Conecte-se Conosco

Cultura

Pierce Brosnan, ex-James Bond, defende mulher 007

Publicado

em

O ator interpretou 007 nos longas “007 – Contra GoldenEye” (1995), “007 – O Amanhã Nunca Morre” (1997), “007 – O Mundo Não É o Bastante” (199) e “007 – Um Novo Dia para Morrer” (2002)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O ator Pierce Brosnan, 66, que interpretou James Bond entre 1995 e 2002, defendeu a ideia de que uma  mulher deve ocupar a próxima vaga de 007.

“Acho que nós só vimos homens nos últimos 40 anos. Saiam do caminho, garotos, e deixem as mulheres ocupar esse lugar! Acho que seria divertido, seria empolgante”, afirmou Brosnan, em entrevista ao site americano Hollywood Reporter.

Brosnan interpretou 007 nos longas “007 – Contra GoldenEye” (1995), “007 – O Amanhã Nunca Morre” (1997), “007 – O Mundo Não É o Bastante” (199) e “007 – Um Novo Dia para Morrer” (2002).

Ele defende a ideia, mas acha que isso não deve ocorrer enquanto a produtora do filme for Barbara Broccolli, filha de Albert Broccolli (1909-1996) que comprou os direitos do personagem dos romances de Ian Fleming (1908-1964).

O ator acha que uma mulher caberia no papel neste momento em que movimentos como o #MeToo ganham força.

O próximo filme “No Time to Die”, que estreia em 2020, terá Daniel Craig no papel, ator que vive o personagem desde 2006. Segundo o Hollywood Reporter, o fim do longa dará a entender que a próxima 007 seria a atriz britânica Lashana Lynch, 31.

Este é o último filme de Craig, que já ensaiou se aposentar do papel algumas vezes e chegou a dizer que “cortaria os pulsos” a interpretar o herói novamente. Na época, foram cogitadas algumas atrizes que pudessem fazer o papel de 007, entre elas, Gillian Anderson, de “Arquivo X”.

As filmagens do longa tiveram tantos problemas que a data de lançamento foi adiada diversas vezes. Craig se machucou nas filmagens e teve de fazer uma cirugia no tornozelo. Logo depois, houve  uma explosão no set. A produção, ainda, ficou para aguardando Rami Malek. O vilão do filme sofreu com conflito de agendas e atrasou o calendário das filmagens.

Brosnan já defendeu para o papel nomes como Tom Hardy e Idris Elba e diz que esse é tipo de personagem de marca a vida de qualquer ator. “James Bond tem sua significância, é um grande orgulho. Serei perguntado sobre isso até meus últimos dias de vida”, afirma Brosnan.

Por Folhapress

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Cultura

Bryan Adams volta para shows e quer plantar árvores no Brasil

Publicado

em

O cantor e compositor canadense que já vendeu mais de 60 milhões de discos ao redor do mundo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – “Me encaixo melhor no universo do rock do que no do pop”, diz Bryan Adams, o cantor e compositor canadense que já vendeu mais de 60 milhões de discos ao redor do mundo. Em seu mais recente álbum, “Shine a Light”, contudo, ele usa batidas eletrônicas e colabora com nomes do universo pop, como Jennifer Lopez e Ed Sheeran.

“É verdade, mas sempre fiz um pouco disso”, afirma. “Acho que vale a pena experimentar com sonoridades, mas, no fim das contas, as músicas que chegam ao topo das paradas são as que soam mais com aquilo que as pessoas esperam de mim.”

“Shine a Light”, lançado neste ano, é a base da atual turnê de Adams, que vem ao Brasil pela terceira vez. Ele toca em São Paulo e no Rio de Janeiro, nos próximos dias 18 e 19.

O cantor lembra de quando conheceu Ed Sheeran, que ele considera um “músico incrível”, depois de vê-lo tocar em Dublin no ano passado. A parceria rendeu a composição da faixa-título do disco de Adams.

“Foi simples. Tive uma ideia para a música e mandei para ele”, conta o canadense. “Nós tivemos uma química e conseguimos unir as ideias. Fizemos a música por email, dá para acreditar?”

“Shine a Light”, a música com Sheeran, ressalta as características que levaram Adams ao sucesso de massa nos anos 1980. É uma balada esperançosa, guiada pelo violão e por uma voz rouca e apaixonada sobre uma pessoa do interior que vai à cidade grande atrás dos sonhos.

Foi com essa receita que Adams virou presença frequente nas rádios mundo afora, com hits do tamanho de “Heaven”, “Run to You”, “(Everything I Do) I Do It for You”, “Summer of 69”. Todas elas estarão nos setlists das apresentações dele no Brasil.

Mas, atualmente, Adams não vê com bons olhos as músicas que tomam as rádios. Antigamente, ele comenta, para gravar um disco, “você tinha que cantar e tocar e fazer tudo sem samples e aparelhos eletrônicos”. “Imagine ter que cantar e tocar de verdade?”

O canadense torce o nariz para performances com bases programadas previamente. “Tocamos em um festival recentemente na Califórnia em que algumas bandas tocavam com um computador”, conta. “É assim que funciona hoje em dia, virou algo normal. Mas não é o que faço, prefiro a espontaneidade.”

Aos 59 anos, Adams hoje não se dedica apenas à música. Seu mais recente livro de fotografia traz retratos de pessoas desabrigadas em Londres. Ele também usa as redes sociais para falar sobre a preservação do meio ambiente e o veganismo, as causas que defende.

“Atribuo o crescimento do veganismo ao Instagram e à internet em geral”, ele reflete. “As pessoas agora têm acesso direto à informação e às imagens de abuso e tortura de animais. Hoje, também temos mais opções disponíveis, se você escolher mudar.”

Para Adams, o que mais dificulta o crescimento do veganismo é a falta de educação. Suas duas filhas são as únicas vegetarianas entre os 500 alunos da escola que elas frequentam.

“É porque a maioria dos pais da minha geração não pensa desta maneira. Virão algumas outras gerações até que esse pensamento prevaleça.”

Em 2019, Adams está plantando uma árvore para cada ingresso que ele vendeu da atual turnê. Só este ano, já foram quase 1 milhão de novas árvores. Para o ano que vem, ele adianta que está trabalhando em um projeto para plantar árvores no Brasil.

Sobre a política climática nacional, o cantor acredita que, como nos Estados Unidos, ela é comandada “pelos interesses das grandes empresas”. Mas, assim como em relação ao veganismo, Adams olha o futuro com algum otimismo.

“Vai demorar até que as novas gerações enfrentem a ignorância do passado. E teremos perdido muito até lá”, diz. “Mas é uma questão de tempo.”

Bryan Adams – SÃO PAULO

ONDE: Allianz Parque Hall, r. Palestra Itália, 200, Perdizes, São Paulo.

QUANDO: Sex (18), às 21h.

INGRESSOS: R$ 300 a R$ 620.

RIO DE JANEIRO

ONDE: Arena Jeunesse, av. Embaixador Abelardo Bueno, 3.401, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

QUANDO: Sáb (19), às 21h15

INGRESSOS: R$ 240 a R$ 480

Por Folhapress

Continue lendo

Cultura

Cristo Redentor tem festa para comemorar 88 anos

Publicado

em

Aniversário com missa, bolo e bênção para turistas. Em 2007, o Cristo Redentor foi considerado uma das sete novas maravilhas do mundo moderno.

O Cristo Redentor, um dos símbolos Rio de Janeiro, comemora 88 anos neste sábado (12). E a agenda está cheia de atrações para a festa de aniversário.

A previsão é de que o monumento receba a visita de 12 mil pessoas durante todo o dia. Turistas peruanos marcaram a visita exatamente no dia do aniversário para aproveitar a festa.

Missa, bolo e bênção

A programação começou com uma missa, rezada pelo Padre Omar, na capela Nossa Senhora Aparecida, no Santuário Cristo Redentor.

Os turistas tiveram uma recepção especial com bênçãos de hora em hora. Na missa, eles foram convidados a fazer uma leitura de textos.

A Sociedade Amigos da Rua Carioca (Sarca) cantou o tradicional parabéns para o monumento.

Na noite desta sexta (11), a estátua foi iluminada nas cores verde e amarelo como parte das comemorações.

Programação para crianças

Durante a manhã, o Ação de Amor do Cristo Redentor promove brincadeiras na Praça São José, na Lagoa, Zona Sul do Rio.

Das 9h às 13h, as atividades são pintura de rosto, oficina de massinha e pintura, brinquedos, danças e gincanas.

A partir das 10h, há um show cultural com Karen Keldani e Duda Paula e uma benção do Padre Omar às 10h30. A apresentação do coral do Cristo Redentor acontece às 11h.

No fim do evento, a organização promove a entrega de brinquedos para crianças carentes.

História

O Cristo foi erguido em 1931 no topo do Morro do Corcovado. A pedra fundamental da estátua foi lançada em 1922.

As obras começaram para valer, porém, em 1926. O projeto foi do engenheiro Heitor da Silva Costa. Quem desenhou a estátua foi o artista plástico Carlos Oswald, e seu escultor foi o francês de origem polonesa Paul Landowski.

O acesso ao ponto turístico pode ser feito através de um trem especial, partindo do Cosme Velho, vans credenciadas, ou a pé, após uma boa caminhada pelo Parque Nacional da Tijuca.

A estátua, feita de pedra-sabão, é considerada patrimônio histórico desde 1937. Em 2007, o Cristo Redentor foi considerado uma das sete novas maravilhas do mundo moderno, através de uma votação realizada pela internet, organizada pela New 7 Wonders Foundation.

Por G1 Rio

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Cultura

Bolsonaro é criticado por não assinar Prêmio Camões para Chico Buarque

Publicado

em

Não assinatura de Bolsonaro é um segundo prêmio, disse o cantor nas redes sociais

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Chico Buarque usou as redes sociais nesta quarta (9) para responder ao comentário feito por Bolsonaro, que deu a entender que não vai assinar o diploma que será concedido ao compositor pelo Prêmio Camões, o principal troféu da língua portuguesa.

“A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo Prêmio Camões”, escreveu o cantor e escritor.

Questionado se assinaria o diploma que acompanha a premiação de EUR 100 mil (cerca de R$ 447,3 mil), valor dividido entre Brasil e Portugal, o presidente disse que sua decisão é um “segredo”.

“Eu tenho prazo? Até 31 de dezembro de 2026, eu assino”, afirmou, fazendo alusão à reeleição. Seu atual mandato termina em dezembro de 2022.

O assunto tem rachado a cúpula do governo. Para integrantes do setor moderado, a assinatura do diploma seria apenas uma iniciativa protocolar e, por isso, o presidente deveria seguir a tradição, evitando criar um constrangimento com o governo português.

Na avaliação de membros do núcleo ideológico, no entanto, ao não assinar o documento, o presidente faria um gesto político, posicionando-se contra o uso de recursos públicos em ações não prioritárias e demonstrando que seu mandato representa uma ruptura em relação aos governados anteriores.

Por Folhapress

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda  

Trending