerda para Felipe Jonatan, que cruzou na área. Arthur Gomes desviou de cabeça longe do alcance do goleiro Jefferson Paulino.

O gol mudou o cenário da partida. Em vantagem, o Santos ficou com o jogo à feição do que desejava Jesualdo. O Guarani se expôs para buscar o empate e, desorganizado, oferecia o contra-ataque como o caminho, principalmente nas costas dos laterais Pablo e Bidú, que afundavam para atuar quase como pontas.

Antes do final do primeiro tempo, Jesualdo teve de mexer na equipe por contusão. Autor do gol, Arthur Gomes sentiu um problema muscular na coxa direita e foi substituído por Jean Mota. Apesar da mudança, o treinador manteve o desenho tático, apenas trocando Raniel de lado, posicionando o atacante pela direita.

O Santos ficou com um jogador a mais antes do minuto inicial da etapa final. Lucas Abreu cometeu falta dura em Luiz Felipe e recebeu o vermelho. A expulsão, apesar de correta, gerou reclamações dos jogadores do Guarani porque o árbitro Vinicius Furlan só deu o cartão após observar a marca da chuteira na perna do zagueiro santista.

O que poderia ser uma vantagem para o time de Jesualdo se tornou um tormento. O Guarani se atirou ao ataque. Era tudo ou nada. E o empate saiu aos 19 minutos, quando o time da casa já era superior em campo. Bidú bateu escanteio, Marcelo desviou de cabeça e Rafael Costa ganhou do goleiro Everson pelo alto para deixar tudo igual.

Após o gol, o técnico português abriu mão de um volante, colocando Uribe no lugar de Diego Pituca. Pouco depois, Tailson entrou no lugar de Raniel. O Santos não conseguiu criar muitas jogadas, quase levou o segundo com Júnior Todinho em um contra-ataque, mas contou com uma ajuda de Pablo para sair com uma vitória. Após cobrança de falta de Jean Mota na trave, a bola bateu no lateral e entrou.

FICHA TÉCNICA:

GUARANI 1 X 2 SANTOS

GUARANI – Jefferson Paulino; Pablo, Romércio, Bruno Silva e Bidú; Deivid, Lucas Abreu e Lucas Crispim (Marcelo); Giovanny (Bruno Sávio), Júnior Todinho e Rafael Costa (Mateusinho). Técnico: Thiago Carpini.

SANTOS – Everson; Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca (Uribe) e Carlos Sánchez; Arthur Gomes (Jean Mota), Eduardo Sasha e Raniel (Tailson). Técnico: Jesualdo Ferreira.

GOLS – Arthur Gomes, aos 21 minutos do primeiro tempo; Rafael Costa, aos 19 minutos, Pablo (contra), aos 47 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Vinicius Furlan.

CARTÕES AMARELOS – Pará, Luiz Felipe e Romércio.

CARTÃO VERMELHO – Lucas Abreu.

PÚBLICO – 9.130 pagantes.

RENDA – R$ 174.973,00.

LOCAL – Brinco de Ouro, em Campinas (SP).  (POR ESTADAO CONTEUDO)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Esporte

Astro do basquete, Kobe Bryant, 41, morre em acidente de helicóptero

Publicado

em

O helicóptero em que o ex-jogador estava pegou fogo e caiu por volta das 10h no horário local (15h no horário de Brasília).

O americano Kobe Bryant, 41, considerado um dos maiores jogadores de basquete da história, morreu neste domingo (26) em um acidente de helicóptero em Calabasas, na Califórnia, cidade próxima próxima a Los Angeles. A informação foi revelada pelo site de celebridades TMZ.

O helicóptero em que o ex-jogador estava pegou fogo e caiu por volta das 10h no horário local (15h no horário de Brasília). Além de Bryant, outras quatro pessoas estavam na aeronave. O departamento de polícia local confirmou que todos os ocupantes da aeronave morreram.

Bryant é conhecido por sua carreira no Los Angeles Lakers, onde atuou como ala-armador por 20 anos até se aposentar em 2016. Durante sua carreira, ele conquistou cinco títulos da NBA e o ouro com a seleção americana de basquete nas Olimpíadas de Pequim-2008 e Londres-2012.

Além dos prêmios esportivos, o ex-jogador também ganhou um Oscar, em 2018, pelo curta-metragem de animação “Dear Basketball”, do qual foi criador e narrador. Com seis minutos de duração, o filme é baseado em um poema que Bryant escreveu quando anunciou a aposentadoria da NBA.

No sábado (25), Bryant foi superado por LeBron James como terceiro maior pontuador da liga. O ex-jogador marcou 33.643 pontos na NBA em sua carreira, enquanto LeBron chegou a 33.655 na partida.De acordo com o TMZ, Bryant costumava usar seu helicóptero para viagens. O ex-jogador deixa a mulher, Vanessa, e quatro filhas, uma delas nascida em junho do ano passado.

Filho de Joe Bryant, ex-jogador da NBA, Kobe começou a jogar basquete ainda aos 3 anos de idade. Já no Ensino Medio, com estrondoso sucesso atuando pela Lower Merion High School, optou aos 17 anos por não ir à faculdade e tentar uma vaga direta na NBA no Draft de 1996.

Ao ser selecionado pelo Charlotte Hornets como a 13ª escolha daquele draft, a pedido do Los Angeles Lakers, que havia negociado sua escolha no draft com o time de Charlotte, ele se tornou apenas o sexto jogador da história a ir direto do High School para o NBA.

Após um período de ajuste à liga americana, Bryant começaria a se mostrar como uma grande estrela a partir de 1999, após a chegada à franquia californiana do técnico Phil Jackson -que havia feito história comandando o Chicago Bulls de Michael Jordan no início dos anos 1990.Sob as orientações do treinador, o jogador se tornou um dos destaques da equipe que chegaria ao tricampeonato consecutivo da NBA, conquistando os títulos de 2000, 2001 e 2002.Em 2003, o Bryant foi preso pela polícia de Colorado acusado de assédio sexual contra jovem de 19 anos em um hotel na cidade de Edwards, onde ele estava antes de realizar uma cirurgia. Segundo o relato da jovem, ele a teria estuprado em seu quarto de hotel.O jogador admitiu que havia tido relações sexuais com a jovem, mas negou que a teria assediado. O caso foi arquivado depois que a jovem se recusou a prestar depoimento à polícia.Mais tarde, ela abriu um processo civil contra o jogador. Em decorrência desse processo, ele teve que pedir desculpas públicas à jovem, mas sem nunca admitir o estupro.Após uma série de temporadas sem sucesso na liga e criticado pela mídia, Bryant voltou a brilhar em 2008, quando conquistou pela primeira e única vez o troféu de jogador mais valioso da temporada (MVP). Os Lakers chegaram à final da NBA naquele ano, mas perderam o título para o Boston Celtics.Na temporada seguinte, porém, ele comandaria o time à conquista, repetindo a dose em 2010. Nas duas ocasiões, foi eleito o melhor jogador das finais da NBA.Em entrevista à Folha de S.Paulo, em 2013, Bryant agradeceu ao Brasil pela influência em sua carreira por meio de nomes do esporte.”Brasil, você não tem ideia de quanto impactou minha vida e carreira, desde Pelé até Oscar Schmidt. Obrigado!”A admiração por Oscar começou quando o pai de Kobe, Joe Bryant, jogava na liga de basquete profissional italiana. Lá a família conheceu Oscar e o brasileiro passou a ser uma referência para Bryant.”Eu cresci na Itália, assistindo aos jogos de Oscar Schmidt, e ele se tornou um ídolo meu. Não era tão conhecido nos Estados Unidos, mas era um jogador excelente. Eu conversei com ele durante as Olimpíadas, tive a chance de falar um pouco com ele. Eu realmente gostava de vê-lo jogar quando eu era criança”, disse Bryant à imprensa quando Oscar foi eleito para o Hall da Fama do basquete nos EUA.Bryant se aposentou do basquete em 2016 com números impressionantes. Fez, no total, 33.643 pontos (média de 25 por jogo), 7.047 rebotes (5,2 por jogo) e 6,306 assistências (4,7 por jogo).   (POR FOLHAPRESS)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda  

Trending