Conecte-se Conosco

Política

Previdência: Deputados conclui votação do 1º turno da reforma, 2º turno, fica para Agosto

Publicado

em

Em dois dias de análise, foram definidos 14 pontos, aprovados quatro destaques e uma emenda ao texto-base aprovado em 1º turno.

O plenário da Câmara dos Deputados concluiu a votação da reforma da Previdência e de seus destaques. Ao todo, 14 propostas de mudanças foram analisadas e cinco foram aprovadas – quatro destaques e um ajuste de redação. Após as análises, ficou acertado que a proposta volta a ser analisada pela Casa em segundo turno a partir do dia 6 de agosto.

Considerada a principal aposta da equipe econômica do governo para o equilíbrio das contas públicas, a reforma da Previdência modifica as regras de aposentadoria para funcionários do setor privado e servidores públicos da União.

O texto propõe que os homens só poderão se aposentar aos 65 anos e as mulheres, aos 62 anos, com um tempo mínimo de contribuição, de 15 anos (homens e mulheres). A modalidade da aposentadoria por tempo de contribuição – que exige tempo mínimo de 35 anos (homens) e 30 anos (mulheres) vai acabar, caso a reforma seja aprovada da forma como está.

Os novos critérios valerão para quem ainda não começou a trabalhar. Quem já está trabalhando e contribuindo para o INSS ou o setor público terá regras de transição.

Segundo fontes da equipe econômica, as alterações no texto-base, aprovadas nos últimos dois dias, devem reduzir a economia da reforma a menos de R$ 100 bilhões em dez anos, para algo em torno de R$ 900 bilhões.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o impacto deve ser de menos de R$ 25 bilhões. O número oficial, no entanto, ainda não foi divulgado pelo governo.

Em relação ao texto que havia sido aprovado no plenário, houve algum tipo de alívio nas regras para a aposentadoria de homens, mulheres, policiais e professores.

O texto final ainda precisa por mais uma análise da Comissão Especial da Previdência, marcada para a noite de sexta-feira. A previsão era a de que os trabalhos durassem três horas. Depois disso, a proposta ainda precisa ser aprovada em um segundo turno de votação na Câmara.

Essa etapa deve ficar para o dia 6 agosto, após o recesso parlamentar, segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Somente depois disso é que a reforma segue para tramitação no Senado. Confira abaixo o que mudou em relação ao texto aprovado na quarta-feira.

Com a nova regra, é possível conseguir 100% da aposentadoria aos 35 anos de contribuição. Na proposta aprovada na quarta-feira, era preciso somar 40 anos de contribuição para ter a integralidade do benefícios.

A pensão por morte do segurado, homem ou mulher, ao cônjuge ou ao companheiro e aos seus dependentes não poderá ser menor do que um salário mínimo, quando se tratar da única fonte de renda formal auferida pelo dependente; e não auferida pelo conjunto de dependentes, conforme estava no texto-base.

Foi criada uma regra alternativa de transição para policias federais da ativa com idades menores: 53 anos (homens) e 52 anos (mulheres), desde que cumpram pedágio de 100% do tempo que falta para se aposentar (cumprindo os requisitos de 30 anos de contribuição, para homens, e 25 anos, para mulheres). O pedágio significa que eles precisarão trabalhar o dobro do tempo que faltar para a aposentadoria.

Foi reduzida de 20 anos para 15 anos o tempo mínimo de contribuição exigido para homens do regime geral (setor privado) poderem se aposentar. Pelo texto-base, o tempo mínimo para homens aumentaria gradualmente – partindo de 15 anos – e chegaria a 20 anos em 2029. Mesmo com a mudança, o tempo de contribuição para aposentadoria integral foi mantido em 40 anos.

Em uma das regras de transição, a idade dos professores que estão trabalhando caiu para 52 anos (mulheres) e 55 anos (homens), desde que cumpram pedágio de 100% sobre o tempo de contribuição que falta para ter direito à aposentadoria. (Do R7)

Classificados

Venda de Chácara no Sítio Aroeira – Cerca de 24 Km do Centro de São José do Belmonte:

Descrição: São 2 Hectares de área 150×150 metros  – Casa com 3 quartos, Sala, Banheiro, Cozinha, Área de Serviço, e área de lazer com churrasqueara. Terreno com fruteiras e um poço com 40 metros de profundidade e com uma vazão de 25.000 mil litros por hora – Terreno escriturado em Cartório, pronto para transferência.

Proprietário Senhor Nivaldo, também conhecido como Padre da Aroeira.

Vendo e aceito veículo ou casa como parte do pagamento.

Ligue para Francisco (87) 9 9944-6695  e faça um bom negócio.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Política

Alexandre Padilha quer disputar prefeitura de SP pelo PT

Publicado

em

Ele foi ministro da Saúde durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff e secretário da Saúde da capital paulistana na gestão de Fernando Haddad

deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) afirmou neste sábado, em evento no Sindicato dos Químicos de São Paulo, que colocou o seu nome “à disposição” do partido para ser candidato a prefeito da cidade em 2020. Ele foi ministro da Saúde durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff e secretário da Saúde da capital paulistana na gestão de Fernando Haddad.

Lembro da minha candidatura a governador (de São Paulo). Foi uma campanha difícil num momento difícil. Tive 19% (dos votos) no Estado, mas tive 23% no primeiro turno aqui na capital”, diz Padilha em um vídeo do pronunciamento que fez no sindicato.

Na sua visão, a campanha municipal no ano que vem “tem de botar (o ex-presidente) Lula na rua”. “É uma campanha para politizar. (Eu) me sinto preparado para falar do Lula porque fui ministro do Lula”, comentou.

Padilha conclui a gravação apontando que, independentemente de quem seja o nome do PT na disputa da capital, “o mais importante” é que o partido “decida essas coisas ouvindo a base, ouvindo a militância”.

“Uma candidatura de cúpula, definida na casa de alguém, não tem futuro no PT. No PT, a gente constrói as coisas ouvindo o povo, ouvindo a militância, porque só assim a gente consegue ganhar”, encerra o deputado.

As declarações em que Padilha se posiciona como pré-candidato à prefeitura vêm à tona num momento em que, segundo apurou o Estadão, Lula e o PT trabalham por uma chapa liderada por Fernando Haddad e com a ex-prefeita e ex-senadora Marta Suplicy (sem partido) como vice.

Em entrevista na semana passada ao portal Congresso em Foco, Padilha apontou Haddad como o principal nome do PT para a disputa. “Não tenho dúvida nenhuma que Haddad é um nome natural. Esse debate tem que ser feito e eu estou à disposição”, declarou na ocasião. (POR ESTADAO CONTEUDO)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Política

https://blogdosilvalima.com.br/pernambuco-vai-sediar-o-primeiro-centro-de-distribuicao-da-amazon-no-nordeste/

Publicado

em

No varejo, com uma alta de 8%, a carne bovina foi a responsável pelo aumento da inflação, que chegou a 0,51% este mês

presidente Jair Bolsonaro fez uma live nesta segunda-feira (9) para tentar rebater as críticas que tem recebido pela alta no preço da carne no Brasil. No varejo, com uma alta de 8%, a carne bovina foi a responsável pelo aumento da inflação, que chegou a 0,51% este mês.

“Estou levando pancada sobre o preço da carne”, disse o presidente, que, com a ministra Tereza Cristina, da Agricultura, fez uma apresentação sobre o desenvolvimento do agronegócio no Brasil e sobre a pecuária.

“É temporário, o senhor pode garantir à população”, disse a ministra sobre o aumento do preço da carne bovina, que puxou os preços da carne suína e da carne de aves neste final de ano.

Bolsonaro disse que tabelar a carne – como, segundo ele, parte de seus eleitores tem pedido – não é uma opção viável. Citou a Venezuela, que de acordo com ele tem tabelamento mas não tem o produto no mercado.

O presidente afirmou que na disputa do mercado internacional “tem lobby e tem cartéis que não são fáceis”, o que influi nos preços.

“O governo não tem a força que o povo acha que eu tenho”, disse ele.

Bolsonaro falou também sobre o uso de cartão corporativo.

“Eu não pago nada mesmo. Posso sacar ate R$ 24 mil por mês. Mas não tô comendo lagosta todo dia, não”, disse Bolsonaro, falando que os cartões tratam da alimentação de funcionários do palácio.

Baleias

Durante a live, ao ouvir de uma assessora de Tereza Cristina que o Brasil elimina anualmente o equivalente a 50% das emissões de carbono de um país como a Noruega, Bolsonaro aproveitou para provocar o país europeu.

“Pessoal dessa área aí gosta de matar baleia”, ironizou.Com informações BuzzFeed BR

Por Notícias ao Minuto Brasil

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo

Política

Bolsonaro volta a exaltar ações de presidentes da ditadura militar

Publicado

em

O presidente também voltou a falar da Amazônia em discurso na cerimônia comemorativa ao Dia do Marinheiro

presidente Jair Bolsonaro voltou a exaltar ações de governos do regime militar em evento da Marinha nesta sexta-feira, 13. Acompanhado do vice-presidente Hamilton Mourão, Bolsonaro participou da cerimônia comemorativa ao Dia do Marinheiro, celebrado em 13 de dezembro, e da Imposição da Medalha Mérito Tamandaré. Em seu discurso, o presidente lembrou, por exemplo, que no governo de Garrastazu Médici, o mar territorial brasileiro passou de 12 para 200 milhas náuticas.

“Em todos os momentos que a história assim se fez presente, assim desejou, os militares cumpriram para com o seu papel”, enalteceu o presidente. Bolsonaro aproveitou para abordar a responsabilidade e desafio de cuidar da Amazônia Azul. “Precisamos cada vez mais dar meios para que vocês (militares) realmente possam fornecer segurança devida ao progresso da nossa nação”, afirmou.

Nesta semana, em evento na Confederação Nacional da Indústria (CNI), o presidente também discursou para empresários sobre feitos dos militares durante o regime.

Bolsonaro destacou ainda em sua fala o que considera ser a cobiça internacional relacionada à Amazônia. “Somos um dos países mais ricos do mundo. Temos o que os outros em grande parte não têm. Temos a cobiça internacional sobre essas riqueza. Dando o devido valor às Forças Armadas, teremos garantia de que a Amazônia é nossa”, disse.

Além das forças militares, o presidente aproveitou para agradecer ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal (STF). “Tenho a gratidão pelas Forças Armadas, Câmara e Senado, sem esquecer do Poder Judiciário, em especial o nosso Supremo Tribunal Federal, que em muitas medidas têm nos ajudado a garantir a governabilidade”, declarou. (POR ESTADAO CONTEUDO)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda  

Trending