Conecte-se Conosco

Saúde

É seguro comer alimentos onde pousaram moscas? Nutricionista responde

As moscas podem representar perigos para a saúde humana, pois elas carregam diversas bactérias, fungos e vírus em seus corpos.

Publicado

em

As moscas tendem a aparecer com mais frequência em determinadas épocas do ano. Isso ocorre porque, de acordo com especialistas, esses insetos se reproduzem mais facilmente em ambientes propícios, que facilitam a decomposição do material onde se desenvolvem. A nutricionista Mariana Cortes explica que, além disso, a disponibilidade de alimentos para as moscas aumenta quando há mais restos de comida e matéria orgânica para se alimentarem.

As moscas podem representar perigos para a saúde humana, pois elas carregam diversas bactérias, fungos e vírus em seus corpos. Esses microrganismos são adquiridos quando as moscas se alimentam de material em decomposição, como excrementos. Ao pousarem em alimentos, elas acabam deixando pequenas quantidades desses compostos indesejados, o que pode contaminar o que comemos. Isso acontece porque as moscas têm um processo de alimentação especial: elas vomitam na comida para começar a digeri-la. As enzimas presentes em sua saliva ajudam a decompor parcialmente o alimento, facilitando a digestão.

O risco de intoxicação após um breve contato com as moscas é baixo, mas ainda existe. Quanto mais moscas estiverem presentes e maior o tempo de exposição aos alimentos, maior será o risco de contaminação.

É importante adotar algumas medidas para manter as moscas afastadas dos alimentos:

– Manter os lixos sempre fechados e, se possível, esvaziá-los com frequência;
– Usar tampas nas fruteiras, pois o cheiro das frutas atrai os insetos;
– Armazenar os alimentos em locais limpos e fechados;
– Manter as panelas de comida sempre cobertas, mesmo que estejam sendo servidas em breve;
– Lavar os utensílios de cozinha expostos na bancada ou pia, já que as moscas e outros insetos podem pousar neles.

Por fim, é importante lembrar que as moscas têm um papel no ecossistema e não devem ser completamente exterminadas, pois fazem parte da cadeia alimentar e são alimento para outros seres vivos.

Foto Shutterstock

Por Notícias ao Minuto

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Saúde

Ministério da Saúde entrega nova remessa de vacinas da dengue

656,1 mil são doses de reforço e 335,2 mil são para primeiras doses. Com essa entrega, mais 405 municípios serão contemplados, totalizando 1.735 que poderão vacinar adolescentes de 10 a 14 anos de idade.

Publicado

em

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (29) a distribuição de mais 991,3 mil doses da quinta remessa de vacinas da dengue.

Dessas, 656,1 mil são doses de reforço e 335,2 mil são para primeiras doses. Com essa entrega, mais 405 municípios serão contemplados, totalizando 1.735 que poderão vacinar adolescentes de 10 a 14 anos de idade.

Para a proteção completa contra a dengue, o imunizante hoje incorporado pelo SUS (Sistema Único de Saúde) é administrado em duas doses. A vacina Qdenga é da empresa japonesa Takeda e recebeu a pré-qualificação da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Segundo a pasta, o Brasil comprou todo o estoque disponível de vacina da dengue disponível no mercado internacional. O total de doses disponibilizadas chega a 6,5 milhões para 2024 e 9 milhões para 2025.

Devido à capacidade limitada de produção do laboratório, as doses estão sendo entregues em parcelas. Com a quinta remessa, serão 3,6 milhões de doses distribuídas aos estados e municípios. Até a terça-feira (28), 1,1 milhão de doses já haviam sido aplicadas.

De acordo com a secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ethel Maciel, a baixa adesão à vacina tem relação com o público mais jovem, que não costuma “frequentar os serviços de saúde rotineiramente e, por isso, os pais e responsáveis precisam levar as crianças e adolescentes para se vacinar”.

A faixa etária foi escolhida, dentro da indicada pelo laboratório para receber a vacina –de 5 a 60 anos– por ser um público com maior número de hospitalizações por dengue. O Brasil tinha até esta quarta-feira (29), 5,4 milhões de casos prováveis e 3.254 mortes pela da doença.

Além da Qdenga, está em produção pelo Instituto Butantan uma vacina brasileira, em fase final de testes. Em declaração feita em janeiro, o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) afirmou que a previsão é que a vacina fique pronta em setembro e que seja entregue em 2025.

A última fase de testes da vacina brasileira mostrou uma eficácia geral de 79,5% na prevenção da doença após uma única dose, de acordo com estudo disponível no periódico The New England Journal of Medicine, uma das principais publicações médicas do mundo.

Foto Shutterstock

Por Folhapress

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo

Saúde

Falta de relação sexual faz mal? ginecologista responde

Publicado

em

A falta de relações sexuais pode ter algumas implicações, mas isso varia de pessoa para pessoa. Aqui estão alguns pontos a considerar:

1️⃣ Saúde Física: A relação sexual pode trazer benefícios físicos, como a melhora da circulação sanguínea e do sistema imunológico. No entanto, a ausência de sexo não necessariamente causa problemas de saúde.

2️⃣ Saúde Mental: Para algumas pessoas, a intimidade sexual é uma parte importante do bem-estar emocional e psicológico. A falta de sexo pode, em alguns casos, levar a sentimentos de solidão ou estresse. Porém, isso depende muito das necessidades individuais de cada um.

3️⃣ Relacionamento: Em um relacionamento, a falta de sexo pode ser um sinal de problemas de comunicação ou outras questões que precisam ser abordadas. É importante conversar abertamente com o parceiro sobre desejos e necessidades.

4️⃣ Alternativas: Existem outras formas de manter a intimidade e a saúde sexual, como masturbação, que também podem liberar endorfinas e ajudar a manter o bem-estar.

Lembre-se, a importância do sexo varia para cada pessoa e casal. O mais importante é estar em sintonia com suas próprias necessidades e buscar o equilíbrio que funciona melhor para você.

Por Giannini Carvalho-Ginecologista

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

 

Continue lendo

Saúde

Nísia estima 1,6 mil casos de leptospirose no RS após enchentes

Publicado

em

O Ministério da Saúde trabalha com uma projeção de até 1,6 mil casos de leptospirose registrados no Rio Grande do Sul em razão das enchentes que atingiram municípios gaúchos ao longo das últimas semanas. O número é quatro vezes maior que o total de casos da doença contabilizados ao longo de todo o ano de 2023 no estado: 400 casos. O cenário epidemiológico foi divulgado nesta quarta-feira (29) pela ministra da Saúde, Nísia Trindade, durante coletiva de imprensa em Porto Alegre.

“Vimos dados que mostram preocupação com leptospirose”, disse, ao lembrar que cinco pessoas já morreram no Rio grande do Sul em razão da doença após as enchentes. “Há tratamento para leptospirose e, por essa razão, nós recomendamos – queria enfatizar isso – que não se espere a confirmação do diagnóstico. Temos testes, o laboratório central está processando esse material e isso é importante para que a gente conheça a realidade. Mas o tratamento se dá a partir do momento em que se verificam os sintomas.”

“Está havendo atendimento de saúde e é fundamental também, naturalmente, que as pessoas não se automediquem”, destacou Nísia.

Representantes do Ministério da Saúde se reuniram esta semana com gestores municipais da região, representantes da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), e sociedades científicas do Rio Grande do Sul para discutir ações de enfrentamento a patologias causadas pelas enchentes e pelos temporais que atingiram o estado nas últimas semanas.

Durante a coletiva, a ministra reforçou a necessidade de combate à desinformação e pediu um ambiente que valorize as instituições. “Precisamos da sociedade e do Estado, juntos. Isso é muito importante”, disse.

Segundo Nísia, não há, por exemplo, falta de vacinas no estado, como vinha sendo veiculado por meio de fake news em redes sociais. “O município havia sido invadido pela água, pôde se recuperar as vacinas. A gente fica até emocionado e quero agradecer a todos os trabalhadores da saúde e da gestão que fazem esse esforço hercúleo”.

Doença

A leptospirose é uma doença infecciosa causada pela bactéria leptospira, presente na urina de roedores e comumente adquirida pelo contato com água ou solo contaminados. Na fase inicial da doença, os pacientes podem sentir febre igual ou maior que 38 graus Celsius (°C), dor na região lombar ou na panturrilha e conjuntivite. Os sinais de alerta para gravidade, que podem aparecer a partir da segunda semana, envolvem sintomas como tosse, hemorragias ou insuficiência renal.

Fonte: Agência Brasil

 

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo
Propaganda

Trending

Fale conosco!!