Conecte-se Conosco

Cultura

Lucas Lucco lança DVD ‘A Origem’ e diz que sempre agradece Luan Santana

Publicado

em

 

Trabalho com 19 inéditas já revelou o sucesso ‘Briguinha Boba’

Aos 27 anos, Lucas Lucco lança seu segundo CD/DVD repleto de participações especiais e dos mais diferentes gêneros musicais. Com o trabalho, o artista retoma a sua carreira musical com novo fôlego. Ao longo de seus cinco anos de carreira, ele despontou como revelação do novo sertanejo e passou um tempo dedicado à atuação.

Lucco trabalhou em “Malhação” (2016) e na novela “Sol Nascente” (2017), ambas da Globo. No início do ano, ele lançou a parceria “Paraíso” com Pabllo Vittar, enquanto já preparava o novo trabalho: “A Origem – Ao Vivo em Goiânia”.

O artista dedicou anos ao trabalho que traz 19 canções inéditas, do começo ao fim. A primeira música lançada foi “Briguinha Boba”, que já está perto dos 8 milhões de visitas no YouTube. “Posto 24”, parceria com Wesley Safadão, também está entre as cem mais tocadas do Spotify no Brasil. Só na última semana foram mais de 1 milhão de execuções.

Satisfeito com a sua carreira, Lucco diz que sempre agradece Luan Santana por tudo o que conquistou. “Depois do sertanejo clássico que conquistou o Brasil, veio o universitário com César Menotti & Fabiano, com João Bosco & Vinicius, quando eu estava na faculdade, veio João Bosco & Vinicius, até chegar ao novo sertanejo que eu mesmo fiz parte. E isso é ótimo, sempre que eu encontro com Luan eu falo para ele: Você me ajudou a construir tudo isso, e eu vou ajudar alguém a construir algo novo também”, celebra.

Dedicado totalmente à música nos próximos meses, Lucco diz que sempre pensa em voltar a atuar. “Agora é dedicação total à música, mas o trabalho como ator chegou naquela época e não tive como evitar, porque eu tinha uma paixão pela atuação. Quando eu achar que devo voltar a algum papel, eu farei. É algo que tem na sua cabeça sim”.

UM RETORNO ÀS ORIGENS

Para chegar ao projeto final do CD/DVD “A Origem – Ao Vivo em Goiânia”, Lucco usou a tranquilidade do seu lar para pensar. Sempre calmo, ele se mantém acompanhado de seus pais e de sua namorada, que são apoiadores de sua carreira.

“Moro em Uberlândia [MG] com a minha namorada, e os meus moram em Patrocínio, minha cidade natal. Eu estava lá em casa e fui encaixando ideias, anotando coisas até sentir que estava pronto. De repente, eu chamei o meu pai dizendo que era a hora de voltar para Goiânia. Passar um tempo no lugar onde eu comecei a minha carreira, onde estão os compositores. Dois meses depois, já estávamos na seleção final das músicas”, afirma Lucco. “Como diz o nome do DVD, ‘A Origem’, eu quis mostrar a base que consegui criar por todos esses anos de carreira, a minha maturidade musical”, diz o artista. 

Desde o início de sua carreira, o artista sertanejo seguiu a ideia de unir ritmos. O novo DVD faz um grande retrato disso. Há participação dos sertanejos Maiara & Maraisa, Gustavo Mioto e da dupla Israel & Rodolfo. Tem o funk de MC Kevinho, a pegada axé de Leo Santana e o ‘forronejo’ de Wesley Safadão. Para passar a mensagem de paz e perdão, ele canta uma música romântica com o padre Fábio de Melo. 

“Imaginei gravar uma grande festa e mostrar a minha essência que é a versatilidade musical. Por isso, tem parcerias inusitadas e mistura de gêneros. Todos com quem eu trabalho nesse DVD eu já conhecia, porque não acho que faça sentido fazer parceria se já não há uma infinidade com o outro artista”, conta Lucco.

O áudio do CD/DVD já está disponível em todas as plataformas digitais. O DVD físico deve chegar às lojas físicas ainda neste mês.

Por  Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

‘La Casa de Papel’ vence Emmy Internacional; Brasil sai sem prêmio

Publicado

em

O país, contudo, não levou nenhum prêmio, pelo segundo ano consecutivo

espanhola “La Casa de Papel” bateu a brasileira “1 Contra Todos” e levou o prêmio Emmy Internacional como melhor série dramática. A produção vencedora, que faz parte da grade da Netflix, conta a história de um grupo que decide roubar a Casa da Moeda da Espanha.

Ao todo, o Brasil concorria em seis categorias: programa de artes (por “Palavras em Série”, da GNT), ator (Julio Andrade, por “1 Contra Todos”, da Fox), atriz (Denise Weinberg, por “Psi”, da HBO), minissérie ou telefilme (“Aldo – Mais Forte que o Mundo”, da Globo), documentário (“Esse Sou Eu”, da GNT) e série dramática (“1 Contra Todos”).

O país, contudo, não levou nenhum prêmio, pelo segundo ano consecutivo. A última vez havia sido em 2016, quando “Verdades Secretas” ganhou como melhor telenovela.

Veja a lista completa de vencedores do Emmy Internacional:

Série de drama

“La Casa de Papel” (Espanha)

Série de comédia

“Nevsu” (Israel)

Telenovela

“Ouro Verde” (Portugal)

Documentário

“Goodbye Aleppo” (Reino Unido)

Minissérie ou telefilme

“Man in an Orange Shirt” (Reino Unido)

Programa de língua não inglesa

El Vato (EUA)

Programa não roteirizado

Did you get the Message? (Bélgica)

Programa de Artes

Etgar Keret: Based on a True Story (Holanda)

Ator

Lars Mikkelsen, por “Herrens Veje” (Dinamarca)

Atriz

Anna Schudt, por “Ein Schnupfen hätte auch gereicht” (Alemanha)

Série de curta duração

“Una Historia Necesaria” (Chile)

Por Folhapress. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo

Cultura

Chiuco Buarque ganha dois prêmios no Grammy Latino

Publicado

em

O brasileiro recebeu o troféu de melhor canção em língua portuguesa por “As Caravanas”

Chico Buarque, indicado para quatro categorias do Grammy Latino 2018, venceu duas. A primeira por melhor álbum de música popular brasileira por “Caravanas”, primeiro álbum lançado desde “Chico”, em 2011. Além deste, o brasileiro recebeu o troféu de melhor canção em língua portuguesa por “As Caravanas”.

Chico tinha sido indicado para mais duas categorias, como a de melhor álbum do ano, mas foi vencida pelo porto-riqueno Luís Miguel por “¡México por Siempre!”. Ele concorria também com melhor arranjo por “Massarandupió”, mas quem levou o prêmio foi a canção “Se Le Ve” do colombiano Milton Salcedo.Outro destaque nacional foi da cantora e compositora Anaadi que recebeu o gramofone dourado de melhor álbum pop contemporâneo.

Segundo a agência de notícias AFP, ao receber o prêmio, que foi distribuído no pré-show do Grammy, Anaadi lamentou que o Brasil esteja “sofrendo uma ameaça neofascista com o seu governo novo”.

“Espero que a gente possa continuar sendo independente para fazer cultura, arte, música independente nesse país que tanto precisa de identidade, que tanto precisa reforçar sua identidade neste momento histórico”, disse a brasileira.

Jorge Drexler 

“Nem sei mais o que dizer”, brincou o cantor Jorge Drexler ao subir no palco do Grammy Latino pela terceira vez, nessa quinta-feira (15), para receber o prêmio de melhor gravação do ano por “Telefonía” -o mais importante da cerimônia.

A música também rendeu ao uruguaio o prêmio de melhor canção do ano. O terceiro prêmio da noite foi pelo melhor álbum de cantor-compositor por “Salvavidas De Hielo”.

Com as três estatuetas em mãos, Drexler desbancou o cantor de reggaeton J Balvin, favorito da noite com oito prêmios ao Grammy Latino, que acabou levando apenas um troféu para casa por melhor álbum de música urbana por “Vibras”.

Ao receber o prêmio, Balvin reforçou a importância da música urbana em manter as pessoas foras das ruas e dar importância às suas vidas.

Já para a cantora Rosalía, a noite foi de grandes conquistas. Com cinco nomeações e, por isso, a mulher mais indicada ao Grammy Latino em 2018, a espanhola ganhou dois grandes prêmios, entre eles o de melhor canção alternativa e o de melhor fusão/interpretação urbana por “Malamente”.

Aos 25 anos, a espanhola tem sido apontada pela mídia internacional como uma das responsáveis por revolucionar o flamenco e torná-lo acessível aos jovens.

Tanto Rosalía quanto Karol G, que venceu o prêmio de artista revelação, relembraram em seus agradecimento a força feminina e o poder da mulher na indústria da música.

“Eu não vou parar enquanto não ver o mesmo número de homens e mulheres nos estúdios”, disse Rosalía.

Anitta, indicada a dois prêmios da noite, pelos hits “Downtown”, em parceria com J Balvin, e “Sua Cara”, com Pabllo Vittar, não venceu nenhum. A carioca acabou subindo ao palco apenas para apresentar o vencedor de melhor álbum de salsa do ano, que foi de Victor Manuelle, por “25/7”.

Durante a cerimônia, shows como de Bad Bunny, Karol G, J Balvín e a banda Maná, que recebeu o prêmio personalidade do ano do Grammy Latino, foram os pontos altos da noite com apresentações que envolveram pirotecnia, coreografias e roupas brilhantes. 

Porém, apresentações mais contidas também permearam a noite, como a do grupo nortenho Calibre 50, que começou a tocar logo após um dos discursos mais sérios desta edição do Grammy Latino, feito pela apresentadora Ana de la Reguera. 

“Nesses tempos de crises, a arte se torna um meio de nos lembrar todas a urgência da justiça e da necessidade de se encontrar soluções para união, tolerância e inclusão”, disse Reguera. Logo após o discurso, o grupo tocou “Corrido de Juanito”, uma música que fala sobre um homem que imigrou aos Estados Unidos.

Por  Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo

Cultura

Mano Brown e Marielle serão homenageados com Troféu Raça Negra

Publicado

em

O prêmio também vai lembrar um crime ainda sem desfecho que ceifou a vida de uma líder negra em ascensão: a vereadora Marielle Franco (PSOL)

tradicional cerimônia anual de premiação das personalidades negras do país chega à sua 16ª edição, naquela que será a mais politizada.

O grande homenageado do ano pelo Troféu Raça Negra será Mano Brown, ícone do rap nacional. Segundo a organização do prêmio, as canções do artista à frente do grupo Racionais MC’s “dão voz aos clamores dos jovens negros que vivem na periferia”.

O prêmio também vai lembrar um crime ainda sem desfecho que ceifou a vida de uma líder negra em ascensão: a vereadora Marielle Franco (PSOL), morta em um ataque a tiros junto ao seu motorista, Anderson Gomes, em março deste ano no Rio de Janeiro.

Outra laureada será Valéria Lúcia dos Santos, advogada negra que foi algemada durante uma audiência de custódia em Duque de Caxias (RJ).

Brown, os familiares de Marielle e Valéria receberão a estatueta dourada “Zumbi dos Palmares”, o líder do Quilombo dos Palmares (AL). O local serviu de resistência para escravos foragidos de engenhos na época do Brasil colônia.

Os troféus serão entregues na Sala São Paulo, no centro da capital paulista, na noite da próxima segunda (19) –um dia antes do feriado municipal da Consciência Negra (20).

A cerimônia será apresentada pela atriz Kenia Maria e pelo rapper Thaíde.

Realizada pela ONG Afrobras em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares, a premiação está em sua 16ª edição e também vai destacar o trabalho de outras 11 personalidades de várias áreas que atuaram de alguma forma pela igualdade racial no país.

Entre as personalidades destacadas na premiação está o ex-diretor de Redação da Folha Otavio Frias Filho (1957-2018), morto em agosto passado, vítima de um câncer.

Segundo José Vicente, reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, Otavio tinha uma posição crítica em relação à política de cotas raciais nas universidades, mas sempre deu amplo espaço à discussão do tema no jornal.

“Nesses últimos 15 anos de produção de consenso sobre as ações afirmativas aos negros no Brasil, a Folha, na figura de Otavio, deu visibilidade à questão com crítica inteligente e espaço para todo tipo de pensamento”, diz.

Além de Otavio, Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, e a cantora Fafá de Belém estão no grupo dos 11 condecorados que receberão o “troféu negro”, também com a esfinge de Zumbi.

Todos os homenageados serão transportados em carros de luxo até a Sala São Paulo. A novidade deste ano, diz o reitor José Vicente, é que a carreata será acompanhada por batedores da Polícia Militar.

“O ato será muito simbólico porque nós vamos abrir o caminho para a polícia passar. No cotidiano, são os PMs que correm atrás dos negros.”

Por Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending