Conecte-se Conosco

Esporte

Raikkonen vence GP dos EUA de F1 e adia título de Hamilton

Publicado

em

[responsivevoice_button voice=”Brazilian Portuguese Female”]

Hamilton está mais próximo do que nunca do pentacampeonato: precisa de apenas um sétimo lugar em uma das próximas três corridas.

Se o principal concorrente o tirar o título da F-1 das mãos deLewis Hamilton era Sebastian Vettel, foi uma outra Ferrari que adiou a decisão da temporada: Kimi Raikkonen, que venceu o GP dos EUA neste domingo (21).

Hamilton largou na primeira posição e precisava de uma vitória com Vettel em terceiro para levantar o troféu. Contudo, Raikkonen (que largou em segundo) assumiu a ponta já na largada enquanto Vettel caiu de quinto para 15º após rodar.

A disputa na ponta seguiu acirrada, com o piloto da Mercedes fazendo de tudo para ultrapassar seu adversário, mas só conseguindo retomar a ponta quando o finlandês foi para os boxes.

Contudo, Hamilton também precisou fazer a sua parada pouco depois, e por isso perdeu novamente a ponta, que então não mudou mais de dono: ficou para Kimi Raikkonen. Essa foi a 21ª vitória do finlandês na carreira e a primeira desde o GP da Austrália em 2013.

Mesmo sem o primeiro lugar do pódio, o britânico poderia ser campeão e, por pouco, não foi. Precisava chegar em segundo e Vettel não passar de quinto. Na penúltima volta o piloto da Mercedes tentou ultrapassar Max Verstappen pela segunda posição, por pouco não conseguiu, mas acabou deixando o carro escapar da pista e acabou em terceiro.

Vettel, que neste momento era quinto, ainda conseguiu ultrapassar Valtteri Bottas para terminar em quarto.

Apesar do título não ter saído nos Estados Unidos, Hamilton está mais próximo do que nunca do pentacampeonato: precisa de apenas um sétimo lugar em uma das próximas três corridas. O resultado do GP deixou Hamilton com 346 pontos e Vettel com 276.

O próximo Grande Prêmio acontece no México, no próximo domingo (28).

Resultado final do GP dos EUA:

1. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari): a 1h34min18s643
2. Max Verstappen (HOL/Red Bull): a +1s281
3. Lewis Hamilton (ING/Mercedes): a +2s342
4. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari): a +18s222
5. Valtteri Bottas (FIN/Mercedes): a +24s744
6. Nico Hulkenberg (ALE/Renault): a +87s210
7. Carlos Sainz (ESP/Renault): a +94s994
8. Esteban Ocon (FRA/Force India): a +99s288
9. Kevin Magnussen (DIN/Haas) : a +100s657
10. Sergio Pérez (MEX/Force India): a +101s080
11. Brendon Hartley (NZL/Toro Rosso): a 1 volta
12. Marcus Ericsson (SUE/Sauber): a 1 volta
13. Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren): a 1 volta
14. Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso) a 1 volta
15. Sergey Sirotkin (RUS/Williams): a 1 volta
16. Lance Stroll (CAN/Williams): a 2 voltas
Não completaram:
Charles Leclerc (MON/Sauber): parou a 31 voltas
Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull): parou a 8 voltas
Romain Grosjean (FRA/Haas): parou a 2 voltas
Fernando Alonso (ESP/McLaren): parou a 1 volta

Mundial de pilotos:
1. Lewis Hamilton (GBR) Mercedes – 346 pontos
2. Sebastian Vettel (ALE) Ferrari – 276 pontos
3. Kimi Raikkonen (FIN) Ferrari – 221 pontos
4. Valtteri Bottas (FIN) Mercedes – 217 pontos
5. Max Verstappen (HOL) Red Bull – 191 pontos
6. Daniel Ricciardo (AUS) Red Bull – 146 pontos
7. Nico Hulkenberg (ALE) Renault – 61 pontos
8. Kevin Magnussen (DIN) Hass – 55 pontos
9. Sergio Perez (MEX) Force India – 54 pontos
10. Esteban Ocon (FRA) Force India – 53 pontos
11. Fernando Alonso (ESP) McLaren – 50 pontos
12. Carlos Sainz (ESP) Renault – 45 pontos
13. Romain Grosjean (FRA) Hass – 31 pontos
14. Pierre Gasly (FRA) Toro Rosso – 28 pontos
15. Charles Leclerc (MON) Sauber – 21 pontos
16. Stoffel Vandoorne (BEL) McLaren – 8 pontos
17. Lance Stroll (CAN) Williams – 6 pontos
18. Marcus Ericsson (SUE) Sauber – 6 pontos
19. Brendon Hartley (NZL) Toro Rosso – 2 pontos
20. Sergey Sorotkin (RUS) Williams – 1 ponto

Mundial de construtores:
1. Mercedes – 563 pontos
2. Ferrari – 497 pontos
3. Red Bull – 337 pontos
4. Renault – 106 pontos
5. Haas – 86 pontos
6. McLaren – 58 pontos
7. Force India * – 48 pontos
8. Toro Rosso – 30 pontos
9. Sauber – 27 pontos
10. Williams – 7 pontos

Vendida para Racing Point em agosto, a Force India realizou uma nova inscrição e perdeu todos os pontos que havia conquistado até aquele momento.

(Da Folhapress)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e Instagram. Você também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9101-6973.

Esporte

Palmeiras vende Estevão ao Chelsea em operação que pode chegar a R$ 358 milhões

Publicado

em

O Palmeiras confirmou a venda milionária do jovem atacante Estevão, de 17 anos, para o Chelsea. Ele assinou o contrato neste sábado, após passar por exames médicos em São Paulo em maio.

A transação totaliza aproximadamente 61,5 milhões de euros, sendo 45 milhões de euros fixos e 16,5 milhões de euros em metas. O Palmeiras receberá 70% desse valor, enquanto Estevão e sua família ficarão com os 30% restantes.

Após a assinatura, o Verdão e o Chelsea confirmaram a venda da joia. Estevão continuará jogando pelo Palmeiras nesta temporada e na próxima, incluindo o Mundial de Clubes de 2025, antes de se juntar ao Chelsea em julho de 2025.

Foto Reprodutção/ estevaowilian

Por Blog do torcedor

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo

Esporte

Seleção masculina tropeça de novo e volta a adiar vaga na fase final da Liga das Nações

O Brasil perdeu duas seguidas pela primeira vez nesta Liga das Nações.

Publicado

em

A seleção brasileira masculina de vôlei voltou a tropeçar na Liga das Nações nesta sexta-feira. Desta vez, a equipe comandada por Bernardinho levou 3 sets a 0 do Canadá, com parciais de 24/26, 19/25 e 24/26, na penúltima partida do time nacional na fase classificatória.

Assim, os brasileiros adiaram mais uma vez a classificação para a fase final, que reúne as oito melhores equipes da competição. O Brasil já poderia ter sacramentado a vaga se tivesse vencido os Estados Unidos por 3 a 1 na quinta – acabou perdendo por 3 a 2. Agora as apostas estão todas no confronto com a França, na madrugada de domingo, às 4h (de Brasília).

Com o resultado, o Brasil perdeu duas seguidas pela primeira vez nesta Liga das Nações. O time figura no sexto lugar, com chance de perder colocações na sequência da rodada por ter jogos a mais que os rivais. São seis vitórias em 11 jogos, com 20 pontos.

“O próximo jogo se tornou uma final para a gente. Não pode vacilar, não pode começar devagar, como fizemos hoje nos dois primeiros sets. Erramos muito no saque, nos ataques. Elevamos o número de erros. Já tínhamos conversado no vestiário sobre o Canadá, por ser uma equipe que cresce quando começa na frente, joga muito bem. Quanto tem uma pressão, eles sentem também”, comentou o central Lucão.

“Conseguimos melhorar no terceiro set, mas acabamos errando algumas coisas que não podíamos ali no final do set. Mas é um aprendizado. Todo mundo está rodando, pegando experiência, crescendo ao longo do campeonato. O jogo de domingo é essencial para a gente. Não podemos vacilar”, alertou o experiente jogador.

O maior pontuador do Brasil nesta sexta foi Darlan, com 12 acertos. Leal e Lucão anotaram nove pontos cada. Pelo lado canadense, Loeppky foi o maior destaque da partida, com 21 pontos.

Foto Shutterstock

Por Estadão

           

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe os nossos aplicativos gratuito.

Siga-nos em nossas redes sociais FacebookTwitter e InstagramVocê também pode ajudar a fazer o nosso Blog, nos enviando sugestão de pauta, fotos e vídeos para nossa a redação do Blog do Silva Lima por e-mail blogdosilvalima@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9937-6606 ou 9 9155-5555.

Continue lendo

Esporte

Messi bate recorde de aparições na Copa América, e Argentina supera o Canadá

Publicado

em

A 48ª edição da Copa América começou nesta quinta-feira com belo show antes de a bola rolar na Mercedes-Benz Arena, em Atlanta, na Geórgia, muitos dirigentes em campo e nas tribunas, emoção na execução dos hinos, recorde de aparições de um Messi sem pontaria, mas preciso em assistência, e com a campeã Argentina superando o Canadá após alguns sustos com triunfo por 2 a 0. Os gols foram dos centroavantes Julián Álvarez e Lautaro Martínez.

Aposentado por problemas cardíacos, o ex-atacante argentino Agüero colocou a taça para exibição no gramado com direito a beijinho e aplausos da torcida. Antes mesmo de a tricampeã mundial entrar em campo, Messi já causava frisson no estádio do Atlanta Falcons, da NFL, completamente lotado – capacidade de 71 mil pessoas – ao aparecer no telão. No túnel dos vestiários, era idolatrado pelos mascotes mirins. A criançada estava encantada com a proximidade do astro.

MAIOR ATLETA A DISPUTAR COPA AMÉRICA

Ao iniciar a partida, Messi completou 35 jogos e se isolou como maior atleta a disputar uma partida na Copa América, ultrapassando o ex-goleiro chileno Livingston, que atuou em 34 oportunidades. São 13 gols e 17 assistências do astro.

Diante da atual campeã, o Canadá adotou postura ousada nos minutos iniciais, com linhas altas para tentar surpreender. Em uma bobeira, entretanto, deixou Di María avançar de seu campo e parar no goleiro Crépeau. Messi deu enorme pique e poderia ter recebido o passe. Logo depois, o camisa 10 apareceu livre e mandou raspando. Estava impedido.

Mesmo estreante na Copa América, o Canadá parecia não temer os campeões mundiais. E partiu para a trocação, sempre rondando a área, mas pecando no toque final. O jogo era agradável, com os argentinos vendo seu favoritismo duro de ser confirmado frente um oponente ajustado e confiante. Eustáquio, de cabeça, exigiu grande defesa de Dibu Martínez antes do intervalo.

A apresentação abaixo do esperado, com ataque inoperante, fez a Argentina demorar a retornar do vestiário. O papo com Lionel Scaloni durou 20 minutos. Foi longo para a equipe não somar seu quarto tropeço seguido em uma estreia de competição. Não ganhou nos primeiros jogos das duas últimas Copa Américas e também sofreu um deslize na Copa do Mundo do Catar antes de se recuperar para erguer o troféu contra a França.

Os argentinos necessitaram de somente três minutos para desencantar. Após dividida de Mac Allister com o goleiro, a bola sobrou para Julian Álvarez mandar ao gol vazio e sair celebrando O centroavante do Manchester United quase ampliou um minuto mais tarde. Crépeau salvou de ponta dos dedos.

SEM GOL DE MESSI

O tão aguardado gol de Messi pela torcida quase sai aos 19 após chutão de Martínez para frente. O astro saiu cara a cara e parou em Crépeau, no rebote driblou o goleiro e deu a cavadinha. Mas Cornelius apareceu para livrar o Canadá. Ainda falharia em novo lançamento e cobertura para fora.

Continue lendo
Propaganda

Trending

Fale conosco!!