Conecte-se Conosco

Esporte

Na Última rodada Flamengo perde por 2×1 para o São Paulo, mais mesmo com a derrota, conquista o brasileirão de 2020

Publicado

em

A forma da conquista foi tão inusitada quanto a temporada que se encerra. Mesmo longe de encantar, elenco fez valer sua força e se consagra como um dos maiores da história.

Um título conquistado apesar de uma derrota, numa partida em que o time jogou bem e sucumbiu por duas falhas individuais. Uma taça erguida fora do Rio de Janeiro, sem torcida no estádio, com explosão de comemoração após o apito final de outra partida.

Numa temporada completamente atípica, devido à pandemia de coronavírus, a forma como o Flamengo se sagrou campeão brasileiro foi tão inusitada quanto a situação vivida atualmente na sociedade. Simbolizou bem um ano turbulento, dentro e fora de campo.

E mesmo com todas as dificuldades, o Flamengo conseguiu fazer valer um processo que vem desde 2013. O investimento no elenco, em que pese o risco assumido quando se elevou os gastos, teve retorno: com um time muito acima da média, o clube conquistou o Brasileiro apesar de estar longe de encantar como em 2019. Graças, principalmente, a um grupo de jogadores de qualidade técnica sem comparação no país.

Jogadores que formam uma geração que supera outras vencedoras e se aproxima daquela do início dos anos 1980. O bicampeonato brasileiro em sequência lembra 1982 e 1983, quando ídolos históricos do Flamengo chegaram a ser questionados por momentos ruins.

Some a isso a Libertadores de 2019 e outros títulos como a Supercopa do Brasil, a Recopa Sul-Americana e o Carioca, e a geração de Gabigol e companhia se eleva de patamar.

Os percalços também podem ser valorizados

Isso, claro, não apaga os percalços da conquista do Brasileirão 2020. O Flamengo, em momento algum, passou plena confiança a seu torcedor. Alternou bons jogos com outros em que nada dava certo. Conseguiu viradas na raça, mas também houve pontos perdidos de forma displicente. Se em 2019 a equipe caminhou tranquilamente rumo ao título, desta vez a tensão foi até o último minuto.

– O Liverpool teve problemas, Juventus teve problemas, no mundo inteiro essa temporada foi ruim, com essa loucura dessa pandemia modificou muita coisa. Estou muito feliz, terceiro brasileiro meu, mas esse foi diferente, o mundo está diferente, agora é comemorar. O Flamengo é um gigante que se alimenta de títulos. Ganhar é muito difícil, então agora é comemorar e comemorar muito – disse o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, para a Fla TV.

A fala de Braz mostra que é possível também olhar por outro prisma: em meio a tantas dificuldades, ainda assim o Flamengo saiu campeão. O elenco passou por um surto de Covid-19 no meio do campeonato, teve jogadores-chave lesionados em momentos decisivos da temporada e precisou abordar a saída de Jorge Jesus faltando poucas semanas para o início do Brasileiro.

Rogério Ceni chegou praticamente na metade do caminho. Como todo trabalho iniciado de forma um pouco atropelada, teve dificuldades para se achar no início. Melhorou o time quando apostou de vez em Arão na zaga e com Diego de volante. A equipe elevou o rendimento, mas continuou refém das oscilações. Mais uma vez, a qualidade técnica prevaleceu.

Para 2021, o Flamengo terá a possibilidade de dar continuidade ao trabalho de Ceni e fazer ajustes necessários ao elenco. O desafio maior será conseguir manter seus principais jogadores, uma vez que as receitas seguem comprometidas e não há grandes investimentos previstos para a temporada.

O Flamengo, porém, tem o mais importante para prolongar essa era de conquistas: uma base montada, com jogadores que já entraram para a história do clube e, a cada título, aumentam seu legado. Será que, daqui a 20 anos, alguém vai se lembrar que este Brasileiro veio com uma derrota? (Do GE)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Esporte

Evander Holyfield voltará aos ringues em junho para luta contra Kevin McBride

Publicado

em

Um dos maiores nomes da história do boxe, Evander Hoyfield está prestes a voltar aos ringues para uma luta-exibição. Segundo a revista Sports Illustrated, o antigo campeão mundial dos pesos-pesados lutará com Kevin McBride no dia 5 de junho, em Miami. Holyfield tem 58 anos e está aposentado desde 2010.

A luta terá 8 rounds de duração e acontecerá nas preliminares da defesa de título dos leves de Teofimo Lopez, contra George Kambosos. Com 47 anos, McBride também está aposentado desde 2011 e ficou famoso pelo nocaute sobre Mike Tyson, em 2005, que acabou causando a aposentadoria da lenda do boxe.

Holyfield também deve marcar uma luta com o antigo rival Mike Tyson em breve. Tyson, de 54 anos, voltou a lutar em novembro de 2020, quando empatou com Roy Jones Jr. em outra luta de exibição.

Tyson e Holyfield protagonizaram duas lutas muito aguardadas na década de 90: em 1996, Holyfield venceu por nocaute técnico no 11º assalto; em 1997, Tyson foi desclassificado após morder e arrancar um pedaço da orelha do oponente. Desde que ambos anunciaram que pretendiam voltar aos ringues em 2020, a realização de uma terceira luta é especulada, com Holyfield demonstrando mais vontade de torná-la real.(Esporte ao Minuto)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo

Esporte

Gabriel comemora feito como artilheiro do século do Flamengo: ‘Marca expressiva’

Publicado

em

Na saída do gramado, o atacante flamenguista enalteceu o feito e dividiu a conquista com os companheiros

Autor de um dos gols do Flamengo na decisão da Supercopa do Brasil diante do Palmeiras, o atacante Gabriel falou sobre o feito alcançado ao ter se tornado o artilheiro do time carioca no século. Ele chegou a 74 gols pelo time rubro-negro, ultrapassando Renato Abreu, que tem 73.

Na saída do gramado, o atacante flamenguista enalteceu o feito e dividiu a conquista com os companheiros. Além disso, lembrou que atuou com Renato Abreu no Santos.

“É uma marca expressiva. Estou muito feliz e divido esta marca com meus companheiros, que fazem a bola chegar até mim e aos goleiros que treinam muito comigo durante a semana”, comentou o jogador, em entrevista ao SporTV.

“Joguei junto com ele no Santos. É uma honra com a pouca idade que tenho bater este recorde. Espero bater mais”, completou o artilheiro.

Autor do gol nos pênaltis que deu o título ao Flamengo, o zagueiro Rodrigo Caio se redimiu após cometer a penalidade que culminou com o segundo gol do Palmeiras, o de empate. Ele lembrou das dificuldades que teve no ano passado com as lesões e elogiou a qualidade do elenco em mais uma conquista importante.

“O título mostra a força e união deste grupo. Cheguei em 2019 com o propósito de fazer história com a camisa do Flamengo. E é o que este grupo vem fazendo, não se contentando com o que tem e buscando sempre mais. Tenho certeza que não para por aqui”, disse Rodrigo Caio.

Em campo, o Flamengo empatou com o Palmeiras por 2 a 2 no tempo normal e precisou do goleiro Diego Alves para ser campeão nas cobranças de pênaltis, vencendo por 6 a 5 e conquistando mais um título sob o comando de Rogério Ceni.

Por Estadão Conteúdo

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

 

Continue lendo

Esporte

Real Madrid desbanca Barcelona, com Messi apagado, e dorme líder do Espanhol

Publicado

em

Com um Messi sem brilho, a equipe catalã desperdiçou muitas chances e conseguiu apenas diminuir a vantagem, mas sem força para chegar ao empate

Oclássico dos clássicos do futebol espanhol – e um dos maiores do mundo – foi marcado pela boa atuação do Real Madrid, que marcou 2 a 1 e desbancou o Barcelona em campo e na tabela do Espanhol. Com um Messi sem brilho, a equipe catalã desperdiçou muitas chances e conseguiu apenas diminuir a vantagem, mas sem força para chegar ao empate, no Estádio Alfredo Di Stefano, pela 30ª rodada do Campeonato Espanhol.

Com o resultado, o Real Madrid ficou na primeira colocação, com 66 pontos, desbancando o maior rival e o Atlético de Madrid, ao menos provisoriamente, uma vez que a equipe conta com 66 pontos também e enfrentará o Betis neste domingo. O Barcelona, por sua vez, conta com 65 pontos e é o terceiro colocado do Campeonato Espanhol.

O primeiro tempo foi todo do Real Madrid, que soube aproveitar as chances que teve frente a um Barcelona que não demonstrava seu poder. O primeiro lance de perigo da partida veio aos 9 minutos, quando Messi mandou lindo passe para Alba. O lateral cruzou em direção a Dembélé, mas Courtois interceptou a jogada e impediu que a equipe catalã abrisse o placar.

O gol não demorou a sair, mas para o lado madrileno. Em uma linda jogada, Valverde trouxe a bola para Vázquez, que passou a Benzema. O francês não hesitou e finalizou, abrindo o placar com um belo tiro. O Barcelona tentava reagir e buscar chances, mas era rapidamente neutralizado pela forte defesa do adversário.

Aos 25 minutos, após falta de Ronald Araújo em Vini Jr., que vinha em arrancada perigosa em direção ao gol, Kroos realizou a cobrança, sem chance de defesa para Ter Stegen. O segundo gol contou com desvio de Dest e Alba, mas o forte e certeiro chute de Kroos não dependia de mais nada para entrar, fazendo 2 a 0 para a equipe madrilena.

O próximo lance de perigo veio com Dembélé, que ficou com sobra na área e de cara para o gol, mas errou o chute e desperdiçou a chance de iniciar a reação do Barcelona ainda no primeiro tempo. O contra-ataque, porém, foi marcado por uma arrancada de Vini Jr. , que chegou até Valverde. O atacante bateu e acertou em cheio na trave, com sobra para Vázquez, que finalizou mas assistiu Ter Stegen defender.

O Barcelona seguia com muita dificuldade para abrir espaços e aproveitar oportunidades. O empate, porém, quase chegou aos 45 minutos, quando Messi cobrou escanteio e acertou na trave do goleiro Courtois, com um quase gol olímpico. No minuto seguinte, o atacante exigiu que o goleiro saísse para poder neutralizar o lance e evitar o gol.

No segundo tempo, o Barcelona parecia mais articulado e disposto a reagir, com Griezmann entrando e fazendo seu primeiro lance de perigo aos 9 minutos. O atacante recebeu de De Jong, mas desperdiçou mandando para fora, sozinho dentro da área. De qualquer forma, o impedimento havia sido marcado. A reação do Real Madrid veio com Benzema, que arriscou, mas mandou a bola sem muito perigo para defesa de Ter Stegen.

Mingueza diminuiu a vantagem aos 15 minutos do segundo tempo, ao receber a bola de Alba, que Griezmann não conseguiu alcançar. Nos minutos seguintes, Messi tentou tabelar com Alba, que entrou na área e fez o cruzamento, mas o goleiro madrilenho interceptou e impediu a continuação da jogada. Aos 19 minutos, Messi cobra falta e apenas consegue acertar a barreira, ainda fazendo valer o tabu de não conseguir marcar em Courtois no Real Madrid.

Após fazer um ótimo primeiro tempo, Vini Jr. protagonizou outra jogada promissora ao receber de Modric e invadir a área, mandando para Benzema, mas não conseguiu fazer a bola chegar ao francês. O brasileiro ainda continuou perigoso, cabeceando no minuto seguinte após receber pela direita, mas calculou mal o lance e mandou para trás. Kroos tentou assumir a jogada, mas não consegue acertar e aumentar a vantagem.

Debaixo de forte chuva, o Barcelona tentava chegar e deixar tudo igual. E quase chegaram ao feito aos 29 minutos, quando Messi levantou a bola e Moriba buscou para cabecear na área. O goleiro Courtois segurou e fez uma defesa firme, sem deixar sobras. No minuto seguinte, era o goleiro do Real Madrid que teve que oferecer sua contribuição dando um tapa na bola e evitando o gol, ao defender lance de Odriozola, que cruzou pela direita. Na sequência, foi a vez do brasileiro Marcelo pegar a sobra de Isco e lançar a bola para o gol.

O jogo precisou ser interrompido pelo árbitro por problemas de comunicação com o VAR, por alguns minutos. Logo após a retomada da partida, Braithwaite pegou a sobra de Alba e caiu após dividida com Mendy. O lance gerou reclamações, com os jogadores do Barcelona alegando puxão e pedindo pênalti. O árbitro não voltou atrás em sua decisão e sobrou cartão amarelo para Alba e para o técnico Ronald Koeman por reclamação.

O ritmo do jogo continuou quente e os ânimos acirrados. Aos 43 minutos, Casemiro recebeu cartão amarelo por falta em Messi. Apenas um minuto depois, o volante voltou a cometer falta, dessa vez contra Mingueza em jogada muito próxima a área, trazendo perigo ao gol de Courtois. O lance, porém, terminou com outro amarelo e a expulsão de Casemiro e uma cobrança direta de Messi, que foi prontamente defendida pelo goleiro madrilenho.

O último lance do jogo foi marcado pelo levantamento de Messi, que foi quase aproveitado por Moriba para o empate. A sobra fica com Ter Stegen, que consegue chegar para fazer a finalização, mas a bola fica com a marcação, no apito final.

Por Estadão Conteúdo

 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail [email protected] ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Continue lendo
Propaganda

Trending