Conecte-se Conosco

Saúde

Secretaria alerta sobre o rastreamento precoce do câncer de mama e do colo do útero

Publicado

em

Um levantamento realizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) destaca que no ano de 2020, 801 mulheres faleceram em decorrência dos tumores de mama, causa que ocupa o 1º lugar entre as neoplasias malignas em mulheres no país. O câncer de mama acomete principalmente mulheres com idade superior a 50 anos, sendo nesta população, a principal causa de morte por tumores malignos. Já o câncer de colo do útero se tornou o quarto tipo mais comum em mulheres no mundo, e em Pernambuco no ano de 2020 foram notificados 315 óbitos por este tipo de neoplasia. Para reforçar a saúde das mulheres, a campanha do Outubro Rosa estimula a conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce das doenças.

“As ações integradas possuem quatro eixos prioritários, que começa com o rastreamento organizado através de busca ativa para realização dos exames em mulheres na faixa etária com maior risco de apresentarem lesão (mama – 50 aos 69 anos e colo do útero – 25 aos 64 anos), seguido de busca ativa, que envolve a localização das mulheres com resultados alterados de exames citopatológicos ou mamografias. As ações envolvem ainda a conclusão diagnóstica e tratamento, etapas que envolvem o encerramento diagnóstico e o encaminhamento para serviços de referência”, explica a gerente de Atenção à Saúde da Mulher da SES-PE, Cleonúsia Vasconcelos.

De acordo com o levantamento da SES-PE, no ano passado, os 801 óbitos de mulheres por neoplasia maligna de mama ocorreram, em sua maioria, nas faixas de 50 a 59 anos (207 óbitos), 60 a 69 (153) e 70 a 79 (146). Já os casos de colo do útero, apresentam uma variação na faixa etária de maior incidência: 40 a 49 (75), 50 a 59 (64), 60 a 69 (55).

Segundo o Sistema de Informações Ambulatoriais do Sistema Único de Saúde do Ministério da Saúde, foram realizadas, em todo o Estado de Pernambuco, 71.818 mamografias entre os meses de janeiro e julho deste ano. Em todo de 2020, esse número foi de 92.297.

Em Pernambuco, as estimativas para 2021, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são de 2.390 casos novos de câncer de mama com uma taxa bruta de 47,86 casos a cada 100 mil mulheres. Já para os casos envolvendo o câncer de colo do útero, essa estimativa é um pouco mais baixa, mas ainda preocupante.

“O Inca estima para Pernambuco o surgimento de 730 novos casos de câncer do colo do útero, com uma taxa bruta de 14,64 a cada 100 mil mulheres. Esse dado nos traz um alerta para a importância das ações preventivas envolvendo essas duas neoplasias que podem ser combatidas precocemente e com grandes chances de cura com tratamento”, reforça a gestora.

A gerente de Atenção à Saúde da Mulher ainda destaca os métodos para rastreamento dos dois tipos de cânceres no Brasil. “Para os casos de mulheres sem sinais e sintomas, a recomendação para detecção precoce do câncer de mama é a realização da mamografia de rastreamento, para aquelas entre 50 e 69 anos de idade, faixa com maior incidência para câncer de mama. Nesses casos, o exame pode ser feito a cada dois anos”, disse.

Pernambuco conta com serviços de referência para o atendimento de casos dos cânceres de colo do útero e de mama consideradas de alta complexidade, são eles: I Macro: hospitais Barão de Lucena, Clínicas, do Câncer e Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) – todos no Recife; II Macro: hospitais Regional do Agreste e Mestre Vitalino – em Caruaru; III Macro: Hospital Memorial Arcoverde e na IV Macro: hospitais Dom Tomás (Petrolina) e Memorial Arcoverde.

“Já o método de rastreamento do câncer do colo do útero e de suas lesões precursoras é o exame citopatológico, mais conhecido como exame de papanicolaou ou preventivo. Para estes casos observa-se o seguinte: os dois primeiros exames devem ser realizados com intervalo anual e, se ambos os resultados forem negativos, os próximos devem ser realizados a cada três anos, sendo a faixa etária prioritária de 25 a 64 anos”, finaliza Cleonúsia Vasconcelos.

HPV
Além do exame citopatológico, outra forma de prevenção contra o câncer de colo do útero é a vacinação. Meninas de 9 a 14 anos e meninos com idades entre 11 e 14 precisam receber a dose do imunizante que protege contra o Papiloma Vírus Humano (HPV), causador do câncer de colo do útero nas mulheres. Em todo o país, até 29 de outubro, acontece a Campanha de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação que visa atualização dos esquemas vacinais de crianças e adolescentes com a aplicação de alguns imunobiológicos que já fazem parte do calendário de rotina nos postos de saúde, como poliomielite, hepatites A e B, tríplice viral, rotavírus humano, dTp e a vacina contra o HPV.

Por:Diario de Pernambuco

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Saúde

Atuais vacinas podem ser ineficazes contra variante ômicron, adverte Moderna

Publicado

em

As vacinas contra a Covid-19 desenvolvidas até agora podem ter dificuldades para combater a variante ômicron e levará meses para desenvolver um novo imunizante eficaz contra esta cepa, afirmou o CEO do laboratório americano Moderna ao jornal Financial Times.
Stephane Bancel declarou ao jornal, em uma entrevista publicada nesta terça-feira, que os dados sobre a eficácia das vacinais contra a nova cepa estarão disponíveis nas próximas duas semanas, mas que os cientistas não são otimistas.
“Todos os cientistas com quem conversei… sentem que ‘isto não vai ser bom'”, disse ao jornal.
A advertência de Bancel coincidiu com uma reunião de emergência dos ministros da Saúde do G7 sobre a nova variante, que está se propagando pelo mundo e que levou diversos países a fechar suas fronteiras e a retomar as limitações às viagens.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a ômicron representa um risco “muito elevado”.
Bancel explicou que os cientistas estão preocupados porque 32 das 50 mutações detectadas na variante ômicron se encontram na proteína ‘spike’ (ou espícula), uma parte do vírus que as vacinas usam para reforçar o sistema imunológico contra o coronavírus.
O CEO da Moderna afirmou ao Financial Times que pode acontecer uma “queda considerável” na eficácia das vacinas atuais contra a ômicron.
A Moderna já está trabalhando em uma vacina específica contra a ômicron, assim como o laboratório americano Pfizer.
Bancel afirmou que a Moderna espera entregar entre dois e três bilhões de doses deste imunizante em 2022, mas advertiu que concentrar toda a produção nas vacinas contra a variante ômicron seria perigoso, porque outras cepas continuam em circulação.
Um tono alarmista que contrasta com os esforços dos políticos para tentar tranquilizar a população a respeito da ômicron.
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou na sexta-feira que a nova variante “não é motivo para pânico”.
Por:Diario de Pernambuco

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Saúde

Pernambuco já aplicou 13.522.795 doses de vacinas contra a Covid-19

Publicado

em

Até esta segunda-feira (29/11), Pernambuco já aplicou 13.522.795 doses de vacinas contra a Covid-19, das quais 7.161.320 foram primeiras doses, 5.517.232 segundas doses e 173.073 doses únicas.

Além disso, 671.170 pernambucanos tomaram a dose de reforço.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Saúde

Gravidez e as dores nas articulações

Publicado

em

Dor nas articulações durante a gravidez é normal e ocorre principalmente devido às alterações hormonais e anatômicas que a mulher sofre na gestação.

Boa parte das mulheres grávidas queixam-se de algum tipo de dor articular, principalmente nos joelhos, quadris, cotovelos e dedos.

No entanto, busque sempre orientação com o seu médico.

(Por Noyla Alencar – Médica Ginecologista)

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending